terça-feira, 25 de setembro de 2018

Combate extremo: Que material escolher para suas lâminas?


   
Nós sobrevivencialistas e preparadores urbanos estamos sempre pesquisando e nos preparando, diante disso é natural ao adquirir equipamento com o passar do tempo começar a investir na qualidade desses produtos. No caso de lâminas para combate real seja para faca, punhal, machado, facão, etc, fica a dúvida sobre a questão da resistência para uma situação extrema, em outras postagens já falamos sobre a questão de sempre dar preferência para equipamentos cortantes full tang onde o metal da lâmina percorre toda a peça até o cabo, dando firmeza e resistência diante das torções e movimentações violentas no combate. Mas existe outro fator básico de extrema importância que devemos observar quando fomos investir na questão de qualidade do equipamento: o tipo de metal usado.

Nessa postagem vamos falar sobre essa questão que pra nós combatente urbano pode fazer uma grande diferença em um combate, onde podemos nos encontrar em uma situação desvantajosa, como por exemplo um numero maior de adversários. Imagine em um momento como esse a lâmina quebrar e você ficar desarmado diante de três ou cinco agressores? 




A importância do metal para o combate



Sim, eu já falei aqui várias vezes que no momento de crise onde você precisa proteger a sua vida e de sua família, deve-se saber usar qualquer arma que se tiver a mão. E também que qualquer lâmina faz o serviço se você conhecer e praticar a técnica de maneira correta e contínua. E também já falei que a maioria  dos homicídios são cometidos com facas comuns de carne usados em cozinha, porém o combatente apesar de saber da importância da arma improvisada, deve também se atentar a melhorar a qualidade do equipamento do seu EDC.  O fato é que existem diversos tipos de metais empregados para forjar armas que estão no mercado. Quando iniciamos no meio marcial não entendemos dessas questões técnicas, e nem mesmo sobre a arte da cutelaria. Então infelizmente somos muitas vezes atraídos pela aparência a peça, que muitas vezes são apenas ornamentais, com desenhos de animais, dragões, e a lâmina é feito de latão ou outros  metais de baixa qualidade, que entortaria ou quebraria se fosse usadas com o mínimo de força em qualquer atividade. 


Armas ornamentais, como os modelos acima, são armas para competição de formas ou simplesmente decoração, não tem a  estrutura para aguentar o mínimo de impacto.


Sim, existem vários tipos de ligas metálicas adequadas para uso combativo e milhares de tipos de  aços, dependendo do  método empregado na manipulação da matéria prima. Muitas facas que são vendidas como "táticas" no mercado, mesmo sendo feitas de aço, são aços de baixa resistência adequados para serem empregados em utensílios domésticos, como talheres, mas não para equipamentos para serem usados em uma combate de vida e morte. Muitas fábricas ainda pintam com uma tinta preta a lâmina, para dar igualmente uma aparência de um equipamento para uso furtivo, "tático". Mas quais os tipos de aço e que devemos observar?

 
A produção de aço básico é uma combinação de ferro e carbono. No entanto, ao longo do tempo, verificou-se que a adição de elementos diferentes a esta substância básica de aço pode aumentar a sua dureza e resistência. Esses elementos adicionados são responsáveis ​​pelas principais diferenças da maioria dos tipos de aço em lâminas. Foi rapidamente descoberto que existem vantagens e desvantagens para cada elemento adicionado. Por exemplo, uma determinada liga pode tornar uma lâmina mais dura. Quanto mais duro o aço, mais tempo ele vai manter o sua afiação, o que é ótimo, porém, se você endurecer a lâmina, também tornará a lâmina menos resistente, o que significa que a lâmina é menos resistente a choques e impactos, o que não é uma coisa boa para uma arma de combate. 

Infelizmente, uma lâmina não pode ser mais dura e mais resistente ao mesmo tempo, tem que haver um equilibro entre dureza do metal e aguentar tensão de dobra da em uma situação que exige impacto, ou contenção de força como uma batalha. Ao adicionar resistência, você torna a lâmina menos dura e vice-versa. Aqui estão algumas diferenças importantes nos tipos de aço que o ajudarão a decidir que tipo de lâmina é melhor para você, mas primeiro vamos ver os materiais básicos do aço e seus usos:

Carbono:  Esse ingrediente é essencial para a criação do aço; todo o aço terá alguma quantidade de carbono. É o elemento de proteção mais importante, mas à medida que é adicionado, pode reduzir a resistência do material. O carbono reduz a quantidade que a faca irá desgastar ao longo do tempo. Então, a quantidade de carbono na lâmina diz muito sobre a qualidade do aço. Baixo teor de carbono significa que existe (0,3% ou menos), meio entre (0,4 a 0,7%) e alto é (0,8% e acima);

Crómio: - Combate a corrosão. Facas de aço inoxidável terão o cromo como ingrediente principal, normalmente com um mínimo de 12%. O cromo também aumenta a força de uma faca, mas a adição de cromo em grandes quantidades diminui a resistência;

Cobalto: Fortalece a lâmina;

Cobre: combate a corrosão;

Manganês: Endurece a lâmina, se adicionado em quantidades elevadas, pode aumentar a fragilidade;

Molibdênio:  Mantém a força do aço em altas temperaturas;

Níquel: Adiciona resistência;

Nitrogênio: Este elemento é usado às vezes como substituto do carbono no aço;

Fósforo: melhora a força;

Silício: Aumenta a força, e além disso, remove o oxigênio do metal enquanto ele está sendo formado;

Enxofre: aumenta a usinabilidade, mas diminui a tenacidade;
Tungstênio: Aumenta a resistência ao desgaste;

Vanádio: Aumenta a resistência ao desgaste e torna a lâmina mais dura. 



