quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Combate Urbano: Medo de lutar: Apanhou? Foi humilhado? Como superar?



Então muita pessoas não se preparam adequadamente, para futuros infortúnios, na verdade nem se preocupam com isso. As vezes em algum momento da vida, essas pessoas se deparam com situações que fogem totalmente de sua realidade pessoal, e  não sabe o que fazer e levam a pior. Apanham, são humilhados e mesmo ao passar dos anos não conseguem superar o trauma da derrota nas ruas, humilhação pública.  Se grandes lutadores profissionais depois de sofrerem uma derrota, é difícil eles recuperarem o seu potencial anterior, imaginem uma pessoa  comum que nem sequer aprendeu a se defender. 

E adquirem verdadeiras fobia em relação a lutar. Preferem muitas vezes sofrerem quietos maus tratos, com medo de passar por outro evento traumático.  Esse trauma pode destruir a aptidão de autodefesa para o resto da vida se a pessoa não fizer alguma coisa a respeito, pois o cérebro como o computador biológico que  processa, e arquiva todas as experiências ao longo da vida, e manda ordens para  agir da forma que ele interpretou a situação. 

Realmente é um caminho difícil a recuperação da autoestima e a perda do medo do enfrentamento. Aqui nesta postagem vou estar mostrando, como é possível você deixar para trás essa experiência ruim, se livrar da paralisia, e recuperar a autoestima encontrando o guerreiro urbano dentro de você.





Você é um guerreiro

 
 


Quando o ser humano passa por uma situação traumática, se não superar as consequenciais psicológicas do evento, a pessoa pode paralisar durante a situação semelhante no futuro. Por que o seu subconsciente assimilou que a derrota é inevitável. É o que acontece com alguns animais diante de serpentes, ficam paralisados achando se não reagirem e ficarem simplesmente imóveis não serão percebidos, mas na verdade acabam esperando o bote (a morte certa).



Assim acontece com muitas pessoas, com medo de uma represaria maior, caso reajam preferem ficar aceitando todo tipo de abuso. Podemos ver isso em várias vítimas de abuso, quando o ser humano passa por uma situação traumática, se ele não superar as consequenciais psicológicas do evento, a pessoa pode paralisar durante a situação semelhante no futuro, gerando assim a hipervigilância, que aumentará consequentemente mais e mais sua ansiedade.

 
Cérebro a direita normal, o da esquerda em estado de hipervigilância

Veja na imagem acima, na tomografia podemos ver que a área responsável pelas emoções (o sistema límbico) da pessoa que sofreu o trauma ficam sobrecarregada.  A hipervigilância é um estado avançado de sensibilidade sensorial acompanhado de uma intensidade exagerada de comportamentos cujo objetivo é detectar a atividade, podendo provocar um estado de ansiedade aumentada que pode causar exaustão.  


Uma pessoa pode tornar-se hipervigilante e sofrer ataques de ansiedade severa o suficiente para induzir um estado delirante onde os efeitos dos traumas relacionados se sobrepõem. É acompanhado por um estado de reatividade física, bem como comportamentos temerosos consequentes, todos operando em conjunto para evitar a possibilidade de perigo.  .

A hipervigilância o mantém em um estado perpétuo de medo, criando a mesma experiência que você tentou evitar. Quando temos medo, colocamos o nosso eu mais assustado no controle, esperando que ele lide com as situações mais complicadas.  Mas os predadores (criminosos, abusadores, etc.) sentem o medo e selecionam suas vítimas com base na percepção de sua capacidade ou vontade de lutar ou se defender. Se você se sentir vitima, com certeza atrairá a atenção deles, e consequentemente será vitima, ficando cada vez mais ansioso e com perfil cada vez mais vitimizado transformando a situação num verdadeiro circulo vicioso.

Esses predadores te testarão antes de um ato predatório para selecionar ou descartar você como um alvo adequado. Se você mudar o perfil que eles projetam em você, e  enviar sinais de alguém pronto, disposto e capaz de se defender, eles procuraram outro alvo, afinal ninguém gosta de apanhar. ser humilhado em publico e ter sua fraqueza revelada.  Abaixo veremos como você deve se preparar a sua mente, corpo, espírito. 








