quarta-feira, 7 de março de 2018

Combate Urbano: Alienação Marcial vs Realidade das Ruas


Como sempre digo, eu gosto de todas as artes marciais. Porém cada uma tem um foco: Terapêutico, coreografia, combate esportivo, e autodefesa. Aqui nesta postagem como sempre, estou escrevendo com foco para os combatentes urbanos, ou seja a violência das ruas. Para aqueles que acompanham a realidade policial do país, e querem se proteger e a sua família.

E como disse em outras postagens ao longo desses 35 anos como praticante infelizmente me deparei e tive conhecimento de vários casos, de alunos que morreram ou se feriram iludidos por professores. Alguns realmente mal intencionados que vendiam fantasias infantis para poderem viver de auto-adoração. E outros que simplesmente repassavam o que aprendiam sem qualquer senso critico, formando uma corrente  perigosa de ignorância e misticismo. Então hoje vou estar explanando quais as principais diferenças entre a alienação marcial, e o que  realmente é voltado para a violência urbana.






Evolução das Artes Marciais



A autodefesa como qualquer outra área do conhecimento humano passou por dois momento: O momento antes, e o momento depois da evolução técnossocial. O primeiro momento na sua era  primitivista, o homem primitivo junto a natureza buscava meios para sua subsistência e a de seu grupo. E principalmente manter sua integridade física e de sua família.







Não existia academia de artes marciais, então ele se valia de instinto, experiência. Trabalho em grupo e baseado nas armas que carregava, para cortar, rasgar atravessar os inimigos. Não existia divisão de estilos de ataque limitando os movimento do homem, ele tinha que ser livrar de ataque dos seus inimigos seja membros de outros grupos, ou animais valendo-se da sua força de vencer e de querer derrubar o alvo. Não havia estilo punho dourado do pterodáctilo, garra do tiranossauro, brontossauro duas luas. 



Depois veio a evolução técnosocial, onde a evolução do conhecimento passou por três fases :  fase mítica ou religiosa, a fase filosófica e a fase científica.






Fase Religiosa e Mítica





O termo "artes marciais" é vinculado ao deus da guerra romano Marte que, na mitologia grega, era chamado Ares. Pois refere-se à arte da guerra, , segundo a mitologia romana, são as artes militares ensinadas aos homens. Hoje em dia, o termo artes marciais é usado para todos os sistemas de combate de origem oriental e ocidental, com ou sem o uso das tradicionais armas de artes marciais.


No oriente não foi diferente, religião e artes marciais sempre andaram juntas no passado. Monges taoistas praticavam defesa pessoal. Um aluno que conseguisse ser aceito no templo tinha toda a formação. Infelizmente mesmo com o passar dos séculos, com a própria destruição da tradição de artes marciais do templo Shaolin, o mundo ainda compra a imagem de que religião e artes marciais são as mesmas coisas. Esse tipo de associação, reforçada pelos filmes orientais abriu as portas para os maus intencionados. Estes maus elementos que conseguem se tornar professores, criam uma um grupo de auto-adoração com alunos   mentalmente frágeis e com baixo autoestima, que espelham nele um guru, para lhes dizer os segredos da vida.







Fase Filosófica

 

Felizmente tanto no oriente como no ocidente surgiram homens com ideias bem a frente do seu tempo, surgindo assim a filosofia. Onde o o homem por meio da observação e questionamento, parou de aceitar respostas mágicas de sacerdotes, e começaram a desenvolver estudos para chegar a sabedoria e o conhecimento, criando metodologia de estudos e pesquisas.


Nas Defesa pessoal, temos como referencia filosófica Bruce Lee,  foi o profissional de artes marciais que trouxe a necessidade de questionar e analisar, se realmente determinada estilo é funcional ou não. E esquecer todos os misticismo e superstições a que estavam atrelado as artes marciais. E apontou sua principais falhas, e como muitas pessoas ainda estavam cegas aprendendo um monte de movimentos que não servia para nada, apenas para deixar mais confuso o praticante.






