quinta-feira, 28 de junho de 2018

Como ajudar o aluno a superar o medo de lutar?


Em outra postagem, eu citei pontos importantes que podem te ajudar a ser um bom professor de autodefesa. E também foi falado da responsabilidade que esse profissional tem, uma vez que as pessoas que o estão procurando querem proteger a própria vida, a de sua família, ou ainda utilizar as técnicas parta utilizar em sua profissão na área de segurança. Dando continuidade as dicas para se tornar um bom professor hoje vamos falar daquele aluno que quer aprender a se defender mas não quer fazer aula de luta. Devido o medo de se machucar, ou algum trauma que sofreu devido um incidente onde foi machucado e ou humilhado. Afinal um bom professor de autodefesa "deve" se adaptar a necessidades das pessoas que o procuram.


 

Desbloqueando seu aluno


Quando uma pessoa chega em sua academia e senta a sua frente em seu escritório você normalmente como instrutor preocupado com o objetivo do cliente pergunta: Por que você quer fazer defesa pessoal? A maioria responde de maneira genérica que quer saber se "virar" caso ocorra alguma situação ruim, mas é uma resposta complicada já que muitos alunos não estão psicologicamente preparados para lutar.  Eu conheci muitos alunos em minha carreira como professor que já entravam preocupados se iria ter aulas de luta. Era possível sentir o receio por trás da pergunta, e isso acontece por diversos motivos:
 
  •  Todo mundo sabe que os golpes machucam;
  •   Incerteza de não saber quando os golpes chegarão;
  •   Falta de experiência de combate;
  •  Medo de lutar do que alguém que se envolve com pessoas experientes;
  •   Falta de confiança na capacidade de lutar;
  •   Experiência ruim na rua onde foi espancado e ou humilhado pode ser suficiente para gerar um bloqueio;
  •    Outros motivos.

O problema é que essas pessoas que irão te procurar não sabe muitas vezes o mínimo para saber o que realmente é se defender. Tem apenas aquelas ideias pueris e fictícias que veem no filmes, onde aprenderão movimentos predeterminados, e com isso enfrentar qualquer situação de conflito contra qualquer adversário. Independente do peso, altura, e até a quantidade de oponentes. O problema que essa forma de algumas escolas venderem a seus sistemas podem levar seus alunos a morte. 

O medo é uma forma de autodefesa natural, para que sejamos precavidos ao agir e fazer escolhas importantes. Ele pode manifesta-se de diferentes maneiras, de acordo com as pessoas, de acordo com as experiências de vida com as quais foram confrontadas. Algumas pessoas serão mais resistentes, e outras podem ficar totalmente paralisadas pelo medo. A reação mais comum a uma situação de medo é dizer "eu não posso! Ou "eu não quero! ". É o medo do fracasso que impede a ação, exceto  em certas situações de sobrevivência, em que não há possibilidade de negociar ou fugir, então a adrenalina impulsiona o indivíduo para a única solução possível, o combate. O  medo é uma emoção desagradável que bloqueia a mente, e pode prejudicar a nossa existência e pode nos bloquear ao longo de nossas vidas, paralisando a ação, dá a impressão de que o cérebro se desconecta. Esta é uma realidade que deve ser aceita porque é parte de nossos instintos. E deve ser trabalhada, pois ela nos ajuda a fazer a escolha estratégica mais rapidamente.   
Observando essa dificuldade no aluno, o professor deve pouco a pouco condicionar o aluno para desenvolver o gosto pelas aulas de combate.  Toda semana em sua academia faça pelo menos uma aula de luta,  a autoconfiança para realizar determinada atividade é construída quando uma atividade é realizada com sucesso várias vezes. Nas primeiras aulas faça as lutas com ele para que se sinta mais confortável e consiga se soltar. Posteriormente coloque para lutar com outros alunos também iniciantes,  observe  as dificuldades, e os progressos dele, sempre observe a luta para evitar acidentes.
 
