domingo, 18 de fevereiro de 2018

Predadores Urbanos: Como evitar e agir em caso de sequestro?



Sequestradores, hoje esse tipo de predador não foca em uma classe social específica. Todos são vítimas em potencial. Só na cidade de São Paulo foram registrados 129 casos de sequestro relâmpago apenas entre janeiro e abril de 2017. De acordo com dados levantados pela GloboNews, quase 8 casos por semana. 

Um crime considerado hediondo, tem o agravante para a vitima, pois não há certeza se realmente soltarão depois de serem pagos. Mas o que fazer diante  de um crime, que basicamente pode acontecer em qualquer lugar e qualquer hora? Como prevenir? E uma vez pego, como proceder? Vamos observar com muita atenção os próximos tópicos.











Sequestro: Quem pode ser vítima?



Os sequestro se dão de várias forma, ou por vários motivos. Geralmente são por dinheiro mediante extorsão dos familiares. Mas também pode ser tráfico de seres humanos, estupro, ou vingança tentando levar a pessoa para outro cenário, para executá-la.


No primeiro caso geralmente as vitimas são: empresários (grande e médio porte), familiares de pessoas ricas ou famosas, crianças e adolescentes.
E como foi dito acima, nos últimos anos temos visto aumentar, de modo extraordinário, o número dos chamados SEQUESTROS RELÂMPAGOS, onde a vítima pode ser qualquer pessoa que se dirige a um caixa eletrônico para fazer um saque, ou sai de um banco aparentando ter algum dinheiro.

Esse tipo de sequestro dura em geral poucas horas e é a própria vítima quem paga a sua libertação, depois de ser obrigada a sacar, em caixas automáticos, pequenas somas em dinheiro.






Dicas para prevenir sequestros




Prevenção como já falei em diversas postagens é 90 por cento da autodefesa. É igual o principio do Jiu Jitsu, tem que fazer de tudo para o adversário não completar a chave, pois depois fica mais complicado, para não dizer impossível. Então aqui vão algumas dicas de prevenção:

Procure levar uma vida discreta, não fique contando vantagens, e falando de detalhes sobre as suas posses. Evite atrair a atenção de possíveis sequestradores. Não use jóias caras em público, nem fale para os outros quanto você tem em sua conta bancária. Lembre-se de que a maioria dos roubos e sequestros foram planejados por empregados domésticos que tinham conhecimento completo da vida financeira das suas vítimas;

Evite, a todo custo, dar informações importantes por telefone; oriente seus familiares, empregados e funcionários para não responderem a perguntas relacionadas com os bens, patrimônio, viagens, horários de chegada ou saída e outras perguntas suspeitas; mesmo quando a pessoa se disser amiga, funcionária ou alegar parentesco com alguém da família. Já foi demonstrado em várias matérias na mídia que os detentos que  pertencem a facções criminosas chegam até mesmo a simular falsos sequestros por telefone de dentro de presídios, para que a vitima com o pânico do momento dar o dinheiro para um comparsa que está nas ruas. Então sempre suspeite dos telefonemas solicitando determinadas informações sobre: nome dos moradores, notícia sobre viagens, promessas de prêmios ou negócios em geral, interesses sobre os hábitos da casa e outros pormenores;

Cuidado com o que coloca em redes sociais; muitas pessoas filmam e fotografam o interior de suas casas, colocam a academia, faculdade, cursos que frequentam bem como a hora que chegam e sai, quantas pessoas tem em sua  casa, criança, idoso. É incrível a quantidade de informações criminosos conseguem em redes sociais, sem o mínimo esforço;

Evite exibir ou comentar publicamente ou na presença de empregados e funcionários os valores dos seus bens, planos de viagens, aquisições de imóveis ou bens de grande valor.
Instrua as crianças, e os empregados de confiança, sobre a importância de não comentar com pessoas estranhas sobre os hábitos da casa, trabalhos ou rotinas da família;
Não deixe anotações sobre negócios, extratos bancários ou talão de cheques em lugares que possam ser vistos por empregados ou funcionários da sua empresa. O melhor é ter sempre um pequeno cofre de segredo para guardar documentos dessa natureza;

