terça-feira, 29 de maio de 2018

Os Perigos das Festas Juninas: De queimaduras a acidentes aéreos


As Festas Juninas são  sinônimo de diversão para toda família. Quentão, vinho quente, canjica,  fogos, e muita coisa boa.  Muitas vezes em meio a alegria a segurança acaba sendo deixada de lado.
Elementos perigosos e de certa forma imprevisíveis como fogos de artifício, balões, fogueiras estão associados a tradição desse festejo, que podem causar  incêndios, problemas na rede elétrica, e até mesmo acidentes aéreos entre outros.
No Brasil cerca de um milhão de acidentes com queimaduras, destes, em torno de 200 mil são notificados pelos hospitais e 10 mil se tornam vítimas por ano. Das pessoas atendidas anualmente, 40% estão na faixa entre 3 a 12 anos de idade. O quadro torna-se ainda mais preocupante quando consideramos o desconhecimento da população em relação aos problemas envolvendo a queimadura e suas consequências. Então aqui nessa  postagem vamos falar sobre os principais cuidados que se deve tomar para que a festa não se transforme em tragédia.




Balões


Para inicio de conversa soltar balão é crime, e de acordo com a nova Lei de Crimes Ambientais, Lei Nº 9.065, de fevereiro de 1998, não somente é "crime", como também fabricar, vender ou transportar. A pena prevista é de detenção de um a três anos ou multa, ou ambas as penas cumulativamente. Mesmo aqueles que forem flagrados assistindo, também estão sujeitos a essas sanções.

O balão pode cair aceso em florestas, residências e indústrias, produzindo grandes prejuízos patrimoniais, ameaça ao nosso meio ambiente e até mesmo colocando a integridade física e a vida das pessoas em risco, por isso é proibido. Os balões podem ainda oferecer sérios riscos à aviação, principalmente, às pequenas aeronaves. Se ver alguém cometendo este delito disque 190.




Fogos de artifícios


Não permita que seus filhos adquiram fogos de artifício, acidentes graves podem acontecer com crianças ou adultos que transportam e utilizam fogos de artifícios de forma irregular. Se uma bombinha explodir nas mãos de uma criança ou próximo de seus olhos, poderá causar mutilação ou cegueira.  Segundo a Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ), o número de atendimentos por queimaduras costuma dobrar nesse período. Todo cuidado é pouco na compra e no manuseio desses artefatos. Eis alguns cuidados básicos: 

Nunca transporte estes artefatos nos bolsos, pois, se eles se inflamarem, você certamente será atingido;
   
Deixar caixas de fósforos e/ou isqueiros ao alcance da crianças é uma imprudência. A atração que o fogo exerce sobre as crianças pode ter consequências extremamente danosas


Não compre fogos clandestinos, pois esses produtos não são testados e oferecem um risco ainda maior aos usuários. Além disso, não costumam ter nas embalagens as orientações do fabricante sobre a forma de uso, que deve ser rigorosamente seguida para evitar contratempos;

Especialistas recomendam que a distância para explodir os fogos com segurança é de 30 a 50 metros de pessoas, edificações e carros. Caso os fogos não estourem, não tente reaproveitá-los;

O ideal é evitar soltar fogos, mas se não tiver como evitá-los pelo menos assegure-se de que as crianças e animais estejam distantes e só adquira artefatos que venham com a base para encaixar no suporte dos fogos de artifício. Isso evita que você tenha que segurá-los com as mãos;

Não usar fogos em ambientes fechados, e não apontá-los para pessoas, animais ou janelas;

Nunca associar bebidas alcoólicas ao uso de fogos; 

Não segure rojão com as mãos! Prenda-o em uma armação, cerca ou muro;

Não tente acender fogos que falharam. Ao contrário, eles representam maior perigo. Guarde-os em um recipiente com agua, juntamente com os que já foram utilizados. 


