quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Horror em Las Vegas: Como sobreviver a um massacre?



O mundo assistiu horrorizado o massacre ocorrido no último domingo dia primeiro. Um atirador hospedado no hotel Mandala Bay matou pelo menos 59 pessoas e feriu outras 527 feridas. Em seu quarto ele tinha  23 armas  e uma visão privilegiada das 22.000 pessoas que se encontravam no festival de musica Country Route 91 Harvest Festival.  Em um país como o Brasil, em sua situação atual, com 83 facções criminosas espalhadas por todos os Estados fortemente armadas como vimos no Rio de Janeiro recentemente, não é difícil nos depararmos com esse cenário. Mas o que fazer? Como agir? como proteger a nossa família no nesse caso?


 




 Veja o vídeos abaixo para ter uma ideia do massacre:














Após analisar os vídeos acima para ter uma visão da situação caótica. Assista de novo, para ver se consegue encontrar erros na atitude das pessoas que estavam ali. Depois veja as ações imediatas que você pode tomar para garantir a sua sobrevivência, utilizado técnicas utilizadas de treinamento dos  fuzileiros americanos.







Em qualquer ambiente procurar possíveis rotas de fuga 





A diferença de um sobrevivencialista para um cidadão comum é a preparação. O general chinês Sun Tzu a 500 anos antes de Cristo já observava a vantagem de se conhecer o terreno em uma área de conflito. Quando você for ao cinema, restaurante, faculdade, show, clube etc, sempre observe as entradas e saídas do ambiente, ou as melhores rotas de fuga. A primeira coisa que você deve observar ao se acomodar no ambiente. Desde um incêndio, tiroteio um ataque a bomba ou qualquer outra coisa, será muito melhor você já ter um trajeto para fujir do perigo juntamente com sua família.






Não Fique Parado, saia da linha de fogo



Algumas pessoas em meio a uma tragédia ficam paralisadas. O panico toma conta de suas mentes ao ponto de ficar sem ação, sem saber o que fazer. Condicione a sua mente para situações de crise, para você já ter um protocolo em diversos cenários diferentes.

No caso de um assassino em massa atirando, a primeira atitude é não ser um alvo. Abaixe-se e abrigue-se rapidamente. Pode parecer óbvio mas é incrível o numero de pessoas que morrem em um desastre. Seja Incêndio, tiroteio, desabamento, simplesmente por que não queria acreditar que aquilo estava acontecendo e se abrigavam em suas mentes, esperando que alguém aparecesse para salvar a situação.





Silencio! Não grite!




No caso de um assassino em massa estar atirando em uma multidão da qual você faz parte a ultima coisa que vai querer é como dito acima é chamar a atenção do atirador para você.  Mantenha o silêncio. Não grite, não fale.

Isso inclui falar em seu telefone celular. Você pode observar nesses vídeos a quantidade de pessoas que estão correndo com o corpo ereto e filmando o rosto ao mesmo tempo como se estivesse fazendo um documentário. Com isso você não só chamara a atenção, como também não prestara atenção a sua volta com totalidade. 

Se você estiver em uma cidade ou outro local público povoado, onde existem pessoas  nas proximidades fora da zona de perigo, com certeza chamarão  a polícia, ou autoridades podem até já estar no local. Então não grite, não fale. Silêncio absoluto.






Ocultar-se




Pode parecer óbvio mas como disse acima, algumas pessoas ficam  sem ação, não conseguem reagir de qualquer forma e nem raciocinar. Muitas mesmo vendo o atirador ainda ficaram paradas a sua frente.  Coloque algo entre você e o atirador, de preferência algo que bloqueia sua visão completamente, ou qualquer coisa que ofereça um pouco de direção errada (como grama alta) ajudará. Se ele não puder vê-lo, não será problema para você.

 




Encontre uma proteção






Proteção e ocultação não são a mesma coisa. A ocultação é apenas para não ser visto, enquanto uma proteção esconde e para as balas. Este poderia ser uma parede de concreto maciço vou uma coluna, ou ainda um monte de terra, pedra ou aço para se esconder atrás.

Os carros não são cobertos! Eles são ocultação. Não é um filme, as balas passam por carros. Se um carro é sua única escolha, no entanto, especialistas em segurança dizem para  colocar o motor entre você e o atirador.








Identifique a ameaça, afaste-se



Uma vez abrigado, tente identificar onde está localizada a ameaça, e então afaste-se lentamente, mantendo um perfil baixo, mantendo essa cobertura ou ocultação entre você e a ameaça.

Não seja um herói! Deixe isso para a policia, ela é treinada e tem suporte para essas situações: homens, armas, helicópteros... Não estou falando que você não deva salvar quem esteja a seu alcance, uma senhora, uma criança ou um amigo, pois que eu tentaria salvar qualquer um deles. Mas apenas conheça o risco, e principalmente conheça os seus limites.