Outro exercício bom para ao desenvolvimento e a soltura: coloque um lado só para atacar e o outro só para defender, e depois troque os lados, para que assim ele se solte mais, tanto na defesa como no ataque.  Evite excessos no início, golpes muito forte, e sempre elogie os acertos, e explique os erros. Conforme ele for ganhando confiança coloque com os demais alunos de diferentes tamanhos e pesos. Por isso  é importante um ambiente saudável, e respeitoso dentro da academia, pois o espírito de companheirismo ajuda os colegas mais velhos se ajudarem os mais novos.

Contudo se observar que o bloqueio do aluno é muito grave, devido algum trauma muito forte que possa ter passado, aconselhe-o paralelamente a procurar profissionais da área da saúde que possa quebrar esses bloqueios e medos (psicólogos, psiquiatras).



Obras indicadas:





 



Conclusão


Um professor de autodefesa tem uma grande responsabilidade em suas mãos, pois as pessoas que o procuram estão querendo aprender técnicas para enfrentarem problemas no dia a dia: bulliyng,  confrontos na rua, e até situações extremas de caso de vida e morte. Porém muitos alunos tem medo de fazer aula de luta.  Por causa do que aparece nos filmes de ação,  pensam que simplesmente aprender algumas técnicas e movimentos prontos irão salvá-los de qualquer situação, contra qualquer um. Porém a autodefesa como qualquer área do conhecimento requer dedicação de quem pratica. 

O medo pode ter vários motivos como de sentir dor, e de se  machucar, ou ainda devido algum trauma em alguma situação que passou. Cabe o professor observar isso, e criar de forma de introduzir esse aluno aos poucos no combate. Com o tempo se sentindo mais seguro, com o professor, o ambiente e os colegas normalmente o medo vai se dispersando, e vai conquistando a autoconfiança. Mas caso o problema em relação ao medo for realmente grave devido a um estresse pós traumático, por exemplo, o professor deve  recomendar ao seu aluno a procurar profissionais da área da saúde para trabalhar esse problema.



Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:

 

Trailer do Canal:


segunda-feira, 25 de junho de 2018

Como ser um bom professor de autodefesa?


Muitos ex-alunos  me perguntaram sobre como se tornar um professor de combate urbano. Realmente não é fácil, já que é muita responsabilidade você estar ensinando pessoas que querem aprender a salvar as própria vida em um momento de crise e a de seus entes queridos. No mercado existem milhares de profissionais irresponsáveis que vendem pedregulho como se fosse ouro, por meio de mentiras, superstições e se aproveitando da fragilidade mental de muitas pessoas que procuraram autodefesa devido algum trauma que sofreu.


Autodefesa não é para campeonatos e nem para quem quer apenas se manter em forma ou saudável. Ele é composta de diversos elementos, desde prevenção, uso progressivo de força e o combate pela própria vida. O Combate urbano é aprender acessar a sua ferocidade e primitivismo de forma estratégica e focada quando não há como negociar e fugir e sua vida está em risco. Então na matéria de hoje vamos falar sobre o que faz um professor de autodefesa se destacar e ser considerado um bom profissional que irá realmente ajudar pessoas.




Quem é o mestre?



Comecei minha jornada nas artes marciais aos nove anos, e desde então nesses trinta e três anos nunca parei. Me graduei e pratiquei várias formas de combate e com o tempo observei que não era suficiente para o que nos espera nas ruas. Imagine o cenário em que vivemos em nosso país: 60.000 homicídios por ano, fora estupros, roubos, furtos que chegam a números exorbitantes. A explosão demográfica, juntamente com a corrupção do país fez com que a taxa de criminalidade crescesse mais e mais. Hoje são mais de 83 facções criminosas em todo país, e segundo pesquisas recentes uma em cada três pessoas teve um parente morto em um assalto. Quando uma pessoa chega em sua academia e senta a sua frente em seu escritório você normalmente como instrutor preocupado com o objetivo do cliente pergunta: Por que você quer fazer defesa pessoal? A maioria responde de maneira genérica que quer saber se "virar" caso ocorra alguma situação ruim.