Fase Científica



A ciência representa todo o conhecimento adquirido através de estudo ou da prática, baseando em princípios certos. O termo ciência deriva do latim scientia, sujo significado é "conhecimento" ou "saber". Com o passar de tempo muitos profissionais da área de segurança analisando as artes marciais, realmente viram que  o termo de arte marcial tinha se tornado muito abrangente com o passar dos anos, e isso atrapalhava quem estava procurando autodefesa. Pois já existiam:

a) Sistemas só para fins terapêuticos;

b) Sistema para combate com regras;

c) Sistemas para autodefesa (combate urbano).

No caso da autodefesas foi sendo incorporada e estudada a cada novo sistema ramos da ciência, tais como: Biologia, anatomia, mecânica, psicologia, princípios de alavanca, conhecimentos de estratégia, direito, entre outras. Deixando  autodefesa de ser apenas uma tradição, ou uma simples pratica de luta, para se tornar algo maior, uma ciência. A qual eu defino da seguinte forma:
 
Autodefesa é a ciência humana que estuda meios para proteger a integridade física, e psicológica do individuo, contra a violência, fazendo uso de diversas outras  áreas e métodos de diversos  do conhecimento humano. 



A ciência é composta por três componentes:  a observação, a experimentação e as leis. Visa a união entre o conhecimento teórico, a prática e a técnica. Não se utiliza de suposições, mas da comprovação após a aplicação do método científico.


Diferente do senso que é simplesmente obtido da experiência particular do indivíduo, ou de determinado grupo. Conseguido apenas pela rotina, sem se preocupar com fundamentos científicos.




Hoje a autodefesa se beneficia de áreas de estudo como  anatomia, fisiologia, psicologia, física, estratégia, conhecimentos táticos militares, direito entre outras.
 
Agora que ficou claro como foi a evolução do conhecimento humano relacionado com as formas de autodefesa bem como seu desmembramento. Nos próximos tópicos vamos ver as principais diferenças entre alienação marcial, gerando ferimento e morte de alunos, e sistemas de autodefesa desenvolvidos por profissionais da área de segurança para a realidade brutal das ruas.






Alienação mental e Realidade das ruas
 


A maioria das pessoas pensam que as artes marciais tradicionais são  autodefesa. Essa suposição equivocada é propagada por Hollywood e pela mídia. Em programas de TV e revistas de artes marciais ainda vemos professores de artes marciais com sua roupas típicas orientais de cetim colorido, ensinando movimentos bonitos que dizem que podem ser usado por qualquer pessoa, em qualquer situação. Ou ainda mostram vídeos fakes que rodam pelas redes sociais de "criminosos" com o rosto coberto de capacetes ou toca ninja, apanhando de praticante de artes marciais fazendo acrobacias. 

O fato é que essas pessoas não tendo o mínimo de preocupação com a vida de outras pessoas, estão preocupados apenas com auto promoção. Mesmo por que muitas Federações de artes marciais orientais, servem de fachada para tríades fazerem os seus negócios, e conseguir prestigio e posição social em outros países. Basta pesquisar na internet e verá noticias sobre prisão de diretores de federações e outras instituições marciais, presos por fazerem parte de grandes redes de contrabando e trafico humano.
 
Um grande problema na questão da alienação marcial é que a pessoa perde sua capacidade crítica. Muitos  praticantes maravilhados com as façanhas que vem nos filmes de Jet Li e

Donnie Yen , começam a usar seus trajes orientais até para passearem, fazerem compras, ir para faculdade. Muitos vão atrás de cursos de língua oriental,  e ainda acreditam que podem desenvolver poderes místicos (levitar, ficar invisíveis, telepatia, emanar energia cósmica). Ficam vivendo mentalmente na idade medieval oriental.


Essas pessoas são condicionadas a praticar formas ( coreografias) e acreditam ser crucial para o desenvolvimento de suas habilidades. 