A culpa é do porte de arma?



Quando ocorre caso igual esse em Las Vegas, associações e ONGs contra o armamento usam o fato como exemplo para validar o seus argumentos absurdos. Armas assim como qualquer objeto pode ter um bom ou um mal uso, dependendo de quem porta. Uma faca pode ser para cometer um assalto, ou partilhar um pão. Um computador pode ser usado para estudar, para se comunicar com familiares ou amigos, ou pode ser usado de forma criminosa para invadir banco de dados de uma empresa por exemplo. Assim como o lápis não comete erro de português, e não são os carros que atropelam as pessoas.


As armas são ferramentas ótimas para serem usadas em esporte de tiro, lazer, caça, proteção de propriedade, legitima defesa no geral, até mesmo a proteção de uma nação. No Brasil, em um cenário  em que morrem 60.000 pessoas por ano vitimas de homicídio se a população pudesse ter o seu direito de porte de arma, centenas de predadores morreriam por ano, e centenas de pais irmãos, irmãos e filhos viveriam. Não se enganem, as armas são úteis e necessárias. Não se deixe levar pelas falácias, daqueles que querem te desarmar. Olhem nas imagens abaixo e digam se essa turminha precisa de autorização de armamento 






Porte de arma responsável

Sem dúvida o porte de arma para o cidadão deveria ser liberado, já que é um direito constitucional. E feita de forma responsável com o cidadão passando por cursos de treinamento de manuseio e tiro ofensivo e defensivo, exames psicotécnico e registro de armas em órgão competente.










Menção honrosa



Não podemos deixar de falar aqui no nosso espaço sobrevivencialista, que em meio a tragédia teve um herói. O Fuzileiro Marine Taylor Winston, de 29 anos, que serviu no Iraque. Ele se apropriou de uma caminhonete que estava no local para transportar feridos durante massacre em Las Vegas.

Conseguiu transportar, com a ajuda de um amigo, entre 20 e 30 feridos, para hospital  Desert Springs Hospital Medical Cente em duas viagens, antes que as ambulâncias tivessem  chegado ao local da tragédia. Depois de socorrer os feridos estacionou veículo perto de onde o havia pego.


Em entrevista a Fox News Winston declarou:


“Os tiros ficaram cada vez mais próximos de nós. Poderíamos ser atingidos a qualquer momento.”

 “Era uma zona de guerra.”

 “Comecei a procurar pessoas para levar ao hospital. Havia muitos feridos. Era avassalador. Havia sangue em todo lugar.”









Perfil do Atirador



Stephen Paddock, aposentado, era um ex-contador e fãs de apostas, gostava de jogar pôquer na internet, música ao vivo e burritos. Seu irmão Eric o descreveu como uma pessoa de bem com a vida. Joseph Lombardo Lombardo xerife de Las Vegas descreveu o atirador como um "homem perturbado que pretendia causar fatalidades em massa". Paddock estava hospedado no hotel desde o dia 28 de setembro. 

O USA Bureau of Justice Statistics define o assassinato em massa como aquele que tira a vida de quatro ou mais pessoas em uma única ocorrência. Segundo estudos vinte por cento dos atiradores em massa, sofrem de algum problema mental grave, portadores de transtorno de personalidade, a sua psicopatia pode se apresentar na forma de crises de raiva, megalomania, paranoia, narcisismo. 

A paranoia é a característica mais principal associada a uma insatisfação constante, querem morrer e levar várias pessoas com ele. E ainda segundo pesquisas  a característica mais óbvia dos assassinos em massa é a crença de que foram enganados, ou traídos,  por instituições, governos empresas, familiares... existindo algum nível de mágoa pessoal em sua ações.






Conclusão





 Uma tragédia que envolve um atirador, exige preparação mental. O sobrevivencialista deve aprender analisar os ambientes que frequenta, observar possíveis pontos de fuga, e se preparar psicologicamente para reagir ao pânico generalizado e se abrigar, e uma vez identificado de onde vem o ataque, deve deixar o local sair do local sem ser percebido.

Os assassinos em massa, são segundo pesquisadores, pouco racionais, e sua ações são direcionadas a vinganças pessoais que podem ser contra pessoas ou instituições. E devido a sua raiva e inadequação querem morrer e levar o maior numero de pessoas possível. Uma tragédia como essa nos mostra enquanto é frágil a nossa noção de segurança no dia dia, e apesar de muitas entidades desarmamentistas usarem esses fatos isolados como argumento, é inegável que criminosos não precisam de licença para portar armas e principalmente o cidadão com armado, poderia reverter o quadro de mortes de cidadãos de bem anual.

Dúvidas, sugestões, deixem nos comentários. Se gostou da um curtir e compartilhem.




                               Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos









Visite:


















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...