1. Mente




Em primeiro lugar, antes de começar a sua jornada o novo caminho você tem que se conscientizar que você é humano e não pode se definir pelo que aconteceu, ou lhe fizeram no passado. A maioria das vezes, por má orientação não desenvolvemos a consciência da necessidade de autodefesa e vivemos nossa vida tranquilo até acontecer alguma coisa. Só então percebermos que que não devíamos ter sido negligente com a nossa segurança. Outra coisa que acontece muito, e vi muitos alunos que passaram por isso, é que fazem determinada modalidade marcial totalmente inadequada para autodefesa cheia de firula e piruetas, mas não sabem disso até o dia que apanham e são humilhados. E para piorar se convencem que não aplicaram as técnicas infalíveis da maneira correta. Assimilando ainda mais a culpa e a fraqueza como se fosse deles, e não do estilo ou do mal professor. 

Levante a cabeça, muitas vezes aprendemos mais nas derrotas sobre nós do que nas vitórias. Lógico que na rua não é campeonato, então não podemos nos dar ao luxo, de perdermos. Mas uma vez que você decidiu se reerguer vire a página, e comece a traçar a sua trajetória para virar o jogo. Vamos começar com algumas coisas que você precisa para envolver sua mente. 
 
Lembre-se nunca pense que tenha algo errado com você. Existe uma grande diferença entre ter medo e ser covarde. O medo faz parte do nosso instinto primitivo de preservação, está na parte instintiva de nosso cérebro. Ainda mais depois de ser humilhado em público, é normal a sua mente querer te livrar de uma nova situação torturante. Mas se você quer dar a volta por cima, e está lutando por isso já mostra uma coisa a seu favor. Você não é covarde, não aceita a derrota, e não quer ser um eterno perdedor, e lutar contra os nossos medos é necessário muita coragem, força de vontade e caráter.

Lembre-se o objetivo aqui é você recuperar a sua autoconfiança. Como expus acima, não seja duro consigo mesmo. Ao contrário compreenda que a situação que você passou é normal. Pois você estava despreparado. E o mais importante você tem que deixar para trás o ocorrido, e reprogramar a sua mente. Seja seu melhor amigo e sempre se auto ajude.  Em vez de se recriminar e vitimizar-se, pensando:  "Como eu fiz um papelão desse?" Pense: "Como posso garantir que isso não aconteça novamente? Eu serei melhor do que isso! Ao declarar de forma positiva a visão do ocorrido, você facilita o treinamento com força suficiente para corrigir esse erro.  Então, sempre pense " Eu sou um guerreiro"

Depois entenda como funciona o mecanismo do medo que você adquiriu com o evento estressor (a briga que perdeu, e a humilhação).  O medo manifesta-se de maneiras diferentes para pessoas diferentes. Algumas pessoas tremem, outras se sentem agitados ou sentem o estômago virar, ou ainda suas mentes ficam em branco e congelam.  Podem  ter pensamentos negativos, e destrutivos minando seu espírito de luta. A paralisia que você sente em seu corpo desde o dia da sua derrota é chamado na psicologia como explicado acima de  hiper vigilância. O congelamento é causado por falta de conhecimento, falta de treinamento e / ou falta de autoconfiança.
 

E os dois motivos para que o individuo sofra um estado hiper vigilante são: Não saber o que fazer, ou a falta de confiança em sua capacidade de realizá-la com êxito. Na imagem acima, vemos que a agitação desliga o córtex, que é responsável pelos nossos pensamentos lógicos, sobrando para a pessoa apenas os reflexos instintivos como o medo, e fugir da dor.



Então inicialmente é crucial que mude a forma de se ver. Uma técnica ensinada  por profissionais da área de psicologia é  mudar a auto imagem. Visualize alguém que você admira, que seja forte e que você quer ser como ele. Imagine que você é essa pessoa. Pode ser uma pessoa real, ou um personagem fictício. A mente é um computador incrível, se você programar a sua mente em pouco tempo você realmente vai adotar esse perfil para você. Adote os jeitos de se portar e os maneirismo dessa pessoa, ou personagem que você admira, e imagine outros criados por você. E faça um mantra na sua mente que você é o cara mais perigoso  que existe, e coitado do cara que cruzar o seu caminho.

