quarta-feira, 18 de julho de 2018

Autodefesa contra faca: Cuidado para não ser morto pelo seu professor



Hoje neste artigo vou falar sobre um assunto muito sério pra você que está iniciando a procura de uma autodefesa confiável. Existem ótimos profissionais no mercado, mas também há várias pessoas não vocacionadas, e mal intencionadas que só querem dar aula de artes marciais, por não terem um bom currículo, ou nível de escolaridade adequados para terem um bom emprego. Só querem pagar as suas contas, e manter os seus alunos  custe o que custar.

Mesmo que tenha que contar mentiras sobre seus feitos, ou até mesmo falar sobre reação a assaltos sem  ter o mínimo de conhecimento básico de segurança, ou feito algum cursos. E em casos mais absurdos que presenciei chegam a incentivar seus alunos a reagirem em assaltos, pois segundo estes, se seus alunos não reagissem queria dizer que não acreditavam no que praticavam, o que levou alunos a morte, ou serem gravemente feridos, como alguns casos que já contei aqui no Blog. E com isso ensinam técnicas absurdas para desarmar agressores com faca.  Então veremos a seguir os principais pontos que deve levar em conta, e comparar com o que o seu professor te ensina sobre desarmamento.

 


Conhecimento  ou Suicídio Marcial?


  
Quando se trata de técnicas desarme contra faca, ou arma de fogo todo cuidado é pouco, para observar se seu professor está te ensinado alguma coisa realmente efetiva, ou está de maneira irresponsável te empurrando para a morte. Como infelizmente eu e outros professores presenciamos casos desse tipos em diversas academias. Muito comum em noticiários a narração de crimes onde a vítima morreu a reagir a assalto. Agora o que poucas pessoas sabem é que muitos dessas tentativas, se originaram no falso senso de confiança em técnicas que só funcionária para coreografia em filmes, por não levar em conta a realidade dos ataques de faca que realmente acontecem na rua. Conhecer a realidade desse tipo de ataque o ajudará a observar se o que você tá aprendendo pode salvá-lo, ou sua família em caso de vida e morte, pois como sobrevivencialista e combatente urbano é sua obrigação estar realmente preparado para a crise. 











Muitas pessoas no cotidiano nem sequer fizeram em suas vidas autodefesa, mas são super perigosas, e já mataram várias pessoas, em discussão em bares, na rua, ou para cometem roubos. Os criminoso geralmente aprendem a se virar na rua desde criança, contra a violência e abusos do dia a dia onde cresceram para manter sua sobrevivência. Sendo assim  ágeis e conhecem a malandragem das ruas: sem regras ou estilos, apenas pura sobrevivência, com uso total do seu primitivismo e sede de matar e fazer o mal.


Quantos casos vemos no dia a dia de de criminosos, mesmo desarmados conseguiram facilmente  tomar a arma de pessoas que tentaram detê-los. Então não acredite naquela bobagem sobre a diferença entre leigo e praticante de autodefesa, muitos já morreram, ou foram humilhados acreditando nisso. A autodefesa é formada de três fatores: A técnica, a prática da técnica e, principalmente, determinação. E acredite criminosos tem uma determinação para sua sobrevivência, e causar danos a outros para satisfazer seus instintos fora do comum. Dito tudo isso vamos falar sobre o que realmente irá encontrar nas ruas no quesito de ataque de facas, para depois você possa junto com um amigo analisar se as técnicas de seu professor realmente pode ajuda-lo em caso de vida ou morte.





 Facas nas ruas: A fatal realidade.