Cada tipo de produto pirotécnico é classificado de acordo com o seu poder de explosão ou queima. Essa classificação está adequada à idade do usuário de acordo com a Norma Técnica n° 30. Todo produto deve possuir na embalagem sua classificação. Recomenda-se acompanhamento de adultos na venda autorizada de produtos pirotécnicos de classes crianças  fogos tipo A (chuvinha, chumbinho); adolescentes o tipo B (traques e cobrinhas), com devidas recomendações de segurança. E adultos maiores de 18 anos o tipo C (rojões e bombas). Crianças devem ser orientadas sobre uso de bombinhas, quanto ao risco explosões próximas aos olhos, causando ferimentos graves. 


Observação importante: Fragmentos e faíscas liberados durante as explosões podem atingir o globo ocular, e levar a transtornos visuais e comprometer a visão. No caso das crianças o cuidado deve ser redobrado, os estalinhos, por exemplo, muitas vezes são lançados na parede e até mesmo em outras crianças, e os resíduos podem atingir os olhos causando lesões na córnea.




Comidas típicas


Quanto às conhecidas comidas típicas de festa junina, tais como: pamonha, curau, canjica, milho verde, quentão, paçoca, vendidas em barraquinhas é preciso atenção com a higiene para evitar casos de infecções intestinais, ou intoxicações provocadas por bactérias que proliferam nos alimentos contaminados por conta de má manipulação ou estragados. Mais alguns cuidados básicos:

Para evitar problemas o ideal é ficar atento às condições de higiene e limpeza do local, a forma como os alimentos estão sendo acondicionado e manipulados, a temperatura ambiente, e verificar o prazo de validade dos quitutes da época.

Os ingredientes, em geral, das comidas juninas são perecíveis. Alguns pratos como, por exemplo, a pamonha e a canjica devem ser consumidas no mesmo dia do preparo, pois estragam com muita facilidade. Opte por produtos que tenham etiquetas com a data de fabricação. 

Tire a criança da cozinha, e não a deixe brincar com fogo;

Mantenha a cozinha arejada;

 Muito cuidado com panelas e líquidos superaquecidos;
 
Cuidado com bebidas alcoólicas ao alcance de crianças e animais, e ainda evite o excesso, o abuso do álcool em festas pode ocasionar confusão mental resultando em brigas que podem terminar em fatalidades. 







Fogueiras e queimaduras



As “inofensivas” fogueiras  devem ser vistas com cuidado, já que suas cinzas e as brasas podem ocasionar queimaduras nos olhos e até mesmo cegueira, entre outros problemas. A fumaça pode desencadear quadros de conjuntivite alérgica, problema pulmonar, coriza, ou edema de pálpebra. Ardor, desconforto e lacrimejamento são sinais de agressão à visão e devem ser levados em consideração. Muitas pessoas que, depois de horas expostas a essas condições, queixam-se de ressecamento, e baixa de visão. Por isso, da importância de se manter numa distância segura e evitar ambientes com muita fumaça por longos períodos.
 
De acordo com vários casos relatados: fogueiras, fogos de artifício e os estalinhos costumam causar problemas aos olhos, desde alergias, queimaduras e, até mesmo em casos mais extremos, perda de visão.  E outras dicas importantes são:

Cuidado com as fogueiras e jamais realimente o fogo com álcool, a garrafa pode explodir. 

No caso da fumaça, o problema maior está naqueles que se encontram nos extremos de idade: crianças e idosos. O idoso já tem um pulmão debilitado e, na medida em que é exposto à fumaça, desenvolve um quadro mais grave de insuficiência respiratória;


Quanto às crianças, elas podem desenvolver um quadro de asma devido à fumaça. Quem sofre do coração também é prejudicado, podendo vir a desenvolver insuficiência cardíaca;


Para os alérgicos, é preciso ficar longe das fogueiras e fogos de artifício. Mas, caso não seja possível se afastar dos focos de fumaça, deve-se fechar portas e janelas, colocando toalhas molhadas nas frestas para impedir a entrada da fumaça. As crianças podem dar uma passada rápida na festa, devendo ficar resguardadas da fumaça ao voltarem para casa; 