O problema é que essas pessoas que irão te procurar não sabe muitas vezes o mínimo para saber o que realmente é se defender. Tem apenas aquelas ideias pueris e fictícias que veem no filmes. Outros que irão te procurar serão pessoas mais experientes que querem melhorar o seu conhecimento de combate. E ainda aparecerá profissionais da área de segurança realmente procurando respostas a situações que podem encontrar no dia a dia da sua profissão. Então como ser um bom professor para atender todas essas necessidades que podem ajudar em um momento de crise a salvar vidas?


O mercado para professores de autodefesa é muito disputado pela quantidade de profissionais que existem oferecendo os seus serviços. Mas isso não é uma coisa ruim, graças a essa competitividade, muitos profissionais buscaram se aperfeiçoar e atualizar seus conhecimentos para os problemas de violência atuais. que irão te procurar serão pessoas mais experientes que querem melhorar o seu conhecimento de combate.

Hoje vivemos na era da informação, graças a internet onde todos tem acessos a todos tipos de materiais e vídeos onde podem ver situações reais. Graças a isso profissionais medíocres que vivem vendendo fantasias e auto-adoração estão perdendo espaço a cada dia. Basta olhar antigas escolas em bairros tradicionais, e verá que foram perdendo alunos ao longo do tempo, até fecharem. Se  quer realmente se tornar um professor de autodefesa primeiramente deve entender a grande responsabilidade que é essa profissão. Afinal pessoas estão confiando que aquilo que você ensina poderá salvá-las em uma situação onde suas vidas e de suas famílias estão em risco. 

Eu vi infelizmente muitos morrerem por confiarem em maus professores, que criavam historias fantásticas sobre suas habilidades, e até mesmo incentivando os alunos a reagirem a assaltos, alegando que se não reage é por que não confia naquilo que pratica. A grande verdade é que muitos profissionais vendem artes marciais, mais voltadas para a saúde, e competição como autodefesa para ruas, sendo que nunca trabalharam em área de segurança, nunca seguraram uma arma de fogo, e nem tem o mínimo de experiência em casos extremos, envolvendo por exemplo: um indivíduo drogado, vários agressores arma de fogo, ou faca entre outras coisas.  Vamos observar a seguir os principais pontos que ajudarão a fazer diferença nesse mercado de trabalho de grande importância devido a violência exacerbada nos dias de hoje.

Ética: Trate seu alunos com respeito, não minta, não crie falsas histórias onde você foi o herói. Isso não ajudará em nada. Inicialmente os alunos inexperientes irão admirar, com o passar do tempo perceberão a ma fé do professor. E sua má fama ira se espalhar aos quatro cantos. ainda mais nas redes sociais, onde as noticias voam a imagem de uma pessoa pode ser destruída do dia para a noite. Não fale mal de outros professores ou de outros sistemas de defesa para valorizar o seu. Não siga exemplo de maus profissionais que não se preocupam com o bem estar dos seus alunos, só querem o dinheiro da mensalidade em dia.

Postura: Você é dono de uma empresa de autodefesa e um professor aja como tal. Não fale palavras de baixo calão, ou brincadeiras inapropriadas em sua academia. Não aceite desafio de seus alunos, você tem que ser respeitado pelo seu conhecimento. Sempre mostre maturidade e equilíbrio , e sempre tire as duvidas de seus alunos.


Disciplina: Coloque um quadro com regras de disciplina em um local bem visível para seus alunos estarem cientes do comportamento dentro do ambiente de treino. O respeito e cooperação, e seriedade  são a base para um ambiente de aprendizado saudável.


Ser transparente: Seja sincero, se não conhece determinado assunto, não invente, ou você pode acabar descoberto, e perder a credibilidade de seus alunos e ainda se tornar uma má referência.
 