Tenha muito cuidado com as suas chaves. Não dê a chance de alguém reproduzi-las. Jamais guarde as chaves da sua casa ou empresa nos locais de costume (dentro de vasos, debaixo de capachos, dentro de caixa de correios e similares). O melhor é deixar sempre cópias com algum familiar de confiança para o caso de emergência. Não coloque qualquer identificação (nome, endereço ou telefone em seu chaveiro) e, caso perca suas chaves, mande trocar o segredo das portas imediatamente e faça novas chaves. Você nunca saberá se as perdeu ou se foi roubado por um futuro sequestrador;

Mesmo que tenha muito dinheiro, evite exibir-se constantemente com carros de luxo. Se gostar de dirigir um veículo muito caro, precavenha-se com blindagem, película de escurecimento e outros dispositivos de segurança, tais como rastreamento por satélite etc.

Não estacione seu veículo em locais ermos ou zonas onde os riscos de um sequestro relâmpago sejam grandes. (veja o item CARROS). Utilize estacionamentos pagos e com guardas que fazem segurança do local;

Procure variar dia a dia suas rotas, o local onde estaciona o seu veículo etc. Muitos sequestradores selecionam suas vítimas por suas rotinas inflexíveis. Quando notam que suas prováveis presas mudam sua rotina, abandonam seus planos e partem para outros mais previsíveis. Permaneça sempre com atenção redobrada no seu carro e, se tiver que parar num sinal, procure o lado esquerdo da pista, de modo a não permitir que outro veículo pare ao seu lado (do motorista);

Aos caminhar pelas ruas, preste sempre atenção ao seu redor, e ande sempre no meio da calçada;

Se alguém parar com o veículo ao seu lado te chamando pra pedir informação, diga que está com pressa e se afaste; 
Procure conhecer a vida pregressa dos seus empregados fixos, principalmente os domésticos (faxineiras, cozinheiras, babás, jardineiros, limpadores de piscina, vigias, porteiros etc. Não confie apenas em agências de emprego. Solicite referências e procure checar as mesmas. Peça ATESTADO DE BONS ANTECEDENTES, o qual pode ser retirado em uma delegacia de polícia. Tire fotografia dos que trabalham em sua casa e faça um dossiê completo, guardando tudo em local seguro. Essas informações podem ser valiosas ao trabalho da polícia num caso de sequestro ou roubo à sua casa. Tenha cuidado com ex-funcionários. Desconfie daqueles que entram em sua casa e, pouco tempo depois, desaparecem ou pedem demissão. Muitos trabalham para sequestradores e podem fornecer informações importantes sobre a sua vida e de seus familiares;

E guarde sempre os dados dos ex-funcionários, pode ser muito útil no futuro.




COMO AGIR DURANTE UM SEQUESTRO




Você foi pego de surpresa. E não teve como agir. O que fazer?


Procure se controlar 

Sabemos que é difícil, para qualquer pessoa, manter a calma numa situação tão grave como a de ser vítima de um sequestro, mas não há escolha. Ou você se controla, ou piora as coisas, com o nervosismo e descontrole emocional. Umas das técnicas universais para manter o controle emocional é respirar;

Os bandidos, sejam eles amadores ou profissionais, têm dificuldade em controlar uma situação de sequestro quando a vítima se descontrola. Eles sabem que uma pessoa que grita, chora ou quer tentar fugir desesperadamente pode comprometer o objetivo principal da ação criminosa: o dinheiro do resgate. Eles farão tudo para conseguir isso, mas se perceberem que não podem controlar a
vítima, terão que matá-la.

Assim, se você é uma pessoa que se descontrola com facilidade, faça cursos de Yoga, Tai-chi-chuan, meditação, enfim, qualquer coisa que lhe ajude a controlar os nervos. Esse autocontrole poderá lhe salvar a vida numa situação de sequestro.

