terça-feira, 22 de maio de 2018

Sobrevivencialismo Urbano - Maquiavelismo Social: seja frio, calculista e objetivo


Ser objetivo, frio e calculista é quase sempre associado a vilania, pois a grande maioria da população (ovelhas) preferem viver num mundo ideológico que só existem em suas mentes. Contudo um sobrevivencialista, combatente e preparador urbano sabe que quando se fala em situações extremas respostas rápidas e objetivas sem emotividades são essenciais. Afinal qualquer reação emotiva pode representar resultados catastróficos para você e sua família. Deve-se se agir de forma analítica, fria e calculista, as vezes é necessário se cortar um braço para se salvar um corpo. Felizmente ao longo da história surgiram muitos homens que sempre pensaram a frente, se tornando até conselheiros estratégicos da nobrezaO maquiavelismo não só aponta para essa direção, como também é capaz de tornar quem segue suas ideias em um grande líder.
Nessa postagem vamos discorrer sobre o maquiavelismo social, como agir como uma máquina bem lubrificada sem travas morais no momento da ação.




 O que é ser maquiavélico?


A definição de maquiavelismo é "o emprego de astúcia e duplicidade na política ou na conduta geral". Infelizmente a maioria das pessoas preferem acreditar que nesse mundo o mal é uma exceção, que na vida devemos aceitar os maus tratos e as injustiças como uma forma de provar a sua passividade. Obras niilistas, são para essas pessoas (ovelhas) quase um culto maligno. Infelizmente a maioria  rechaça o seu primitivismo e se esconde atrás de uma ideologia de passividade, para poder aceitar seus fracassos em relação ao emprego, relacionamento, na vida no geral.  O autor Robert Greene autor da obra 48 leis do poder disse uma vez: 

"Queremos acreditar que somos descendentes de anjos quando somos descendentes de primatas". "Isso é parte da nossa natureza e não há nada para se envergonhar". E ele ainda fala: "Nossa fascinação pelo poder está enraizada em nosso DNA."


Sim, somos seres instintivos e sencientes, a maioria das pessoas não questiona por que as coisas são consideradas moralmente boas ou más, e sim sem senso crítico, e em grande parte inconscientemente, elas adotam os “juízos de valor do bem e do mal” dominantes em sua sociedade. Nietzsche previu que a moralidade dos fracos reinaria sobre o mundo ocidental num futuro previsível, e para ele era "o perigo dos perigos" - uma moralidade na qual todos os indivíduos, mesmo aqueles com potencial para superar a massa medíocre, são pressionados a se tornarem:

“Um tipo menor, quase ridículo, um animal de rebanho, algo ansioso para agradar, doentio e medíocre.” ( Além do bem e do mal )

E ainda segundo Nietzsche existem dois tipos indivíduos distintos em nossa sociedade: os seres humanos superiores, e aqueles que pertencem ao rebanho. Os seres humanos mais elevados têm um projeto de vida unificador e são consumidos pelo impulso de realizar seus objetivos elevados, e para isso necessitam se tornarem, objetivos, calculistas para poder tomar decisões pontuais, no momento exato.

Ovelhas querem ser todas iguais e terem um pastor a seguir, e condenam tudo que exija conquistas.

Escrito em 1513, "O Príncipe", de Machiavelli, um pequeno tratado político do italiano Nicolau Maquiavel, foi oferecido a Lorenzo de Medici como uma espécie de pedido de emprego. Escrito em 1513, não foi amplamente publicado até 1532, cinco anos após a morte do autor. Após a sua publicação, o príncipe tornou-se conhecido como  controverso entre muitos livros de conselhos para governantes. Geralmente, esses livros de conselhos enquadravam suas instruções em torno da virtude cristã. O príncipe não o fez isso, ele tinha a mente estratégica de um sobrevivencialista.

Leitor voraz, Maquiavel despojou os ideais e extraiu exemplos da história. Ele acreditava que qualquer um que ignora a realidade em uma tentativa equivocada de viver de acordo com um ideal, rapidamente se destruirá. Ele não enfatizou a importância das considerações morais e concentrou-se na eficácia.

O acadêmico e estudioso canadense Michael Ignatieff coloca desta forma: O Príncipe obriga os leitores a confrontar, nos termos mais duros possíveis, as questões mais importantes sobre política e moralidade. No livro, o que normalmente nos chocaria se tornaria preceitos simples. Os ensinamentos de Maquiavel já foram utilizadas por vários lideres mundiais, e também no mundo corporativo. 
 
Don Draper  da série MadMen, executivo de sucesso que faz o que é preciso.




Como superar o rebanho?