Se mantenha atualizado: Sempre faça cursos, estude, enriqueça o seu currículo. Além de ser um beneficio pra você também será bom para seus alunos. Muitos professores não se importam com isso, e ensinam técnicas de uma épocas medievais  que pouco tem haver com golpes e perigos atuais que encontramos nas ruas.


Não aceitar maus elementos: Acredite mais vale perder um aluno do que ter problemas a médio ou longo prazo. Procure descobrir quem é quem em sua academia. Um mal elemento pode aprontar na rua, e sua academia ficar com má fama.  Ou ainda acabar ferindo alguém dentro da academia.

Ensinar Prevenção: Você não está ensinando arte marcial, e sim autodefesa. E noventa por cento da autodefesa é prevenção Pois se você evitar ao máximo se colocar em perigo dificilmente irá ter que lutar pela sua vida.


Ensinar o uso progressivo de força: Explique para seus alunos todas as etapas da autodefesa, partindo da prevenção, negociação, imobilização e indo até a fase final que é o uso das técnicas letais.

Treinos o mais próximo do real possível: realize treinos que levem em conta cenários e situações reais. utilize equipamentos de proteções para poder potencializar as situações sem que ninguém se machuque.

Trate cada aluno de forma individual: Cada aluno te procurou por um objetivo: pra superar algum trauma, para usar autodefesa em seu serviço de área de segurança ou simplesmente se defender. fora isso cada um tem um corpo, agilidade, reflexos diferenciados. Trabalhe com cada um para poder desenvolver o potencial individual do aluno. 

Sempre recomendar materiais de estudo: Sempre recomende materiais de pesquisa para seus alunos. Hoje vivemos na era da informação, utilize isso em beneficio de seu aluno. Recomende vídeos, livros, apostilas, notícias sobre crimes, e todo tipo de material que possa ajudar seu aluno a desenvolver sua autodefesa.


Deixe sempre claro que a rua não há segundas chances: Em todos os treinos, e em todos os ensinamentos que passar, sempre lembre seus alunos que a realidade não é um filme. E o objetivo maior deles estarem ali é a sobrevivência deles e de sua família. 
 
Crie um ambiente funcional: Desenvolva em sua academia treinos utilizando equipamentos, desde sacos de treinos, pneus e outras ferramentas que possam auxiliar seus alunos a aplicarem as técnicas de faca, bastão ou simplesmente os socos e chutes. Treinos com equipamentos ajudam o aluno a desenvolver a sua força em seus golpes. Nunca de treinos para seus alunos para ficarem socando ou chutando o ar. além de não ajuda-lo a a fortalecer os seus golpes, ainda criará vícios para quando for realmente lutar com adversários reais.

Aula de luta: Toda semana tem que haver pelo menos um dia de aula de luta. E de suma importância que todos os alunos lutem, pois só assim desenvolveram reflexo, forças e habilidades combativas. E ainda aprender a bater e absorver golpes sem medo.

Ensinar a responsabilidade penal: E sempre explique a seus alunos a consequência e repercussão dos seus atos. Tanto para ele como de sua família. Pois rua não é pátio de escola, uma simples briga pode trazer consequências devastadoras pra você e para as pessoas que dependem de você, como sua esposa e filhos. Conhecer os seus direitos, deveres e obrigações é amadurecer.

Anatomia humana: Sempre insisto nesse ponto, Não adianta apenas o treinamento físico. Pois você se fortalecerá, ficará mais ágil e rápido. Porém se não conhecer o básico de anatomia humana os seus golpes perderam grande potencialidade no quesito de neutralizar o inimigo em caso de vida e morte. Abaixo disponibilizei de novo pra quem quiser um programa muito bom usado por estudantes de medicina e profissionais da área de saúde.


Lembre-se:  Não é fácil para ninguém iniciar uma carreira, mas não tome atalhos. Não seja desonesto. Por mais trabalhoso que seja, se você fizer da maneira correta terá resultados duradouros e  se tornará uma boa referência. De picaretas o mundo tá cheio e felizmente graças ao acesso as informações que os jovens tem acesso facilmente hoje em dia, esses maus profissionais que vivem de mentiras e auto-adoração, estão fechando as suas porta.