Obedeça, sem titubear, as ordens que lhe derem. Não fale, se não lhe permitirem. Se precisar falar alguma coisa, pergunte se você pode falar com eles. Não discute nunca. Não os encare, pois isso pode ser interpretado como atitude de desafio. A melhor atitude é a de aceitação passiva e obediente.



Mantenha sua mente em estado de alerta para detalhes


Tudo quanto você puder guardar em sua memória será importante, não só durante o sequestro, mas também depois, para auxiliar na investigação policial. Esteja, portanto, alerta quanto a:
Tempo gasto de deslocamento do local onde você for sequestrado até cativeiro;
  
Odores no local onde ficar ou passar;

Sons diversos (máquinas, oficinas, mar, rodovias, etc.);

Fisionomia dos que participaram do sequestro;

Detalhes quanto a altura, peso aproximado, sinais particulares;

Nomes e apelidos que porventura ouvir entre eles;

Armas que usam;

Marca de cigarro que usam;
Tipo de fala (sotaque);

Atitude (calmo, nervoso, irritado, tranquilo etc.);

Tipo de estrada que viajar (se estiver com os olhos vendados poderá saber se trafega por estrada de chão, com buracos, com asfalto etc);
  
Aspecto do cativeiro onde ficar;

 Detalhes de roupas, sapatos, máscaras, chapéus etc;

 Detalhes em carros (placas, cor, modelo etc.);

 Rotina dos sequestradores;

 Identificar quem são os líderes;

 Mudança de clima;

 Alternância entre o dia e a noite;

 Tudo mais que achar que é importante memorizar.

Ocupe a sua mente

Nada pode ser pior para uma pessoa em cativeiro do que o ócio, a falta do que fazer. Para evitar o pânico, peça aos sequestradores alguns livros, revistas, palavras cruzadas, videojogo ou toca-fitas etc. Provavelmente, se eles forem sequestradores profissionais, não deixarão você assistir televisão ou ouvir rádio, nem mesmo ler jornais do dia. Os profissionais sabem que quanto menos informação você souber sobre eles, mais fácil será de controlar a situação. Por outro lado, você também deve controlar a sua ansiedade sobre os acontecimentos. Portanto, não peça rádio, televisão ou jornais para ver. A mídia pode revelar boatos que não farão bem ao seu estado de espírito, que deve ser o de calma e equilíbrio.





Esteja pronto para fugir


Uma pessoa que esteja permanentemente sob a mira de armas de seus sequestradores não deve pensar em fugir. Mas, sabe-se de muitos casos em que os sequestradores (principalmente os amadores), por estarem cansados ou por descuido, deixaram oportunidades para que os sequestrados fugissem. E ainda há casos como citados acima, no inicio da matéria que o objetivo do sequestro não é dinheiro. Caso seja pego e perceber que o interesse é apenas dinheiro nunca reaja contra um indivíduo armado, porém se perceber que o objetivos são outros como dito acima: estupro, tráfico de seres humanos, nunca vá para o cenário numero dois, pois será o seu local de execução, observe a oportunidade e reaja a todo custo para não chegar ao destino. Porém em casos de sequestro comum, vai aqui umas dicas:

Nunca dê sinais de que vai fugir se tiver oportunidade. Isso fará com que os sequestradores afrouxem a sua vigilância. Eles até poderão testar sua coragem, deixando uma porta ou janela aberta. Só empreenda uma fuga se tiver certeza das suas chances de sucesso;

Em muitos casos, a vítima só foi capaz de fugir por saber que se encontrava numa área muito populosa, onde seria fácil encontrar ajuda. Se o cativeiro estiver em local deserto ou matagal, pode ser tão perigoso fugir quanto permanecer nele. Mas não perca a chance de fugir, se perceber que isso é seguro e possível. Mas em nenhum momento ataque um sequestrador;

Você até pode ter sucesso, mas o medo, a ansiedade e o nervosismo de uma situação de morte podem reduzir suas chances de fuga. E o pior, se for apanhado poderá pagar com a vida.