Hoje em dia por exemplo, vejo na internet nos fóruns de artes marciais, muitos praticantes de artes tradicionais dizendo que o ator Donnie Yen é o novo Bruce Lee, e que conseguiria espancar todos os lutadores de MMA e na rua. Isso por causa dos filmes "O Grande Mestre". Geralmente sempre citam a cena memorável do primeiro filme onde ele luta com dez caratecas. Olhem as imagens abaixo, coloquei a cena do filme do Ip man, junto com cenas  de luta Arrow e  do filme do Batman, você pode ver que não há muitas diferenças. Isso por que são apenas coreografias ensaiadas várias e várias vezes. 



Os seus professores que muitas vezes tem a intenção de manter a farsa, afirmam a seus discípulos, que seus estilos levam toda a vida para aprender, o que lógico visa gerar o vínculo eterno com a academia,  pagar toda a vida a mensalidade. Esses movimentos não têm base na realidade das ruas, apenas como atividade esportiva. As artes marciais tradicionais e culturais são úteis para: Disciplina, consciência cinestésica, aptidão, flexibilidade, autoestima, dondicionamento fisico, trabalho cardiorespiratório. Não se engane em pensar que você será capaz de efetivamente se defender em um confronto de vida e morte. 

 
           Nossa, o cara segurar a bala com a ponta dos dedos, que estilo será que ele pratica?




Realidade das ruas


Autodefesa do mundo real é noventa por cento  prevenção e consciência situacional. Desenvolver habilidades de conscientização sólidas, seguindo sua intuição e tornando-se indesejável como um alvo predatório (ou seja, ser um "alvo difícil") ao não dar uma vibração "vítima/presa". Uso progressivo de força. A utilização da negociação, para evitar que uma situação simples possa sair do controle.


Combates adaptativos realistas em um ambiente operacional ou de rua moderno, autodefesa, contramedidas defensivas operacionais. Treinamento  em um ambiente realista com atacantes totalmente resistentes, usando modernos sistemas de armas e defesas contra elas, utilizando habilidades motoras grosseiras. Aprender a se defender contra múltiplos atacantes, também devem oferecer treinamento, prevenção de estupro, contra vigilância, situações de reféns e defesa de agentes químicos, entre outras coisas.
 

O objetivo é sobreviver e escapar. Sistemas como krav maga, kapap, kali / arnis, kombato são alguns dos sistemas que se preocupam em manter seus alunos vivos.



No combate esportivo nós temos:

1. SENSIBILIZAÇÃO: ambas as partes estão plenamente conscientes da luta antes do tempo.

2.  PREPARAÇÃO: preparação mental, emocional e física é feita com frequência meses antes do tempo.

3. CONSENTIMENTO: acordo prévio de que ambas as pessoas lutarão entre si em um horário e local específicos. Em outras palavras, ambas as partes estão dispostas a participar e querem estar lá.

4. REGRAS / AMBIENTE: regras de segurança (sem armas, sem atacantes múltiplos, "movimentos ilegais", etc.), limites de tempo / rodadas, presença de um árbitro, ocorre em um ambiente seguro livre de bordas de concreto, cascalho, vidro quebrado , água, carros em movimento, etc. Todos esses fatores mantêm a segurança para que ninguém seja gravemente ferido ou morto.

Em uma situação de autodefesa, nenhum dos pontos acima mencionados está disponível para a "vítima". 

Na rua o foco é  pimitivismo e brutalidade máxima focada para neutralizar a ameaça.

Uma das características que estabelece o treinamento baseado na realidade além das artes marciais tradicionais é a maneira como lidam com a resolução de conflitos. Isso é dividido em três fases distintas. Ou seja, a fase pré-conflito, a fase de conflito e a fase pós-conflito.


A fase pré-conflito: pode ser a parte mais importante de um evento. É onde 90% da altercação pode ser evitada completamente; isto é, com consciência adequada, evasão, comportamento e habilidades sociais e verbais apropriadas. Este assunto ainda não é abordado nas escolas tradicionais;
 

A próxima fase é a fase de conflito: que é a luta atual. Considerando que a abordagem baseada na realidade enfatiza o ataque preventivo, os movimentos motores grosseiros e o ataque com o mais alto nível de força; Os artistas marciais preferem a abordagem tímida ou defensiva (aguardando o ataque), a utilização de habilidades motoras finas (técnicas extravagantes) e o uso do menor nível de força, apenas o suficiente para fazer o trabalho - o que pode ser um erro fatal. O treinamento baseado na realidade concentra-se no que realmente acontece na rua; ataques de surpresa e emboscadas.