Na autodefesa, afim de adotar métodos realistas de autodefesa contra ataques de faca, deve-se primeiro entender como um atacante provavelmente usará essa ferramenta. Agora vejamos abaixo quais lições tiramos desses flagrantes:



Mão livre: Os agressores não usam apenas a mão armada com a faca para atacar, geralmente usam a mão livre para: golpear, esconder, ou mais comumente pegar a vítima. Na maioria dos casos usam principalmente  para imobilizar a vítima. Esse uso da mão vazia altera muito a dinâmica da luta, o que não é levado em conta por muitos sistemas de artes marciais. No ataque real a primeira reação, como vítima, será condicionada pelo movimento da mão vazia do agressor, tentando se livrar dela. Já na maioria das academias dois alunos frente a frente onde um ataca com movimentos longos telegrafados e o outro agarra o pulso em pleno movimento e aplica uma chave. A maioria dos ataques com faca são emboscadas e não duelos cara a cara, como nos filmes;

Efeito surpresa: Por razões óbvias, os atacantes não querem uma luta justa, mas uma presa fácil,  atacam de surpresa, ou com movimentos ocultos e é provavelmente impossível ver isso acontecer. Afinal eles querem te matar, e querem ficar vivo e livres no processo.


Se você perguntar a algum colega seu que trabalha em delegacias, provavelmente ele vai te contar que  as vítimas que sobreviveram a um confronto violento com um agressor que usava uma faca  relataram que estavam totalmente inconscientes da existência da arma até que foram esfaqueadas ou cortadas. Esses sobreviventes  dizem "acreditar" que a arma estava escondida no punho de mão, apenas mais tarde, depois de sofrer ferimentos, perceberam que o atacante estava armado. Na grande maioria  dos casos a faca fica escondida até o último momento, até o ataque ser iniciado. Os agressores tentam distrair a vítima, esperar por uma boa oportunidade para acertar, e não hesitam em atacar a vítima pelas costas.


Curto alcance: As facas são armas de curto alcance, os ataques  começam a uma distância de conversa (menos de um metro). É importante, no entanto, enfatizar que menos de um metro significa que isso deixa muito pouco espaço e tempo para reagir. Tal lacuna entre reação e ação significa que é quase impossível parar a primeira estocada. É por isso que é tão importante manter a distância e manter o controle do espaço durante um confronto. Como os agressores usam  a mão livre (geralmente a esquerda), para agarrar, ou distrair a vitima, as vitimas acabam sendo esfaqueadas no pescoço, ou no lado esquerdo o peito (no coração).



Ataques de faca são rápidos e ferozes: Outra consequência desses ataques próximos é que as vítimas tendem a perder o equilíbrio e cair enquanto se movem para trás, tentando escapar instintivamente de seu agressor. Esse é um método comum de atacar usando facas na prisão.  O agressor não se irá se conter, e usará  uma determinação implacável, com o objetivo de atingir sua vítima, e causar dano máximo, o mais rápido possível, e por todos os meios necessários.


Ataques em facas não duram muito: A duração média dos ataques com faca é  de 14 a 23 segundos. O tempo para um ataque de faca é geralmente muito curto.


Há um pico no número de ataques em torno de 7 segundos, com 25,2% de todos os ataques entre 5 e 10 segundos, e metade de todos os ataques têm uma duração de 14 segundos ou menos.  O medo de ser pego é provavelmente um fator importante que mantém a duração dos ataques muito curta. Obviamente, quanto mais tempo o ataque, mais provavelmente alguém, incluindo a polícia, intervirá. 


Ângulos de ataques: Ponto importante, ao contrário do que é ensinado, a maioria das agressões não são desenhadas no ar. Os ataques de faca são realizados principalmente com cortes rápidos, curtos, e repetitivos em diferentes ângulos (de baixo para cima,  para o tórax, para cima, para baixo e todos os ângulos do pescoço). Os cortes curtos, e rápidos são os mais comuns e muito difíceis de serem interrompidos, mesmo por que são iniciados como dito acima a distância de uma conversa.