TÁTICAS DE EVASÃO USANDO VEÍCULO


Procure cursos oferecidos por escolas de treinamento anti-sequestro são ensinadas várias táticas de evasão (fuga), direção defensiva. Tem vários cursos no mercado com ótimos profissionais de áreas de segurança, pesquise.  A maioria das técnicas  só pode ser empregada por pessoas treinadas, mas algumas dicas podem ser colocadas em prática por qualquer pessoa que se encontre em situação de perigo, na iminência de ser vítima de um sequestro. Estando num veículo e se dando conta de uma tentativa de sequestro, é possível evitar ou mesmo minimizar os riscos deste acontecimento. Siga estas dicas:

• Ao perceber que está sendo seguido circule o quarteirão, reduza e
aumente a velocidade e veja se o carro que você acredita esteja lhe
seguindo ainda o acompanha. Se estiver usando celular, avise imediatamente à polícia ou a familiares, dizendo onde você se encontra e descrevendo o veículo, placa e tudo mais que puder;

• Procure memorizar as características do carro e, se possível, dos seus ocupantes;

• Mantenha a calma, se o carro continuar lhe seguindo. Evite as ruas
desertas ou caminhos que você não conheça;

• Nunca encoste no carro da frente, mantendo-se numa distância que lhe possibilite manobra para ultrapassagem;

• Coloque outro veículo entre você e o seu perseguidor, evitando assim um bloqueio de rua;
 
• Dirija com o máximo de atenção possível, sem colocar em risco a vida de passageiros ou pedestres, mas procure chamar a atenção da Polícia para o seu carro (dispare a buzina ou ligue o alarme, por exemplo);

Estas medidas poderão desestimular os bandidos em continuar a perseguição.


• Busque um abrigo, ou proteção, indo em direção a postos policiais que conheça ou locais com movimento de pessoas e veículos. Tudo que um sequestrador não quer são testemunhas e dificuldades em um trânsito;

• No caso de realmente ocorrer uma clara tentativa de sequestro, procure colocar seu carro em posição, de forma a não ficar bloqueado pelo bandido. Ligue o celular para o número da polícia e esconda-o em um local que não possa ser visto pelos sequestradores. Procure aparentar medo (o que será até natural estar sentindo), mas fale como se estivesse sendo confundido com alguém. Diga, por exemplo, seu nome e informe que você estava vindo à casa de alguém, na rua “tal” (local onde você se encontra). Se, por sorte, a polícia receber seu telefonema estará ouvindo e gravando essas informações, que serão importantíssimas para solucionar o caso;

• Se tiver chance de escapar do veículo, faça-o apenas se tiver certeza de que terá reais chances de fugir no meio de uma multidão. Dificilmente um sequestrador tentará persegui-lo numa situação dessas;

• Em qualquer caso, se ouvir disparos em sua direção proteja a sua cabeça, mas saiba que um sequestrador não tem a intenção inicial de matar sua presa. Ele precisa dela viva para poder pedir um resgate. Se a pessoa a ser sequestrada morrer, eles terão fracassado.




Lockpicking 



Lockpicking  arte de abrir cadeados e fechaduras é uma habilidade fantástica para um sobrevivencialista e combatente usar em casos de emergência, como dito acima em casos onde sequestradores, aparentemente inexperientes derem espaço para uma fuga, é bom saber abrir, cadeados, portas, fechaduras, algemas. 




Na internet  você vai encontrar kits por bom preço para praticar, e também vários cursos em vídeo. Mais uma habilidade para o combatente urbano adquirir.







Instrumento para fuga


 

Pra você sobrevivencialista e combatente urbano, tem um instrumento que  muito bom para ter no seu EDC, e  você mesmo pode fabricar. Eu fiz e testei várias, como sugiro que você teste, e guardar em baixo da palmilha do seu calçado, (sapato, tênis, botas). Com uma tesoura quebrada, ou faquinha de cozinha sem cabo, você pode aproveitar para fazer esse instrumento.