Pós-conflito: e é aqui que temas como  primeiros socorros, esperando (ou não) para as autoridades, o que dizer às autoridades quando chegarem, como lidar sua defesa legal, etc. O treinamento de autodefesa é o único método que até mesmo discute esse assunto.


Conflito-Cenário-Treinamento
 
Treinamento que simulam cenários baseados na realidade devem replicar a "situação real" o mais próximo possível, preparando ambientes encenados, usando armas, provocando a resposta de adrenalina e usando sangue falso etc. Para os não informados, isso pode parecer supérfluo, mas em pouco tempo esse tipo de treinamento produz resultados mais benéficos do que anos de sparring e movimentos dançantes dos estilos tradicionais. Esse condicionamento verdade te possibilitará no momento do ataque quando seu cérebro consciente sai de cena, seu cérebro primitivo devidamente condicionado com técnicas estratégicas (reptiliado)  vai assumir e irá responder prontamente para "luta ou fuga". Se você treinou em simulações de "evento real", sua chance de sobrevivência é imensamente aprimorada.

 

Para ver as diferenças, entre real e alienação marcial, basta você pode dar uma olhada em alguns dos muitos vídeos disponíveis na internet, que mostrarão rapidamente como os métodos tradicionais de luta e treinamento de artes marciais são muito diferentes dos sistemas baseados na realidade focados unicamente no ensino de autodefesa para as ruas.







1. Misticismo




Mesmo com a evolução da tecnológica dentro do combate urbano, existem estilos que se apegam ainda a fase mítica e religioso.  Muitas pessoas fragilizadas com a violência, seja doméstica, bullying, vitimas de crimes, buscam as artes marciais para tentar recuperar a sua força. Porém por falta de conhecimento ou medo de se machucar, ou ainda iludida com os filmes de artes marciais, acabam entrando em academias de determinadas artes tradicionais. E os professores desse segmento procuram manter uma aura em suas academia de esoterismo e espiritualidade, com musicas de filmes ao fundo e incenso, para que estas pessoas se sintam acolhidas em um templo oriental.

Sem qualquer conhecimento real de autodefesa, enchem a cabeça dessas pessoas já fragilizadas com uma mix-esotérico, uma mistura ensinamentos de meia dúzia de livros de autoajuda que comprou em sebo, com frases da Bíblia, frases de filmes chineses, contos, lendas, espiritismo.  Eu  já testemunhei casos em que o professor nem dava mais aula, simplesmente ficava sentado no tatame, e conforme ia chegando os alunos, ia perguntando sobre as suas vidas, relacionamento, faculdade. E eles ficavam sentados a sua volta enquanto ele falava sobre ufologia (discos voadores), passagens bíblicas, episódios de animes tipo Dragon Ball, e ainda contava histórias fantásticas da sua juventude, que já havia lutado diversas vezes contra vários criminosos graças a seus poderes sobre humanos proveniente das artes marciais milenares, e energia (Chi).


E também já vi outros professores ensinando sobre energia cósmica (chi), pontos dos chakras, e que o corpo humano tinha 3000 (!!??) pontos de acupuntura, e que esses mesmos pontos poderia ser usados tanto para curar, matar, e ainda deixar o oponente paralisado, só que esse tipo de treinamento demandaria uma vida. E ainda ensinava, que a captação energia cósmica (chi kung) poderia ser usado com técnicas marciais igual acontece em desenhos japonês. O praticante golpeia o oponente, e sua energia atravessa o corpo do inimigo, causando hemorragia interna (!!??). E só quem consegue enxergar essas energias são as pessoas que desenvolvem a terceira visão (!!??), conseguindo enxergar a energia nas mãos.