Seja sempre confiante, isso constitui 90 por cento da vitória. Se conseguir fazer isso, você será visto como uma pessoa que ninguém quer confusão já que os bullers gostam de pessoas frágeis, e indefesas. Como dito no tópico anterior os predadores escolhem ou descartam suas vitimas por causa dos sinais e linguagem corporal dos alvos que estão sendo observados.

Segundo pesquisas, quando você muda a sua linguagem corporal, você muda também a sua auto imagem. A maneira como você, anda,  gesticula e interage com outras pessoas afeta projeta um perfil de vítima ou não. Essencialmente, as pessoas que caminham com confiança e facilidade, se movem com coordenação e equilíbrio e basicamente o projeto de "qualidades atléticas" raramente são selecionados. As pessoas que estão atentas ao seu meio ambiente e conscientes de seus arredores também não são alvo de metas.

Então caminhe passos confiantes, mantendo a cabeça erguida, com seus ombros retos, punhos cerrados, e andando lentamente e a passos curtos. Coloque a maioria do seu peso em cada passo.  Você projetará um perfil muito diferente para um agressor potencial e terminará a grande maioria dos confrontos antes que eles aconteçam. Saia da sua zona de conforto e torne-se adaptável a situações de estresse.

Entenda: Se você realmente decidiu recuperar sua autoconfiança para perder o medo de lutar. Entenda que você terá que treinar muito, e principalmente lutar muito. Igual o soro anti ofídico você precisa de doses do veneno para combater o veneno da cobra no seu sistema. Pois só quando você descobrir a sua força física e capacidade de avançar mesmo sendo golpeado você irá perder o medo. Você vai entender que todos os seres humanos são feito de carne, osso, e muitos órgãos vitais, ninguém é inatingível.

Então também comece a trabalhar sua mente para aceitar a dor dos treinos, e faça um compromisso de honra com você mesmo não desistir. Se você perceber que o instrutor é um mal profissional, mude imediatamente mas mantenha a sua promessa pessoal. Continue lutando e não desista apesar do medo da dor. Nunca crie desculpas para evitar as lutas do treino, ou falte nos dias de luta. Como eu disse faça um juramento com você, onde nunca mais se sentirá vulnerável e custe o que custar encontrará a sua força. Com isso você está pronto para o próximo passo o treino.








2. Corpo




Agora que você se programou mentalmente para aceitar a dura jornada, chegou a hora do  treino mão na massa. Entenda se você seguir esse caminho, o de combatente urbano, saiba que exigirá muito de você, porém vamos fazer da maneira correta, para poder evoluir e conquistar o objetivo sem você se machucar pelo caminho.


Primeiro escolha uma arte marcial bem brutal e contundente como boxe ou Muay Thay. Fuja de artes marciais tradicionais. Pois a maioria infelizmente vive de fantasias e esoterismos e auto adoração, e não se preocupam com a segurança de seus alunos.

Crie uma planilha em seu computador com três colunas, bom, regular e ruim, e anote o que você vê na coluna referente. O que procurar?  Erros técnicos, mantendo a guarda, erros de tempo, estratégia e táticas, níveis adequados de atributos físicos (velocidade, energia, resistência), etc. Quando terminar de fazer seu relatório pós treino, leia a lista e pense nisso mais: É verdade o que  escreveu ou você está exagerando nas anotações?  O próximo passo é encontrar soluções para todos os problemas que você identificou e planejar as seguintes sessões de treinamento adequadamente. 

Simultaneamente, analise por que as coisas que você fez excelentes funcionaram tão bem, para que você possa melhorar ainda mais neles. Em seguida, estabeleça algum tempo de treinamento para isso também. Faça tudo isso para cada luta e a cada duas a três semanas para sessões de sparring. Desta forma, você não só terá experiência, você realmente melhorará suas habilidades e trabalhará em seus pontos fracos. Seguindo essa rotina, você vencerá seu medo de lutar mais rápido porque você saberá que está melhor do que era antes. Como saberá? Porque você voltou às suas anotações de sessões ou lutas anteriores, e percebeu que você não cometeu os mesmos erros. Este tipo de conhecimento, enraizado na experiência real, é um dos melhores antídotos para o seu medo de lutar. Alimentando sua autoestima.

