sábado, 11 de agosto de 2018

Debates: Oportunidade para conhecer seus candidatos




Os debates organizados pelos canais de televisão é uma ótima oportunidade para o eleitor conhecer seu candidato. Pelo menos conhecer as suas propostas, a sua forma de pensar, e perceber a sua capacidade de responder a perguntas repentinas de maneira franca. Na ultima quinta-feira dia nove, os oito candidatos à Presidência da República participam de debate presidencial na TV Bandeirantes, localizada na zona sul de São Paulo (SP). Após quatro anos marcados pela Operação Lava Jato e pela crise econômica no Brasil, o primeiro debate entre os candidatos à Presidência da República nas eleições de 2018 foi marcado por discussões, entre outros temas, sobre corrupção, economia e a gestão das contas públicas.

Candidato mais escolhido pelos adversários para responder perguntas, Geraldo Alckmin (PSDB) foi criticado pela aliança com o grupo de partidos conhecido como Centrão e respondeu alegando a necessidade de buscar “governabilidade”. Um dos menos acionados, Ciro Gomes (PDT) reclamou de sofrer “bullying” dos adversários.

Enquanto os postulantes com mais experiência no Executivo, casos de Alckmin, Ciro, Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles (MDB) procuraram exaltar seus feitos e passagens de destaque, outros, casos de Cabo Daciolo (Patriota) e Jair Bolsonaro (PSL), se concentraram em criticar a “velha política” e defender a substituição dos atuais políticos.

Marina Silva (Rede), apesar de ter sido ministra do Meio Ambiente e senadora, não falou muito sobre suas passagens anteriores. Também sem experiência política, Guilherme Boulos (PSOL), que pediu a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), não falou tanto sobre mudanças radicais na política, se limitando a defender medidas duras contra excessos que enxerga no setor financeiro e na falta de cobrança de impostos sobre os mais ricos.

Atual presidente, Michel Temer (MDB) apareceu no debate apenas como uma “batata quente”. Candidato do seu partido, Henrique Meirelles disse novamente ser o candidato do seu histórico e, sempre que relacionado ao governo, lembrava de ter também comandado o Banco Central no governo Lula. Tentando relacionar candidatos de outros partidos que participaram do governo ao presidente impopular, em especial Alckmin, Boulos disse haver “cinquenta tons de Temer” no debate.

O tucano mencionando diretamente a senadora Ana Amélia (PP-RS). Em outras quatro oportunidades, Alvaro Dias prometeu nomear o juiz Sergio Moro, da Operação Lava Jato, para o Ministério da Justiça. O candidato Jair Bolsonaro foi o único que apresentou de maneira estratégica para mostrar a sua plataforma administrativa, e seu perfil como administrador, os demais candidatos ficaram disputando migalhas de tempo para falar, e trocando acusações.

Assista o debate  clicando na imagem abaixo o debate da Band, e reflita qual candidato parece mais preparado:

https://www.youtube.com/watch?v=9EnJeUKwX_c




Observação Importante: Infelizmente tem várias pessoas disseminando  que o voto não é importante devido o nível de corrupção em nosso país, que a melhor coisa é anular o voto em forma de protesto. Só que elas esquecem que na verdade estão cedendo seu direito de escolha a outras pessoas. E consequentemente tornando o seu país cada vez mais instável e perigoso, colocando em risco as suas famílias. Imagine só um exemplo, se o Brasil no cenário atual tem 84 Facções criminosas e 60.000 homicídios de cidadãos por ano, imagine daqui a mais oito anos, segundo especialistas de segurança pública a situação será irreversível. Pense nisso, não delegue sua responsabilidade a outros. 



NÃO VOTE NULO:


• O voto nulo tem pouco valor como protesto, já que os políticos brasileiros não se importam com a opinião do eleitor.

• Mesmo se a maioria da população anulasse o voto, não haveria efeito nenhum, já que a Constituição considera apenas os votos válidos.

• A corrupção no Brasil está concentrada em alguns grupos. Basta evitá-los e conhecer bem os candidatos, para a política melhorar.

• Anular é uma atitude alienada, de quem não se importa com o rumo do país. Retirar-se da discussão é fácil, porém perigoso.

• A política não é só voto, mas ele é uma peça importante para decidir os rumos do país e não exclui outras formas de ação política.

• Se as pessoas conscientes anularem o voto, a eleição será decidida apenas pelos menos capacitados.





Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.


E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:

 

Trailer do Canal:

 

2 comentários:

  1. Acho os candidatos com propostas irrelevantes, com mais conversa fiada do que já temos de sobra e que está nos levando à ruína. A exceção fica com Bolsonaro, que tem algumas propostas que me agradam: reduzir o número de ministérios e impostos, facilitar o empreendedorismo, endurecer as leis criminais, reduzir a maioridade penal, combater a ideologia de gênero nas escolas, permitir a posse de armas por pessoas de bem. Fico com ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Curioso X! Sim a maioria já está ai trinta anos pra mais. E a situação do país é o currículo deles com a falta de respeito para como povo, e do mal carater deles. Só não ver quem não quer. Obrigado por acompanhar.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...