Um bom exemplo dessa confusão marcial religiosa, é a imagem de kuan kung nas academias, a qual o aluno ao entrar é obrigado a reverenciar, e deixar oferendas (frutas, incenso) . A lenda conta que kuan kun veio ao mundo como um santo, sua mãe, teria botado um ovo vermelho. Seu pai ao ver o ovo ficou enfurecido,  não sabendo se sua esposa tinha dormido com algum animal, sem pensar usou uma faca para matar o que tinha no ovo. E como não teve tempo da sua mãe chocar o ovo, ele nasceu antes da hora com o rosto vermelho.  E que ao crescer se tornou um guerreiro invencível, e ao morrer se transformou em deus da guerra. (??!!?)

Acreditem ou não, eu vi essa história ser contada por vários professores tradicionais, e pelos alunos antigos que aprenderam com este, e  como uma lavagem cerebral todos acreditavam, e passavam para frente, para os alunos mais novos.


A mãe do Kuan Kung botou ovo, e ele nasceu desse ovo.

Tanto quando se chegava a faixa, o aluno  preta para poder manejar o guan dao, arma tradicional usado por kuan kung em sua histórias, tinha que pedir autorização para a imagem do santo vermelho.

Kuan Kung o deus da guerra chinês, é adorado como protetor dos praticantes de artes marciais tradicionais.


Combate urbano, não tem nada a ver com religiosidade ou esoterismo, tem haver com treinamento sério, aprender a bater com muita força, de forma, simples, rápida, brutal  e eficaz. Muito ao contrario de espiritualidade você tem reencontrar os seu primitivismo perdido, e usar tudo que tiver a sua mão para neutralizar a ameaça e proteger a você e sua família. Nas ruas essa ideia de entrar em equilíbrio  e vencer seu inimigo espalhando sua luz, vai só te levar a morte. O inimigo que está tentando invadir a sua casa, ou esta indo na sua direção com uma barra de ferro no trânsito, ou ainda o estuprador que quer pegar a sua filha, não é seu irmão, e você não é um monge de filme chinês. Nem o templo Shaolin existe mais como é mostrado nos filmes da China antiga. Depois de passar por  três destruições em sua história, e após o seu fechamento por  Mao TSE Tung, ele reabriu somente como um templo taoista, sob a administração de um abade, e do lado de fora, ficam alguns artistas marciais do estilo monge fazendo formas em frente ao templo, e cobrando dinheiro de turistas, para fazer demonstrações ou tirar uma self. 


Hoje você está na era informação, a apenas alguns cliques na tecla do computador você pode ter muita informação, e segurança a segurança da sua família não é brincadeira. Se está passando por problemas graves de estresse pós traumático, fobias, insegurança procure profissionais (psicólogos), e comece um tratamento e se quiser procure cursos de autodefesa. Mas entenda você tem que aprender a neutralizar a ameaça, e  não vai conseguir isso se  enfraquecendo ainda mais seu espírito de luta com passividade.



Um combatente urbano não tem mestre, ao contrário ele é autossuficiente, e esta sempre atrás de novas técnica e conhecimento em diversa áreas para ser o senhor de sua vida, e protetor de seus entes queridos.



 




2. Senso Comum





O senso comum é a união dos saberes do cotidiano, sendo subjetivo, varia de pessoa para pessoa e de grupo para grupo. É baseado nos fatos apenas em falos reguladores da rotina sem buscar a explicação científica para que ocorram. Qualquer pessoa sabe ligar uma TV, mas poucas sabem como ela realmente funciona.

Quando procuramos um curso, queremos uma pessoa com conhecimento técnico, e formação para termos acesso aos avanços de determinada área.

Por exemplo, por melhor que seja um jogador de futebol, ou um atleta olímpico se eles não tiverem formação na área de educação física, mesmo com todas as suas  medalhas, e  suas conquistas, não estão aptos a lecionar como professores universitário em matérias relacionadas a educação física. Pois em educação física o aluno foi em busca   de conhecimentos que envolvem fisiologia, anatomia, biomecânica, história, conhecimento técnico na parte dos esportes, conhecimento de calculo de equações para montar o treino adequado para determinada pessoa, levando em conta peso, idade, sexo , saúde, deficiência, e fora diversas outras disciplinas.