Maus Profissionais: Aprender a suportar a dor e absorver golpes é uma coisa, se machucar é outra coisa. Existem muitos profissionais péssimos no mercado. Que não se preocupam com a segurança dos alunos novos. Se você perceber que o professor não é, em relação a ensinar, ou é violento a ponto de você sair todo machucado do treino, saia imediatamente, e comece o mais rápido possível outra academia. 




Musculação: Faça treinamento de musculação e aeróbico, paralelamente com a defesa pessoal que escolheu. Ganhar tônus muscular é ótimo para ganhar força, para golpear e resistir aos golpes e treinamento aeróbico é extremamente necessário para sua  resistência e capacidade cardiorrespiratória. Até mesmo o ator Bruce Lee falava da importância do fortalecimento muscular para o combate.

E além disso, o exercício regular irá liberar endorfinas,  que  ajudara a reduzir a ansiedade. Ajudando assim a você se sentir melhor em relação ao surto de hipervigilância.


Dor: Outra coisa acostume-se com a dor. Eu sei que é difícil, principalmente para quem passou uma situação traumática. Mas além de mentalizar aquela pessoa ou personagem que você admira, imagine que seu oponente vai matar o seu filho, ou esposa, e vai para cima dele. Toda vez que o seu colega te acertar não se encolha, ao contrário. Parta pra cima dele e tente acerta-lo. Se você tiver medo de sentir dor,  nunca vai progredir. Não fique inventando desculpa para fugir do treino e das aulas que tenha luta. Isso é a parte primitiva em seu cérebro querendo garantir a sua preservação por causa do trauma e quer que você fuja. Você tem que passar por isso. Mas se aceita-la com o tempo vai absorve-la e continuará lutando. Lembre o seu foco não é se defender mas sim bater. 



Combo: Com o tempo se você sentir progresso, se possível procure juntar outros estilos ao seu treino. Jiu jitsu é muito bom para o solo, e para imobilização, não que você deve ir para o solo, mas deve que estar ciente que a maioria das pessoas hoje em dia conhece um pouco de solo. Outro muito interessante para seu treino é Kali, pois facas, facão, espada, bastões são técnicas que podem ser adaptadas a qualquer objeto ao dia a dia. 

Então monte um combo de técnicas, mantenha os horários e marque em um papel o seu progresso. 


E mais uma vez:

Você está lá na academia de combate para aprender a bater, e não ficar ouvindo conselhos orientais sobre a paz, e energias do universo; tenha foco, não queira ser enganado por professores medíocres, que vivem de auto adoração. Você é cliente, e quer aprender a causar dano físico em proporções épicas em seus inimigos, para se proteger e a sua família.

Agora vamos a terceira parte da jornada para recuperar seu status de guerreiro urbano: espírito.







3. Espírito





Como vimos até aqui a falta de confiança e o medo, fazem as pessoas congelarem em uma situações crítica.Você aprendeu a se programar a sua mente, e condicionar fisicamente para o combate urbano. Agora você precisa condicionar o seu espírito de lutador para ficar sereno e tranquilo e não enxergar as coisas de maneira desproporcionais gerando o pânico e isso você vai conseguir ativando os quatro hormônios responsáveis pelo nosso bem estar que são produzidos pelo nosso cérebro (você pode ler sobre o funcionamento desses hormônios e como aumentar a sua produção clicando aqui).



Relaxamento: exercícios de respiração profunda ou yoga podem ajudar a relaxar e ajudar a reduzir a ansiedade para que as pessoas possam gerenciar melhor seus sintomas. 



Meditação: Pesquise técnicas de meditação na internet, não precisa ser nada aprofundado, poucos minutos ao dia. Comece com cinco minutos. É o momento que você vai conversar com seu verdadeiro mestre, o seu eu superior, e ouvir a sua voz interior.
Evite experiências negativas no início:  Como disse acima, alguns maus professores   colocam um aluno novo e não treinado contra um lutador experiente. O novato é atingido sem saber se defender, e professor além de não mandar o experiente pegar mais leve, não orienta o aluno novo sobre a guarda e outras coisas, piorando ainda mais o trauma de lutar do aluno. Pesquise, visite academias,  peça para assistir aulas para conhecer, e aproveite para observar como são os treinos. Aproveite e faça todas as perguntas sobre os treinos, e veja como o professor se comporta. Se ele não te convencer como professor, ou não parecer uma boa pessoa. Saia e continue sua pesquisa. Tem ótimos profissionais no mercado.