 
Fazer o que for preciso de forma rápida e objetiva sem se deixar levar pela emoção são características que devem ser almejadas pelo sobrevivencialista urbano. Alguns acreditam que Maquiavel é um mau conselheiro que encoraja os governantes a usar a tortura e outros métodos para manter o poder. Abaixo coloquei algumas dicas que podemos aprender com a obra o príncipe, mas nos tornarmos mais efetivos diante do caos

1.  Estar presente: "... se alguém está no local, os distúrbios são vistos à medida que surgem, e pode-se remediá-los rapidamente; mas, se alguém não está à mão, eles só são ouvidos quando são grandes, e então não se pode mais remediá-los. "

2. Cuidado com quem você confia: "... aquele que é a causa de outro tornar-se poderoso está arruinado; porque essa predominância foi provocada pela astúcia ou pela força, e ambos são desconfiados por aquele que foi elevado ao poder."

3. Aprenda com os melhores: "Um homem sábio deve sempre seguir os caminhos batidos por grandes homens e imitar aqueles que foram supremos, de modo que, se sua capacidade não for igual a deles, pelo menos, saboreará isso."

4. Seja exigente sobre quem trabalha para você: "Os capitães mercenários são homens capazes ou não são; se são, não se pode confiar neles, porque eles sempre aspiram à sua própria grandeza, seja oprimindo você, que é seu mestre, ou outros contrários às suas intenções; mas se o capitão não é habilidoso, você está arruinado da maneira usual. "

5. Leia: "... para exercitar o intelecto, o príncipe deveria ler histórias, e estudar ali as ações de homens ilustres, para ver como eles se levaram em guerra, para examinar as causas de suas vitórias e derrotas, a fim de evitar as últimas e imitar o primeiro ".

6. Prepare-se para o pior: "Um príncipe sábio deve observar algumas dessas regras, e nunca em tempos de paz ficar ocioso, mas aumentar seus recursos com a indústria de tal maneira que eles possam estar disponíveis para ele na adversidade, de modo que se mudanças de sorte o encontrarem preparado para resistir a ela sopra".

7. Não seja cruel: "... todo príncipe deveria desejar ser considerado clemente e não cruel."

8. Não roube: "... acima de tudo, ele deve manter suas mãos fora da propriedade dos outros, porque os homens esquecem mais rapidamente a morte de seu pai do que a perda de seu patrimônio. ... aquele que uma vez começou a viver de assalto sempre encontrará pretextos para aproveitar o que pertence aos outros, mas as razões para tirar a vida, pelo contrário, são mais difíceis de encontrar e mais cedo caducam ".

9. Aparências importam: "... os homens geralmente julgam mais a olho nu do que pela mão, porque pertence a todos ver você, a poucos entrarem em contato com você. Cada um vê o que você parece ser, poucos realmente sabem o que você é, e aqueles poucos não ousam se opor à opinião de muitos que têm a majestade do estado para defendê-los, e nas ações de todos os homens, e especialmente dos príncipes, que não é prudente contestar, a pessoa julga resultado."

10. Às vezes seus inimigos são seus amigos: "Não devo deixar de advertir um príncipe, que por meio de favores secretos adquiriu um novo estado, que ele deve considerar as razões que os induziram a favorecer quem o fez; e se não for um afeto natural para com ele, mas somente descontentamento com seu governo, então ele só os manterá amigáveis ​​com grandes problemas e dificuldades, pois será impossível satisfazê-los. ”E, ponderando bem as razões para isso nos exemplos que podem ser tirados dos assuntos antigos e modernos, nós descobrirão que é mais fácil para o príncipe fazer amigos daqueles homens que estavam contentes sob o governo anterior, e são, portanto, seus inimigos, do que daqueles que, estando descontentes com ele, eram favoráveis ​​a ele e o encorajavam a aproveitá-lo. "

11. Evite aduladores: "É o dos bajuladores, dos quais os tribunais estão cheios, porque os homens são tão autocomplacentes em seus próprios assuntos, e de certa forma tão enganados neles, que são preservados com dificuldade desta praga, e se desejam defender eles correm o perigo de cair em desprezo, porque não há outra maneira de se proteger de bajuladores exceto deixar os homens entenderem que dizer a verdade não ofende você, mas quando cada um pode dizer a verdade, o respeito por você diminui "
 
12.  Não seja um livro aberto: você só deve dizer a verdade se for do seu próprio interesse, a maioria das pessoas deixam sua vida exposta para todos, até em redes sociais. Guarde a melhor parte sua para você.


13. Faça você mesmo: Líderes enviam mensagens por ações, não por palavras. Como já diz o ditado antigo, quem quer faz quem não quer manda.