De um lado você deixa a ponta e deixa afiado, pode servir para cortar cordas, ou mesmo em ultimo caso para matar, salvando sua vida, rasgando a jugular por exemplo. Do outro lado você vai desbastar e deixar com formato de chave mixa. que poderá ser usado como falamos acima para abrir alguma, porta, cadeado.








O QUE FAZER DEPOIS DO SEQUESTRO



Todas as pessoas que já tiveram o desprazer de sofrer algum tipo de furto, roubo ou sequestro, sabe o quanto é doloroso e angustiante. Se por infelicidade, algum dia você estiver envolvido nesses tipos de violência, veja as principais dicas:

 Não tente perseguir o bandido; o melhor a fazer é afastar-se do local se o fato se deu em via pública;

 Procure abrigo em um estabelecimento ou casa e peça ajuda;

 Procure se controlar. Manter a calma em situações de perigo ajuda a encontrar as melhores soluções;

 Ligue o mais rapidamente possível para o telefone da polícia (190 – na maioria das cidades brasileiras) com todas as informações possíveis em mãos ou na ponta da língua (endereço preciso, descrição, direção da fuga, etc);

 Encaminhe-se para a delegacia mais próxima ao fato (não da sua casa);

 Divulgue a seus familiares e amigos isto é muito importante. Não é simples sobreviver a um assalto, sequestro ou outro tipo de violência. Aqueles que tiverem o infortúnio de serem vítimas de criminosos, sabem que não é fácil superar o trauma e enfrentar a vida outra vez do mesmo modo. É difícil continuar sendo otimista, achando que a vida é bela, quando se foi torturado, roubado, estuprada, massacrado ou mesmo se teve a infelicidade de perder um ente querido de forma violenta;

Aqueles que sobrevivem a acontecimentos como estes, costumam apresentar um quadro  conhecido em psicologia de Estresse Pós-Traumático. Este quadro pode levar dias, meses e até anos, dependendo da intensidade da violência sofrida, da capacidade de reabilitação da pessoa e do tratamento adequado;

Cada pessoa desenvolve um conjunto de reações bem conhecidas, que vão desde a uma euforia e excitação, até o depressão profunda, perda da vontade de viver e tentativa de suicídio, sentimento de culpa, repetição mental mecânica, amnésia total ou parcial e em alguns casos até Síndrome de Estocolmo ou síndrome de Estocolomo (Stockholmssyndromet em sueco) é o nome normalmente dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação, passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor.



COMO TRATAR ESSES SINTOMAS?

Em qualquer dos casos a recomendação é encaminhar a pessoa traumatizada para um atendimento psicológico. O profissional fará uma avaliação para ver o grau de modificação comportamental sofrida pela vítima e iniciará o acompanhamento com sessões psicoterapêuticas que poderão ser uma ou duas vezes por semana ou com uma espaço de tempo maior, conforme o caso. Se for necessário uma medicação para baixar o nível de ansiedade ou controlar a depressão, o psicólogo encaminhará a um psiquiatra para esta finalidade.






Lembre-se:




Lembre-se procure sempre aprimorar suas técnicas por você e sua família. Seja o seu guarda costa e sempre e em qualquer circunstância mantenha a consciência situacional sempre observo tudo a sua volta, onde você entra ou quando está saindo de um estabelecimento.

E não esqueça de lutar pelo seu direito de porte de arma, é um direito constitucional, apoie movimentos armamentistas.



Conclusão


Como dito acima, o sequestro assim como qualquer outra situação envolvendo o tema segurança, deve-se sempre focar a maior parte  na prevenção. Mas uma vez que não seja possível, observe se o objetivo do criminoso é pecuniário ou outro. Nunca vá ao segundo local de crime se está claro que não é um sequestro comum com objetivo de ganho financeiro. aprenda e desenvolva sempre técnicas mentais e seus equipamentos de segurança, podem salvar a sua vida. E principalmente além da atenção e consciência situacional, lute pelo seu direito ao porte de arma.


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.
 

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

 

Colaboração:

Dr. David S.

 

 

 

 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...