Cuidado com o manuseio de álcool ou outros inflamáveis: Opte pelo álcool em gel, se for imprescindível o uso. Fogueiras não devem ser acesas próximo a redes elétricas e devem usar pouca madeira, para evitar chamas de grande intensidade;

Não construa fogueiras grandes;

Não fume perto de postos de combustível;

Cuidado com velas, candeeiros ou similares;

Se o fogo pegar na roupa, não corra, pois o ar ativa a expansão da chama. Pare, deite, cubra os olhos e role no chão até apagar;

E novamente cuidado com caixas de fósforos ou isqueiros ao alcance das crianças. A atração que o fogo exerce sobre elas pode resultar em graves queimaduras; 


Em casos de incidentes com fagulhas, ou objetos que atinjam os olhos, a recomendação é isolar a área afetada e procurar um oftalmologista o mais rápido possível. Pomadas ou outras substâncias não devem ser utilizadas sobre as lesões. A automedicação é muito perigosa. Por isso, caso a pessoa venha sofrer algum acidente ou sentir desconforto, deve procurar um especialista para avaliar a situação e prescrever o tratamento adequado.


Atenção: A maior causa de queimaduras hoje, no País, é por líquidos superaquecidos (60%) e 30% delas com álcool. Para maior prevenção, foram definidos dez mandamentos básicos para evitar acidentes:




Rede elétrica

 
Não solte fogos perto da rede elétrica. Eles podem causar rompimento de cabos e acidentes. E mais algumas dicas importantes são:

Não monte a fogueira embaixo da rede elétrica. O fogo ou excesso de calor pode danificar cabos e estruturas, causando curtos-circuitos e interrupção de energia. 

Não faça ligação clandestina de energia. As pessoas que fazem ligações clandestinas correm riscos de sofrer choque e ainda prejudicam a qualidade da energia de seus vizinhos por causa da interferência na rede. 

Não coloque enfeites perto da rede elétrica;

Não utilize materiais condutores de eletricidade, como fitas metalizadas, papel alumínio ou laminado e arames para prender bandeirolas e enfeites. Utilize sempre barbante comum ou fitilho plástico;

Não se aproxime ou toque na rede elétrica. 

Em caso de acidente envolvendo a rede elétrica, informe à Empresa de Energia. 

Soltar balões é crime e é uma brincadeira de altíssimo risco, especialmente se o balão entrar em contato com um fio energizado ou cair dentro de alguma subestação. Nesse último caso, há riscos de explosões. 

Na hora de fazer a instalação elétrica de seu arraial, palco ou barraca, procure um profissional capacitado para fazer o serviço. 

Em caso de queimadura, os profissionais recomendam que  se coloque a área atingida em água corrente até o alívio da dor, não usar nenhuma pomada ou substância sobre a lesão. Ligue imediatamente para o Corpo de Bombeiros Militar 193.





Observação importante:

Deixe os telefones de emergência ao alcance,  para caso testemunhar um crime ou acidente:


Policia Militar: 190



 
SAMU: 192



Bombeiro: 193


 




Conclusão


Realmente festas juninas são uma tradição nacional, e também uma festa familiar com muita diversão. Mas como Sobrevivencialistas urbanos devemos estar conscientes, e preparados em relação os possíveis riscos que podem causar o  uso irresponsável de   balões, fogos de artifícios, fogueiras e a falta de cuidado com as redes elétricas, entre outras coisas. 

A segurança e bem estar de idosos, crianças e animais também devem ser observados. E sempre evitar o abuso do álcool, pois podem gerar confusão e até tragédias. E ainda, deixe sempre a mão os telefones de emergência, caso testemunhe algum crime ou acidente ligue. Seja cidadão.


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nosso canal do Facebook:

 

Trailer do Canal:






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...