14.  O poder é a capacidade de mudar as coisas: Se você possui poder, mas não o usa, é um desperdício.

15. Mostre quem manda: Quando você ganhar poder precisa mostrar uma liderança forte imediatamente.

16.  Preparação é tudo: É sobre ser capaz de lidar com o pior; o que for preciso.  Só podemos nos preparar para o desastre quando não há um acontecendo.

17. Não se envolva em problemas: Se não sabe do que está acontecendo, não se preocupe. Lave as mãos e se afaste.

18.  Faça amizade com seus colegas mais fracos; mantenha os mais fortes no comprimento do braço.

19. Seus leais seguidores irão apoiá-lo: Certifique-se de não acabar com a paciência deles. Um exemplo na ficção quando Ricky Grimmes da série The Walking Dead deixa o vilão assassino Negan vivo, os seus parceiros de anos, se cansam da passividade de Rick.


20.  Sucesso você conquista, não cai do céu: Se teve sucesso porque esteve no lugar certo na hora certa, e estava devidamente preparado para aproveitar a oportunidade. Se você confia na sorte, eventualmente a sua sorte vai acabar.

21.  Cuidado com as más decisões em seu grupo: Decisões impopulares trarão ódio e ressentimento - vem com o território.

22.  Saiba avaliar as perdas necessárias em momentos de conflito:  Quando você está sob pressão, você tem que defender apenas as coisas importantes, mas você tem que saber o que é importante.


23. Ser respeitado é a meta: Quando você está no comando, ser amado é opcional, melhor ser respeitado.

 Dr. House odiado, mas respeitado pela sua visão mente objetiva e pragmática.

24. Aja estrategicamente e implante dúvidas: O enganar geralmente é mais fácil do que você pensa, se as pessoas que você está mentindo tem interesse em ser enganado.

25. Em tempos de conflitos crie sua versão dos fatos: Estar no comando permite que você conte a história do seu jeito e em seu próprio tempo.

28. O mais fraco sempre procura aliados: Quando duas pessoas lutam entre si, a mais fraca se torna sua amiga.

29. Encare os problemas de frente: Você não pode evitar riscos. Então, enfrente-o e veja quem pisca primeiro.

30. Não mostre insegurança: Nunca mude de ideia. Tome as suas decisões o mais cedo possível e tente não se sentar em cima do muro.

31. Conserte seus erros: Se você cometeu o erro não espere que alguém faça o certo.

32. Faça exemplo de seus inimigos: Pegue um dos seus agressores e o destroce para servir de exemplo a futuros candidatos a confrontadores. Resolve em casos de Bullying.


Acima foram apenas algumas coisas relevantes que abstrai da obra o príncipe que não só o tornaram um bom sobrevivencialista, como um bom líder. Leia Príncipe duas vezes, uma vez olhando para ele como se este fosse seu conselheiro e você é o rei.

 Na série  Game of Thrones Roose Bolton, frio calculista e brutal quase conseguiu conquistar o trono de ferro.

 

Descubra seu grau de maquiavelismo


Na década de 1960, Richard Christie e Florence L. Geis desenvolveram um teste para medir o nível de maquiavelismo de uma pessoa. O teste é chamado de teste Mach-IV e consiste em vinte perguntas, usadas para determinar a classificação maquiavélica de cada um. Clique no botão abaixo e descubra o seu grau de maquiavelice:


 https://www.geniol.com.br/testes/personalidade/teste-de-maquiavelismo/#teste





Obras Indicadas:













Conclusão

O que separa leões e ovelhas? No momento fatídico agir de maneira fria de maneira ágil e calculista, sendo brutal e feroz em suas decisões. sem choros, gritos e correria desordenada. Maquiavel focou seu ensinamento a nobreza em ensinamentos diretos e práticos, pois além de estar preparado ele afirmava que não era possível agir de forma idealista na vida real ou será destruído. Ser frio e calculista é tudo contrário a ideologia do rebanho, pois significa ser um líder forte e exemplar e não um seguidor alienado. Não siga ideologia escapistas para amansar seu espírito. procure se tornar um predador a cada dia, se fortalecendo física, mental e espiritualmente.


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nosso canal do Facebook:

 

Trailer do Canal:




2 comentários:

  1. Ótimo texto, apresentando a realidade como deve ser mostrada!
    É fato que ao longo de toda a história, quem implorou por piedade não viveu para ver o amanhã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ai MRE? Tem razão. Mundo pertence as pessoas que fazem o que precisa ser feito. Infelizmente algumas pessoas preferem ser comandadas. Obrigado por acompanhar.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...