A mesma coisa é na área de autodefesa que hoje se tornou tão abrangente, com diversas técnicas de área de segurança, prevenção, negociação, uso progressivo de força, conhecimento em arma de fogo, psicologia, estratégia, conhecimento em anatomia, fisiologia. Não sendo admissível aprender com uma pessoa que tenha somente  experiência em campeonatos de luta, ou conhecimento sobre lendas de guerreiros antigos que usavam  técnicas mágicas, e não tem nem capadidade de apontar em seu corpo onde é o fígado ou o baço (como eu mesmo testemunhei).


Ou seja, você está aprendendo autodefesa com uma pessoa que não entende nada de corpo humano, não conhece nada sobre área de segurança, pois como sabemos 90 por cento da autodefesa é a prevenção, e o pior ensinam técnicas infantis e teatrais para desarmas indivíduos com faca e arma de fogo. Você com certeza não pularia de um avião se seu professor de paraquedismo nunca tivesse pulado na vida, não é? Pelo menos espero  que não. Então como você vai acreditar em técnicas absurdas como segurar o tambor do revolver, se quem está lhe ensinando tal técnica nunca disparou,  ou mesmo nunca segurou uma arma de fogo na mão.


Muitos professores de estilos tradicionais não tem muitas vezes nem o ensino fundamental, e  escolheram serem professores de artes marciais pela facilidade de conseguir uma posição de destaque na sociedade, pelo fato de se tornar "professor", ou pelo "dinheiro", pela "vaidade", ou então para fugir de muitos empregos difíceis que exerciam antes. (repositor de supermercado, entregador de jornal, ajudante geral).

Já comentei um caso aqui, de um professor que todas as alunas que chegavam ele ensinava movimentos de leque, e as coitadas a aula inteira fazendo aqueles movimentos e depois levavam elas para participar de campeonatos e incentivava para fazerem os exames de faixa. E ele sempre dizia que aquela técnica do leque podia ser usada em qualquer situação por que era milenar e era usado por mulheres. e que caso a pessoa fosse atacada venceria sem dificuldade. Acontece que uma das alunas mais antigas dele um dia saindo da faculdade foi abordada por um criminoso, ela tentou reagir e foi esfaqueada, sendo hospitalizada. Tempo depois soubemos pelo pai dela que havia tentado usar os tais movimentos de leque. 

O seu professor mesmo sabendo o que houve, sentado no tatame cercado dos seus alunos falou: Estão vendo, ela não estava treinando firme, e isso que acontece, não adianta ter todas as técnicas na mão se não sabe usar.

Então procure conhecer a formação do seu professor, os cursos que ja fez, se entende de segurança, fuja dos charlatães que vendem artes tradicionais como autodefesa.






3. Ignorância  Histórica



E incrível que muitos praticantes de artes marciais, defendem a bandeira do que lhes foi passado, mas não se dão o trabalho de pesquisar a história sobre o que pratica. 

Muitos países que tiveram um governo ditatorial proibiram as artes marciais. até mesmo aqui no Brasil essa história se repetiu com a tão perigosa capoeira da época, praticada inclusive com armas. Navalhas, facas, facões e pedaços de pau, existindo gangues de assassinos no Rio de Janeiro de assassinos lutadores de capoeira. com o governo de Getúlio Vargas ela foi proibida e só voltou anos depois por causa das artes marciais estrangeira que chegaram junto com os imigrantes, o governo quis liberar a nossa arte, porém como a conhecemos hoje a capoeira de salão com saltos e giros, cantigas incorporados deixando com o perfil mais folclórico e menos marcial, assim como aconteceu com Mao TSE Tung na China.

