domingo, 24 de setembro de 2017

O Brasil está em Guerra





Brasil, com 60.000 homicídios por ano, 83 facções criminosas espalhadas por todo país. Estamos vivendo em estado de Guerra. A violência no Brasil mata mais que a guerra na Síria. Entre 2011 e 2015, o Brasil teve um total de 278.839 assassinatos. Só no ano passado, uma pessoa foi morta a cada nove minutos no país, ou seja nesses cinco anos, na Síria, entre março de 2011 e novembro de 2015, a guerra causou 256.124 mortes, segundo estimativa da Agência da Organização das Nações Unidas para os Refugiados. E como se não bastasse os nossos combatentes, os policias, estão sendo mortos a todo momento e os que estão na ativa encontra ataques vindo de Ongs , associações ligados a direitos humanos, a mídia, e sem qualquer  apoio dos três poderes, que se encontram em quase falência devido a corrupção política que assola nosso país.



Veja essas cenas do vídeos  abaixo e veja contra o que estamos lutando:






Situação quase irreversível


Se você viu os vídeos acima, e acompanha o que está acontecendo com a segurança pública em nosso país, você com certeza deve estar preocupado com essa infecção que se espalha em toda a nação e vai acabar atingido algum ente querido seu. Só esse ano vimos várias situações de ataques massivos em todo país: Espirito Santo, Amazonas, Minas Gerais, e agora o Rio de Janeiro, o novo foco é a  Rocinha, veja as imagens abaixo:














Cenário de Guerra








































 





Nossos Heróis de mãos atadas




Os policiais, mortos covardemente em seus horários de folga, são profissionais corajosos e altamente capacitados,  mas estão de mãos atadas para realmente agir de forma contundente no confronto contra os traficantes. Grupos de direitos humanos e anistia internacional, a mídia, e ainda os três poderes  altamente infectado, caçam os policiais, como se não bastasse em sua horas de folga, abaixo vemos o exército, agindo ostensivamente, porém assim como os policiais correm o risco de serem severamente punidos se responderem ao inimigo a mesma altura.

O exército foi convocado como se a polícia não tivesse capacidade de resolver, o que não é verdade. O problema é a falta de recursos, legislaão ineficaz onde não uma real punibilidade, baixos salários, e principalmente apoio governo, e não ser punido por agir de forma pesada aos criminosos. O exército também capacitado para a guerra, esbarrou nos mesmos problemas encontrados pela policia a hipocrisia de um povo que não quer ser salvo, que abraçou a contra cultura, e vê as forças de segurança de maneira preconceituosa e os traficantes como benfeitores locais.












E agora?


A curto prazo, intervenção militar, e poder a polícia e ao exército para responder ao fogo inimigo eliminando o problema para proteger a população, a médio prazo alterações radicais na legislação, nosso código penal é de 1941. A longo prazo reforma total na estrutura de base do país: educação, investimento no grande, média e pequeno empresario e agropecuarista para geração de empregos e circulação de capital. E desenvolvermos em nossos filhos uma cultura  de viver em coletividade de maneira moral seguindo os princípios cívicos. E banirmos a contra cultura de nosso meio social.





Conclusão






Os policiais, mortos covardemente em seus horários de folga, são profissionais corajosos e altamente capacitados,  mas estão de mãos atadas para realmente agir de forma definitiva no confronto contra os traficantes. Grupos de direitos humanos e anistia internacional, a mídia, e ainda os três poderes  altamente infectado, caçam os policiais. Na imagem abaixo vemos o exército, agindo ostensivamente, porém assim como os policiais correm o risco de serem severamente punidos se responderem ao inimigo a mesma altura.

O exército foi convocado como se a polícia não tivesse capacidade de resolver, o que não é verdade. O problema é a falta de  legislação ineficaz onde não uma real punibilidade, baixos salários, e principalmente apoio governo, e não ser punido por agir de forma pesada aos criminosos. O exército também capacitado para a guerra, esbarrou nos mesmos problemas encontrados pela polícia a hipocrisia de um povo que não quer ser salvo, que abraçou a contra cultura, e vê as forças de segurança de maneira preconceituosa e os traficantes como benfeitores locais.






                                 Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos





Visite:






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...