As únicas certezas:


Com o aumento da adrenalina suas habilidades motoras finas terão desaparecido totalmente, e sua visão periférica estará limitada, sendo assim: 

    Você poderá perde o equilíbrio e cair no chão;

    O medo de ser morto ou gravemente ferido, ou ainda um primeiro corte poderá paralisa-lo;

    Os movimentos serão diminuídos, ficando difícil usar defesas muito elaboradas;

    Com a  visão em túnel devido o pico de adrenalina, será difícil você enxergar as rápidas e violentas investidas de seu inimigo;

    Será muito difícil, se não impossível, alcançar e aplicar alguma tipo de imobilização no braço que segura a faca;

     Você não verá a lâmina antes que a agressão seja iniciada;

    Provavelmente não será possível fugir e evitar a agressão, as primeiras estocadas

    Haverá muito pouco tempo, e espaço para reagir e implantar um contra-ataque;

    Devido a fúria assassina do seu oponente a probabilidade de ser cortado e esfaqueado várias vezes é muito grande;

    É possível nem perceber que foi cortado ou esfaqueado devido o pico de adrenalina;

    A distância segura para reação a ataque de faca com arma de fogo é sete metros. Há pouca probabilidade de ter tempo para liberar sua própria arma (pistola, spray ...). Pelo menos não antes de ser esfaqueado algumas vezes

    Qualquer técnica que se baseie na hipótese de um único ataque retilíneo ou grande envergadura é muito improvável de existir, como se fosse um robô é improvável de existir.



Entenda: Não estou criticando a arte marcial que você pratica nesta postagem, estou apenas propondo que você com um amigo de treino use as técnicas de seu professor tentando aplicar ataques reais. Devidamente protegido usando canetões de tintas para simular facas veja se você consegue sair sem nenhuma marca em pontos fatais. Se você é um sobrevivencialista, preparador e combatente urbano sabe que preparação é tudo. Pare de seguir cegamente outras pessoas use sua mente, seja seu mestre. Pois na hora H, vai estar você e sua família dependendo de você. Se você cair eles serão os próximos alvos.


Obras indicadas:

Livros:
 



Filme:






Conclusão


Como vimos acima desarme de atacante com faca autodefesa  baseados na realidade continua sendo um dos pontos fracos em muitos sistemas de artes marciais. Sendo uma das principais diferença entre os sistemas de artes marciais e autodefesa. A verdade é que  poucas pessoas têm uma experiência real substancial desse tipo de agressão. E entre aqueles que têm essa experiência, menos ainda estão realmente interessados ​​em falar sobre isso. E os professores sem o mínimo de interesse em se atualizarem apenas continuam transmitindo os seus conhecimentos de boca em boca, sem nunca terem feito um curso na área de segurança. O que está faltando para muitos instrutores são estudos abrangentes, analíticos e aprofundados, baseados em fatos reais e estatísticas. 
A internet está cheio de imagens de câmeras de segurança mostrando ataques reais com facas, sendo um bom ponto de partida para suas pesquisas. Procure um amigo de confiança para fazer treinos com você e tente aplicar o que seu professor está ensinando, não se mate em nome confiando cegamente em professores que não estão nem ai pra você. Não deixe para se preparar quando o lobo aparecer.

Jogou correu!  O velho Capitão Kirk sempre dá um jeitinho de se virar.

Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:

 

Trailer do Canal:

 

2 comentários:

  1. Já tive o desprazer de ver uma ou duas pessoas mortas por golpes de facas. O cenário não é nada belo. Vi um vídeo de um professor de Kung Fu, onde ele diz que praticamente inexistem técnicas de defesa contra facas, ele aconselhou negociação ou fuga, se possível. Ele também mostrou algumas técnicas para uso nesse tipo de situação, mas deixou claro que elas deviam ser usadas apenas em último recurso, sendo que a vantagem estava com quem portava a lâmina.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. E ai Curioso X? Realmente as lâminas são armas brutais, mesmo com uma arma de fogo em uma distância inferior a cinco metros ainda tem uma grande vantagem. Inclusive tem alguns vídeos que vc vai encontrar na internet, onde foram feitos experiências onde um professor de autodefesa simula um agressor, e os policiais não conseguem sacar a arma, ou atirar, só depois que a distância já estava superior a sete metros é que foi possível acertar o agressor com munição de treino que estavam usando. A fuga e a negociação são sem dúvida as melhores alternativas para quem esta desarmado.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...