quarta-feira, 13 de junho de 2018

Erros fatais em briga de rua com múltiplos atacantes


Uma situação que muitos imaginam que nunca vai acontecer, é de uma hora pra outra estar cercado de vários adversários. E pior não haver a possibilidade de negociar ou fugir restando apenas lutar pela própria vida. Como pode se ver em várias notícias e vídeos pela internet é a situação mais comum que se pode imaginar. Desde saída de baladas, shows e partidas de futebol. Até no dia a dia mesmo em simples empurrão. 

Mas como disse, às vezes você pode se encontrar impossibilitado de fugir, por vários motivos, até mesmo por estar acompanhado por sua namorada, esposa ou filhos. Hoje vamos falar dos principais erros que devem ser evitados a todo custo nesta situação caótica. Lembre-se que aqui são dicas que devem ser usas apenas se a negociação e fuga não forem opções e sua vida esteja realmente em risco.


Erro 1: Não estar preparado



A primeira dica pode parecer em uma primeira vista ser óbvia, mas é incrível como a maioria das pessoas estão tão tranquilas em suas existências passivas que nem imagina que algo assim possa acontecer. Um caso famoso que pode servir de exemplo é o caso do  promotor Thales Ferri Schoedl, ocorrido em luau na véspera do réveillon de 2004,  que acompanhado de sua namorada Mariana. Ambos caminhavam  próximo à rotatória quando um rapaz que estava em um grupo grande, a chamou de “gostosa”, olhando ostensivamente para seus quadris. Ofendido, ele pediu respeito, imediatamente   caminharam na direção dele, para intimidá-lo. Thales então disse que era promotor de justiça e estava armado. Ninguém levou a sério e ainda fizeram “chacota”: “Verdade?”, perguntaram, sem parar de avançar em sua direção e de xingá-lo. Nesse ponto,  Thales sacou a arma e disparou seis tiros de advertência para o chão, a fim de mostrar que não estava brincando. Muitos riram, dizendo que as balas eram de festim. Mesmo assim o promotor ainda correu durante um tempo enquanto era perseguido. E  só atirou na direção das vítimas porque estava acuado.

O promotor de Justiça Thales Ferri Schoed


O promotor mede 1,70 metro, contra um grupo de rapazes sendo dois deles  jogadores de basquete de  1,95 metro. É óbvio que seria massacrado e sua namorada ficaria na mão do grupo, talvez fosse a próxima, se ele não tivesse reagido. Thales estava assustado, mas ainda assim agiu com cautela. Deu pelo menos seis tiros de advertência. Thales estava preparado com sua pistola, mas e se não tivesse, e nem mesmo se preocupasse com isso, com certeza estaria morto. O processo do promotor pode ser visto no site do TJ clicando aqui.

Duas percepções sobre autodefesa em geral podem ser fatais, principalmente levando em conta vários agressores:

"Isso nunca vai acontecer comigo."

"Eu vou me preocupar com isso quando chegar a hora."


Algumas pessoas sempre estão em eterna negação diante de assuntos relacionados a  possíveis crises.

A fim de entender plenamente a importância do treinamento físico e psicológico, é necessário entender a realidade do desempenho de incidentes críticos,  e o impacto que o medo e o estresse têm em seus pensamento e capacidade de realizar ações coordenadas, devido as descargas adrenergéticas. Para começar, a decisão é feita associando-se algo que poderia acontecer com o que faria se isso acontecesse. Se de repente for confrontado por uma situação urgente e confusa, seu cérebro começará a rolar sua memória  para uma solução. Se é um cenário que você não experimentou, não foi treinado para lidar ou não pensou nisso antes, há uma boa chance de você ficar perturbado e confuso e suas ações serão ineficazes ou podem tornar a situação pior.  Nunca esqueça do seu EDC de autodefesa, apesar que na situação atual o porte de arma é restrito, mas aprenda a usar faca, bastão, correntes, machados e outros equipamentos. E procure participar de grupos que lutam pelo direito ao porte de arma, já que é um direito constitucional a legítima defesa.



Exemplo de EDC de autodefesa, lógico que você vai montar de acordo com sua realidade.

Combine isso com o fato de que, sob altos níveis de estresse, os centros cognitivos do cérebro estão prejudicados, e você está diante de uma situação muito ruim. Se você não sabe o que faria em uma briga de rua quando está calmo e seguro, o que o faz pensar que terá uma luz sobre como responder quando a merda bater no ventilador e sua vida está em risco.  Então se prepare, treine, se fortaleça, simule situações diversas mentalmente, aprenda uso progressivo de força. Aprenda a negociar ou fugir quando necessário, usar faca, bastão arma de fogo, estude anatomia humana. Lembre-se como sobrevivencialista e combatente urbano sempre tenha protocolos para cada situação.

Estudar Anatomia humana é essencial para saber onde rasgar as artérias dos inimigos.


Erro 2:  Ficar na defensiva



No exército, os soldados aprendem que a melhor maneira de sobreviver é uma emboscada, não é fugir, mas lutar para a emboscada.  Virar as costas, desistir da luta, ou entrar em modo defensivo é a pior coisa que você pode fazer em uma briga de rua com múltiplos atacantes. Tenha em mente que os predadores humanos selecionam as vítimas com base em sua avaliação de sua força, disposição e capacidade de reagir. Ao adotar uma mentalidade defensiva, "não me machuque", você apenas reforça a agressividade e a coerência do bando.

Em 2016,  jovem de 18 anos que foi espancado por um grupo de “bad boys” após uma festa open bar.