Programa para Estudar Anatomia Humana




O Human Anatomy Atlas é um programa muito bacana para estudantes de medicina ou até mesmo profissionais que já atuam nesse segmento e desejam ter um livro de consultas gratuito que caiba no seu bolso. Ao todo, o software oferece 169 imagens altamente detalhadas e mais de 1000 nomes de estruturas musculares e esqueléticas.


Com uma interface bastante simples, o programa possibilita uma navegação fluida por todo o seu catálogo de ilustrações científicas e a possibilidade de marcar páginas como favoritas facilita ainda o acesso à um conteúdo específico. O melhor de tudo: não é necessário estar conectado à internet para estudar. Clique na imagem abaixo e baixe. Bons estudos.


https://www.mediafire.com/file/bw9jrdt9lkj8nse/Universitario+da+Depress%C3%A3o+-+Visible.Body.Human.Anatomy.Atlas.v7.4.01-DVT.rar





Obras indicadas:













Conclusão



Muitas pessoas tem vontade de exercer a profissão de professor de autodefesa, mas a pessoa tem que ser vocacionada. É uma profissão que muita responsabilidade pois está lidando com vidas. Infelizmente no mercado de trabalho existem péssimos profissionais que estão mais preocupado com auto-adoração e o dinheiro do aluguel da academia. 

Não se importando em muitos casos de se especializar e tratar cada aluno de acordo com sua necessidade. Muitos, para manter os alunos, chegam mentir, inventar histórias e incentivar os alunos a reagirem a assaltos. Felizmente hoje vivemos na era da informação, onde basta um clique e a informação vem até nós, graças a isso os maus profissionais estão com os dias contados. Isso abre espaço pra você que quer ser um professor sério fazer a diferença nesse meio. Sempre se atualize, faça cursos, seminários, isso fará toda a diferença. Não se esqueça essas pessoas estão confiando as suas vidas no seu conhecimento  para se protegem e as suas famílias. Seja honesto e se dedique, com certeza com o tempo você virará uma boa  referencia no meio, e verá o quanto valeu a pena.


Ei Van Damme! Seu irmão foi lutar  com bermuda rosa? Não é a toa que perdeu.


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:

 

Trailer do Canal:



domingo, 24 de junho de 2018

Autodefesa X Vitimização: O Estado vai estar sempre presente?


Você como preparador, sobrevivencialista e combatente urbano esta sempre buscando novas informações, técnicas, e estratégias para se proteger e desenvolver a sua autodefesa para a violência das ruas. Porém treinar autodefesa é cansativo, dolorido, e toma tempo, por isso é mais fácil para algumas pessoas  colocar sua segurança pessoal, e de sua família nas mãos do Estado. Argumentando inúmeros motivos pelo qual não há sentido nos dias de hoje fazer tal investimento.

Essa visão é correta? Simplesmente por que existem departamentos ligados a segurança publica, e a justiça devemos apenas exigir que estejam onipresente a todas as situações por menores que seja, e que façam por nós coisas que no passado nos mesmos nos responsabilizávamos?  Nessa postagem vamos discutir o problema desse tipo de pensamento, de se esconder sob a tutela patriarcal do Estado.





Vitimização Cidadã



No início dos tempos, o homem era cercado por  animais selvagens de grandes proporções, tribos rivais e sua subsistência, da sua família e de seu grupo dependia da sua capacidade combativa. Mas com os avanços das comunidades tribais para a formação de cidades, e consequentemente criação cargos e departamentos para cuidar dos cidadãos, ou seja  a necessidade e obrigação de ser responsável pela sua sobrevivência foi transferida para o Estado. Assim muitos homens puderam se dedicar a arte, arquitetura e filosofia, por que outros faziam a sua segurança, e de sua família. E isso no decorrer da história humana criou diversas ideologias ligadas ao pacifismo e o uso da não violência. porém o que essas pessoas esquecem de mencionar é que seus ideais só são possíveis por que ainda hoje existem profissionais que morrem, e se lesionam por eles ( soldados, policiais, bombeiros). 