4. Kits  de autodefesa



Não esqueça de montar o seu EDC de auto defesa. Escolha equipamentos que  possa carregar de maneira furtiva. Treine técnicas e formas de saca-las em forma de defesa para se tornar cada vez mais eficiente.E futuramente faça curso de tiro defensivo e participe de movimentos contra o desarmamento dos cidadãos.






Dicas Importantes:


Não há regras: Na rua não há regras, categoria de peso, intervalo para descanso ou juiz para separar se você cair no chão. 

A melhor defesa é o ataque: Então aprenda a atacar com ferocidade, brutalidade e muita rapidez e violência;

Rapidez: Na rua menos é mais, então resolva a situação o mais rápido possível e depois saia fora. aproveite a força e a adrenalina inicial e tente derrubar o seu adversário de qualquer jeito;

Lute sujo: Use objetos a sua volta, pedra, caco de vidro;

Arremessar objetos: Você pode arremessar objetos na linha de visão do seu adversário, ou cuspir, ou jogar agua ou café do copo que estiver bebendo, e depois que ele piscar olho, pancadaria sem dó;

Lute sujo 2: dedo no olho, morder a garganta, passe areia no olhos dele, fezes, tudo que estiver ao seu alcance na rua;

Dentro da lei: Procure estudar sobre legitima defesa para você não se encrencar perante a lei;

Olhe a sua volta: Lute como se sua vida dependesse disso. Mas tenha consciência do que está ao seu redor, para não ser pego por aliados do seu inimigo;
 
Quebra tudo: Ninguém briga para fazer a outra pessoa se render. Você briga para machucar as pessoas. Você quer se machucar ou ir pra casa em segurança;
 
Aprenda sempre: Em segundo lugar, continue lendo e estudando tudo sobre as quais você pode falar sobre autodefesa (blogs, artigos, livros, seminários) e educar-se sobre a dinâmica e as opções de resposta para situações voláteis.
  
O mais importante: Use o bom senso. As dicas aqui é para você adquirir confiança. conflitos reais sempre devem ser evitados, pois nenhuma das partes não tem nada a ganhar, a não ser três destinos delegacia, hospital e cemitério. Apenas em ultimo caso quando não houver como negociar e sua integridade física e de sua família tiver em jogo. Ai sim,  sem piedade, da maneira mais brutal e sanguinária que puder.








Dicas pra assistir:





Um filme que recomendo como material de estudo, é o filme o Imbatível, a partir do segundo filme até o quarto, pois no segundo em diante conta a trajetória de Iuri Boyka. Um lutador de prisão que quer sempre se superar. Conhece a derrota, e faz tudo para voltar a lutar, e se superar.
 

Seus filmes são ótimos, mas lembre-se aqui é para analisar a mentalidade de um verdadeiro guerreiro e não acreditar que as técnicas são reais. São apenas coreografias muito bem feitas, por ótimos profissionais. Que dão impacto as cenas. Na vida real você não vai ficar igual um pião rodando pelo ar. Na rua menos é mais.






Conclusão


Como vimos a melhor forma de perder o medo de luta, é justamente aprendendo a lutar corretamente. Porém com a mente e o coração de um combatente urbano, sem ilusões e firulas. E o objetivo maior é você passar uma imagem de autoconfiança que faça os predadores te descartarem como alvo, afinal ninguém quer ser machucado ou envergonhado publicamente. 

A importância da preparação é você nunca passar por isso, mas caso você passe, tem que sair dessa crise o mais rápido possível. Pois afinal quem vai proteger a sua família? O Batman? Ou o Chapolin Colorado? E você já conheceu alguém que foi humilhado publicamente e desistiu de se impor? Ou alguém que conseguiu dar a volta por cima?



Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.
 

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

 

Colaboração:

Dr. David S.

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...