E já vi professores de artes marciais desconhecerem o fato que ele matou 77 milhões de pessoas, destruiu artefatos históricos e religiosos. Com isso prejudicando irremediavelmente a história da China, que só existe por meio de contos populares, cheias de lendas e mitos. Proibiu as artes marciais, e em 1954 fez a reforma cultural, pois havia percebido o apelo dos filmes de artes marciais junto ao mundo, que traziam turistas curiosos com aquelas técnicas fantásticas que viam nos filmes. Então criou o Wushu, arte marcial voltada a beleza dos movimentos do taolu coreografia), e o Sanda, luta com regras para competição. E os demais estilos, para se manterem livres da proibição seguiram o mesmo sistema, até mesmo para também terem acesso a verba do governo e participação de campeonatos. Sendo que o verdadeiro estilo criado para autodefesa se perdeu na história, como diversos outros fatos históricos. 

A importância de conhecer a história, é você ser capaz de entender a época em que foi criada determinada coisa, e como funcionaria nos dias de hoje, e o que aconteceu com ela, e como se transformou no decorrer dos séculos. Não ficar  pronunciando frases sem qualquer fundamento igual papagaio, como "a arte milenar" ou 'a arte da guerra". Mesmo por que hoje as guerras são travadas com arma de fogo. E segurança urbana não tem nada a ver com técnicas de guerra, piorou guerra de lanças e flechas).






4. Auto-adoração



As artes tradicionais não se preocupam com as necessidades de seus alunos, seus alunos é que devem se preocupar com a necessidade do seu estilo (regras, movimentos "perfeitos"). 

Já ouvi centenas de vezes, se não milhares, praticantes de determinada arte marcial chamar as outras pessoas de leigos, como se eles fossem especiais, só por que repetem determinados movimentos que lhe são ensinados. Certa vez em um fórum de artes marciais, surgiu uma discussão sobre luta entre homens e mulheres, e alguns disseram de forma sensata que na rua a mulher deveria portar equalizadores de força (arma de fogo, faca, bastão), uma pessoa do forum falou: Uma mulher de 40 quilos faixa preta se  pegar um "leigo" de dois metros acaba com ele brincando. Esse é o pensamento próprio dos tradicionalistas eles acreditam que praticar uma arte marcial, transforma a pessoa em um perito, e as outras pessoas são "leigos", ou seja não conhece o conjunto de golpes infalíveis de sua academia.

Agora essa pessoa vindo a se tornar professor a ideologia tóxica que ele propaga, seus alunos e alunas  vão acreditar por que ele é professor e tem medalhas de campeonatos para mostrar.

Aprender a lutar com seriedade e ferocidade é essencial.

Essa ideia de "leigo"  é um mito, criado para elevar o ego dos praticantes de artes marciais. Uma pessoa criada na rua, acostumada a brigar desde cedo, em campinhos de futebol, escola, bares, baladas,  sabe com certeza como machucar pessoas. Uma pessoa de mal caráter que já esfaqueou varias pessoas durante a vida, mesmo nunca tendo nem entrado em uma academia é uma arma ambulante. Um criminoso que já matou várias pessoas em assaltos com sua arma de fogo, só de perceber um mero movimento da vítima é a morte em pessoa. Por outro lado a pessoa que faz academia acaba muitas vezes tendo uma grande desvantagem, com a cabeça poluída com filmes e campeonatos e sua medalhas, eles enxergam outras pessoas como indefesas. Não é a toa que o numero de jovens que chegam no necrotério toda semana é grande, por causa de briga em bares e baladas. 



Aprender a combate corpo a corpo é a única forma de aprender absorver a dor e perder o medo de lutar.


Certa vez conversando com um colega que era auxiliar de necropsia no IML, na época que eu fazia estágio da faculdade de Medicina Legal, eu vi o corpo de dois jovens enormes, marombeiros, cheios de tatuagens, pareciam lutadores. Meu colega me falou que tinham chegado no plantão anterior, arrumaram confusão na saída de uma balada. Segundo testemunhas, os dois encrenqueiros estavam mexendo com um rapaz franzino dentro da boate, e na saída seguiram ele continuando com as provocações e ameaças, o rapaz franzino sacou a arma e matou os dois encrenqueiros,  e saiu com sua moto. Esse meu colega me falou que era comum casos assim , por que jovens estão sempre se testando, querendo arrumar confusão para se mostrar. E infelizmente realmente  constatei ocorrências casos com as histórias semelhantes.