Mas esse ser moderno emasculado  grita e recusa ter qualquer responsabilidade pela sua segurança e da sua família. Para se ter ideia nas delegacias, e nos fóruns dos milhares de procedimentos que tramitam, uma grande parte é referente a situações vexatórias e sem qualquer importância. Registram ocorrências aos milhares sobre briga com vizinhos,  familiares, sobre o dono da loja que  deu uma má resposta, uma pessoa que esbarrou nelas no shopping, praticamente chamam a proteção do Estado, como se fossem a mamãe. Certa vez enquanto conversava com um delegado amigo meu, vi um homem se aproximar do balcão de atendimento para reclamar de um vendedor de coco da praça. Ele muito sem graça disse que queria prestar queixa contra o vendedor de coco, por que tinha pouca água dentro do coco que havia comprado, e quando conversou com o vendedor este foi rude e se negou a trocar.


Entenda você deve sim procurar as autoridades competentes quando precisar que um direito legítimo seja protegido, ou quando estiver em frente a uma verdadeira crise. Porém o fato de ser cidadão, e ter direitos não deveria castrar psicologicamente o indivíduo ao ponto dele agir sem autonomia em sua vida. Isso apenas o prejudicará como pessoa em relação ao seu poder pessoal, assim como prejudicará outras pessoas a sua volta. Veja alguns pontos a seguir:
 

Criando inimigos: Acredite, tem pessoas que fazem dezenas de boletins contra seus vizinhos. A  partir do momento que você arruma confusão com todos a sua volta, seus vizinhos por causa de musica alta, som de latidos, ou não vai com a cara do seu vizinho, você coloca um alvo nas suas costas.    Já vi milhares de casos de pessoas que registram procedimentos contra seus vizinhos e dias depois procuram a policia assustados por que descobriram que seus vizinhos eram do mundo do crime. a policia não vai dispor uma viatura 24 horas o resto da sua vida em frente a sua casa. Aprenda a ser flexível e viver em harmonia, amanhã você ou alguém de sua família pode precisar de socorro dos seus vizinhos devido um motivo grave, como doença ou invasão de criminosos entre outras coisa, ninguém é uma ilha;


Prejuízo a máquina do Estado: Toda vez que se registra ocorrências que poderiam ser evitadas, você está gerando gastos com o Estado. Mobilizando vários  profissionais e materiais que serão envolvidos em seu procedimentos, desde  a delegacia onde inicia o procedimento  até o fórum onde o processo será julgado. E outros casos que realmente que requeriam celeridade, como crimes graves vão seguindo lentamente dentro de uma fila sem fim de processos desnecessários;
 
Colocando pessoas em risco: Quantas viaturas  acha que está disponível para seu bairro? Cada bairro tem sua cota de viaturas, e suas rondas  são determinadas  logisticamente com base na estatística mensal. Locais onde tem mais ocorrências, terá mais presença ostensiva.  Quando  uma viatura vai atender a sua chamada por uma causa banal, ela está deixando de atender uma outra situação onde a vida de alguém pode estar em risco; 


Fugir da responsabilidade: Uma vez um colega de determinada religião me disse que as pessoas do seu segmento religioso não podem trabalhar em área de segurança, pois armas são coisas ruins e quem usa não pode fazer parte da congregação. Então perguntei: E se sua casa estiver sendo atacada por criminoso tentando entrar? Ele respondeu: Eu chamo a polícia, pois reconhecemos a existência deles (os policiais), mas é fato que no final dos tempos responderam pelos seus atos. Como disse acima é fácil se apegar a ideologias contra armamentistas quando você coloca a sua vida na mão de outras pessoas que estão armadas para te proteger, mas e quando não houver tempo de berrar para o cão pastor?