Quando é hora de lutar contra uma situação de múltiplos atacantes, você precisa ser tão feroz e agressivo quanto puder. Tire seus agressores de sua mentalidade de matilha e mostre que eles ainda são os covardes vulneráveis ​​que são quando estão sozinhos. Deixe-os saber que os seus amigos não podem protegê-los. pegue sua lamina: corte artérias, fure olhos, coxas, rasgue garganta. Cause o maior horror que puder, vire um monstro aos olhos dos adversários. Como covardes que são, vão começar a lembrar de como suas vidas são importantes. 




Erro 3: Lutar contra todos ao mesmo tempo

Um dos maiores erros que uma pessoa pode cometer é ficar no centro de um grupo e querer lutar com todos ao mesmo tempo como se estivesse na série do Arrow ou no filme do Ip Man, ou outro super herói. Na vida real todos do grupo atacam  ao mesmo tempo  com socos e pontapés, pauladas e pedradas. Nas série como pode ver abaixo apenas um vilão ataca  por vez ataca, para dar mais plasticidade a cena e mostrar os detalhes dos golpes do herói.  Todas as coisas sendo iguais, uma gangue de combatentes é superior a um único indivíduo. A força acumulativa, a capacidade e o tamanho do bando podem ser esmagadores, a menos que você adote estratégias, e uma mentalidade para transformar o bando em uma grupo de indivíduos vulneráveis.


Não lute contra “um bando” de pessoas, em vez disso, escolha um indivíduo dentro do grupo e vá atrás dele. Seja estratégico, seja agressivo e extremamente violento, faça desse indivíduo um exemplo, rasque o pescoço, abra a artéria femural, rasque o testículo dele com sua karambit, fure olhos. E você pode obter controle psicológico, afinal ninguém quer morrer. Tenha em mente que você pode treinar para lidar com um grupo de oponentes com vários membros. Com certeza eles não praticaram o trabalho juntos como um grupo ou como derrotar um único oponente, e isso pode funcionar a seu favor.

Mais adiante nesta série, vou falar sobre estratégias que você pode usar para isolar e derrotar indivíduos dentro do grupo tanto fisicamente quanto psicologicamente. Você aprenderá a dispersa-los, separá-los da proteção percebida do grupo e transformar seus números em caos, quando verem o sangue arterial jorrar. Então mais uma vez não fique no centro e estude anatomia humana, para ser assertivo em seus golpes.







Erro 4: Ir para o chão

Artes marciais mistas e sistemas de luta tornaram-se extremamente populares em artes marciais e treinamento de defesa pessoal. Existem muitos lutadores altamente treinados e proficientes que são extremamente hábeis em levar a luta para o chão e acabar com o seu oponente com um estrangulamento, uma submissão ou técnicas para marcar pontuação.

Dito isto, o chão não é um bom lugar para estar em uma situação de múltiplos assaltantes. Da próxima vez que alguém tentar te convencer que lutar no chão é uma boa tática,  mostre para ele que na rua ao contrário do tatame se encontram vários repleto de objetos espalhados no chão. Concreto, pedras e vidros quebrados não são particularmente propícios para cair, torcer ou rolar no chão, Além das superfícies e obstáculos ambientais hostis, estar no solo limita a sua mobilidade e a capacidade de se reposicionar em relação aos seus atacantes. Isso também  limita a sua capacidade de escapar, caso uma oportunidade se apresente e o torne suscetível, enquanto preso a uma pessoa, para que seus cúmplices peguem, batam ou golpeiem você por trás. Faça tudo que puder para ficar de pé, evite chutes quando for mais de um atacante, pois quando mais  manter a sua base firme melhor. Lembre-se um simples chute na cabeça ou uma paulada ou facada, significa game over pra você, sem direito a check point. 



Em 2017, um grupo de aproximadamente 10 pessoas investiram violentamente contra um rapaz.

Lógico que as chances de perder ou equilíbrio ou ser empurrado e cair no chão são grandes,  faça o que puder para ficar em pé e móvel. Se cair no chão, tente se libertar e levantar de novo na primeira oportunidade. Se for ao chão,  independentemente de seus melhores esforços, sempre proteja a cabeça e as costelas como em uma posição fetal, role e levante-se o mais rápido possível. Aprenda "táticas de fuga no solo" em oposição ao adversário em pé,  fuja do chão e volte a ficar. Além do grande perigo, sua habilidade para táticas rápidas, de atacar, se mover, ou fugir  fica severamente limitada quando você está no chão ou preso a um dos membros do bando.


Em 2016, Presidente de organizada do Santa Cruz foi espancado por dez homens.



Conclusão


Em seu preparo de autodefesa nunca esqueça que existe a possibilidade de um momento para outro de encontrar um grupo hostil. E que não haja possibilidade de negociação ou fuga, mesmo por que as vezes você pode estar acompanhado de sua família. então se prepare psicológica e fisicamente, aprenda sobre armas: facas, bastões e procure aprender manuseio, e técnicas defensivas e ofensivas de arma de fogo.

O preparo psicológico é essencial se visualize sobre a cena e agindo como um tigre acuado, rasgando garganta e artérias, olhos e testículos, espalhando o terror entre o grupo. Pois por mais unidos que sejam, ninguém quer morrer, então quando verem o sangue jorrar isso pode abala-los e deixar o grupo disperso. E observe os erros citados acima e imagine se existem outros que possa evitar. Lembre-se no cenário urbano o despreparo pode ser fatal, pra você e para as pessoas que ama.

Lembre-se correr ainda é uma ótima opção tática para salvar a sua vida. Corre Logan!!!

Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nosso canal do Facebook:

 

Trailer do canal:

 

 

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...