Por ano morrem de 500 a 600 policiais, fora os 60.000 homicídios de cidadãos que são registrados, devido as 83 facções criminosas que cobrem todo território nacional. Então me pergunto, quem é leigo? O cara armado, o assaltante, o briguento de rua, que arruma confusão desde criança. Ou será que o leigo em autodefesa não seria o praticante de artes marciais achando que fazendo estilos esportivos, pode sobreviver na rua, desconhecendo totalmente conceitos, como prevenção, negociação, uso de faca, arma de fogo, e técnicas utilizadas em áreas de segurança.







6. Ultimas Dicas


- Bruce Lee disse uma vez, "fazer artes marciais tradicionais é como praticar natação em terra firme". Ou seja, sem preocupação em aplicação prática, treinamento de socos e chutes no ar, não tinha qualquer preparação para a realidade;

- A melhor maneira de determinar a qualidade de uma escola é fazer perguntas, verificar as credenciais, verificar os antecedentes e descobrir se essa experiência é relevante na rua. Pergunte ao instrutor para saber se tiveram alguma experiência militar, policial, ou segurança privada. se possui certificados de instrutor qualificado;

- Se a autodefesa é praticada com roupas que você normalmente usa no dia a dia;

- Lembre-se nenhuma forma (coreografia) no mundo substitui o treinamento com um parceiro real;


- Você deve entender conceitos de realidade na língua do seu país, e não ficar perdendo tempo memorizando  terminologia em idioma estrangeiros;

- Não há mestres em cursos de autodefesa da realidade, apenas professores, se tiver que se curvar diante de alguém, ou de alguma foto ou imagem de santo saia fora,você está em um "templo oriental";

- As técnicas tem que ser simples, rápidas e brutais, e serem fáceis de dominar em um período de tempo razoável. 


- E lembre-se:



Você é um Sobrevivencialista Urbano, não procure alguém para ser seu guru. Seja autossuficiente e seu próprio guia. Procure cursos e adquirir conhecimentos em diversas áreas de sobrevivência. Se responsabilize pela sua saúde física, mental e espiritual, e proteja a sua família.







Obras indicadas:


Dicas de leitura:







 Dica de Filme:


Filme fantástico, que fala justamente o que foi abordado nessa postagem: Um menino vai de academia a academia e não consegue aprender nada de útil, para se livrar dos Bullers até o dia que ele encontra um perigoso mercenário.



Conclusão


Com a evolução técnosocial, houve um grande desenvolvimento em todos os segmentos do conhecimento humano, e com as artes marciais não foi diferente. se tornou uma área tão complexas que se ramificou para várias vertentes, voltadas para fins específicos. Infelizmente causando muitas confusões entre os praticantes. Que não conseguem fazer uma avaliação critica do que é a violência atual, e se realmente aquilo que praticam é adequado para se proteger e sua família. Ficam encantados com a magia oriental, e com os campeonatos voltados para as formas compostos de movimentos bonitos, que acabam presos na alienação marcial.

A evolução da autodefesa foi tamanha que ela não faz parte de um simples pratica  do senso comum ou um caminho filosófico. se tornou uma ciência, estudada, por vários profissionais para que possam atender a necessidades atuais. Desde fuzileiros, policiais, segurança privada e finalmente o homem comum que necessita sobreviver dentro da realidade urbana. Treinar sério é difícil, doloroso, e cansativo, mas é um investimento e vale a pena.

E você já foi alguma vez testemunha, de alguma alienação marcial em alguma academia que frequentou?


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.
 

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

 

Colaboração:

Dr. David S.

 






2 comentários:

  1. Matéria excelente! Já vi pessoas imaginando que movimentos de ginástica olímpica servem para lutar. Como você deixa claro, lutar de verdade é uma coisa brutal onde ferimentos físicos, ou mesmo a morte, são possíveis consequências.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu! Realmente a única forma de nos preparar é desapegar das ilusões e ficções do mundo das artes marciais. Obrigado por acompanhar.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...