Situações emergenciais:  E se sua casa começa a pegar fogo você chama os bombeiros e vai para fora esperar ele chegar, ou pega o extintor para tentar conter as chamas iniciais. Imagine que você está no trânsito e ocorre uma pequena batida e o motorista a sua frente sai de dentro com uma enorme barra de ferro. Será que um policial vai se materializar no local para te proteger? Até onde vai a covardia de se esconder através de pessoas jurídicas que nada mais são do que prédios onde correm procedimentos e não podem te proteger de um risco atual e eminente?

 
Leis individuais: É um absurdo exigência de se criar leis para cada situação de conflito do dia a dia: Lei anti-bullying, Maria da Penha, Feminicídio. Se você não faz a mínima questão de se fortalecer e aprender a se defender na vida real. Pedaços de papéis com proibições transcritas não vão impedir os criminoso de perpetrarem seus crimes contra você. Com certeza você prefere mil vezes que o seu filho saiba se defender, e acabar com a valentia dos seus agressores na escola, do que correr apavorado para a sai da professora para ela brigar com os outros meninos. Ou ainda, a mulher que vive sendo espanca pelo marido e quer que o Estado o controle para que ela possa viver feliz ao lado dele a vida toda. Nessas situações o cidadão troca sua dignidade pela tutela patriarcal do Estado;
 

Corrupção: Esse tipo de atitude de fraqueza e vitimismo deixa os nossos governistas mais tranquilos para cometerem os seus crimes de corrupção. Já que é visível a co- dependência física e psicológica que o cidadão cria com o Estado;


Sobrevivencialismo: |O sobrevivencialismo existe por isso, criação de regras, leis e punições são importantes, mas são apenas procedimentos. Eles não podem impedir nenhuma agressão iminente contra a sua pessoa e seus entes queridos. Você deve cobrar e exigir o cumprimento da lei, mas aquelas que trarão beneficio para a sociedade como um todo. Como o nosso código penal que é de 1941, ou ainda as audiências de custódia que soltam os criminosos na manhã seguinte após o flagrante, seja crime de roubo, tráfico, porte de arma. Hoje o Brasil atingiu cerca de 70.000 homicídios por ano, e possui 83 facções criminosas por todo o país, com um governo corrupto conivente, tem certeza quer ficar na mão do Estado, e não se preocupar em se proteger, seus familiares e os seus bens.  O Estado não pode te alimentar, te vestir, e te dar moradia, a função do Estado é te dar a base para você fazer suas conquistas. Investir no crescimento de empresas para geração de emprego para todos, melhorar a qualidade de ensino, e construir mais universidades publicas para que todos realizem seu sonho. Receber tudo sem nenhum esforço as custas de pessoas que realmente trabalham e pagam impostos absurdos, transformará você apenas em mais um parasita. Procure ser forte, antifrágil e aprenda a resolver seus próprios conflitos, pode ser difícil mais verá como é edificante.





.

 Conclusão
 
Livros







Filme: 











 

Conclusão



E muito mais fácil viver sob a tutela do estado acreditando em uma superproteção onisciente e onipresente do que ser responsável pela sua segurança e existência. Porém esse tipo de atitude vai apenas enfraquece-lo tanto no sentido físico quanto psicológico, já que está transferindo sua responsabilidade de autodefesa para uma pessoa jurídica que nada mais é do que departamentos onde correm procedimentos criminais e nada podem fazer pra te ajudar de crises atuais e eminentes. Ou seja, não poderão salvar a sua vida se alguém quiser mesmo te ferir. 

Sim, você deve exigir o cumprimento das leis, e pedir ajuda para crises reais, mas para coisas realmente importante, que será um beneficio para toda sociedade, e não simplesmente para resolver seus  problemas pessoais de adequação. Procure se fortalecer física, mental e espiritualmente, a médio e longo prazo verá como a mudança de atitude abrirá novas oportunidades a você. O caminho do sobrevivencialismo urbano irá te tornar uma mais forte e um cidadão melhor. Não deixe para se preparar quando o lobo aparecer.
 

Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:

   

Trailer do Canal:

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...