Diferenças entre os tipos de material para lâminas




Existem literalmente milhares de tipos de aço, e cada um desses tipos de aço possui um sistema de designação que lhes dá um número específico. Exemplo: No sistema de designação SAE (Society of Automotive Engineers), aço carbono e aço liga são designados por um número de quatro dígitos, onde o primeiro dígito indica o elemento principal, o segundo dígito indica o elemento secundário e os dois últimos dígitos indicam a quantidade de carbono, em centésimos de um por cento em peso. Então, isso significa que o aço 1095 seria 0,95% de carbono. Além disso, no sistema SAE, qualquer aço que comece com uma letra é classificado como aço-ferramenta.

Os aços carbono comuns são aços que contêm ferro, carbono e uma pequena quantidade de manganês. Em contrapartida, os aços ligados têm uma composição específica e contêm certas porcentagens de vanádio ou molibdênio, e também possuem tipicamente uma quantidade maior de manganês. O aço para ferramentas contém tungstênio, molibdênio e outros elementos de liga.

I. Aços Carbono Simples

Aço 10XX (1045, 1095): 1095 é o aço 10XX mais comum (ou aço "alto carbono") usado para lâminas de faca. O aço na faixa 1045-1095 é usado para lâminas de faca, embora 1050 seja mais comumente visto em espadas. O aço 1045 tem menos carbono (0,45%), onde 1095 tem mais (0,95%), inversamente 1095 tem menos manganês e 1045 tem mais. Então, em essência, o aço 1095 teria mais resistência ao desgaste, mas também seria menos resistente. 1045 possui uma borda bem, o aço 1095 tem uma ótima borda e é fácil de afiar. A principal desvantagem desse tipo de aço é que ele enferruja facilmente. Devido a esse problema, você verá 1095 lâminas com algum tipo de revestimento para combater a ferrugem. Se você comprar uma faca com este tipo de lâmina, certifique-se de armazená-lo bem e não deve ter nenhum problema.


II. Ligas de aço

Aço 5160: Este é o aço carbono simples (1060) que foi misturado com um pouco de cromo. Não há cromo suficiente para torná-lo um aço inoxidável, mas o cromo foi adicionado para fortalecer o material. Este tipo de aço é conhecido por sua excelente resistência. Este tipo de aço normalmente tem 0,56 a 0,64% de carbono.



III Aços para ferramentas

Aço 52100: Este é um aço ferramenta de alto carbono. Normalmente, tem entre 98 e 10% de carbono. Este aço é mais duro do que muitos outros e, consequentemente, mantém uma vantagem. Este é um dos melhores aços para usar se você está preocupado com isso, mantendo uma vantagem. Este material é usado frequentemente para facas de caça. A principal desvantagem deste aço é que ele tem menos cromo do que o outro aço e, consequentemente, pode enferrujar.

Aço A2:  Este é um aço muito resistente, porém tem menos resistência ao desgaste do que outros aços para ferramentas. Este aço é frequentemente usado para facas de combate personalizadas devido à sua resistência. Tem uma faixa de conteúdo de carbono de 0,95-1,05%. Este aço não contém muito cromo (normalmente em torno de 5%) e precisa ser mantido com cuidado para evitar ferrugem. Muitas vezes, será revestido em uma lâmina de faca para evitar esse problema.


Aço CPM 10V: CPM significa Crucible Particle Metalurgia, que é uma marca. Este é um dos aços para ferramentas mais resistentes ao desgaste. Ele também tem dureza decente para um aço de ferramenta. Esta é uma ótima opção se você está procurando algo com muita resistência ao desgaste, mas não é um material muito duro.

Aço CPM 3V: Este aço foi projetado para ser resistente, além de ser um aço de alta resistência ao desgaste.

Aço CPM M4: Este aço possui excelente resistência ao desgaste e tenacidade. Tem cerca de 1,42% de carbono.


Aço D2: Este aço tem alto teor de cromo, pouco menos do que o que pode ser classificado como aço inoxidável. Por isso, tem boa resistência à ferrugem. É muito mais resistente do que a maioria dos aços inoxidáveis, mas não tão resistente quanto a maioria dos outros aços para ferramentas. Este aço tem excelente resistência ao desgaste. Tem grande retenção de borda, mas pode ser muito difícil de aguçar. Este também é um material difícil para espelhar o polimento, então você quase nunca o verá dessa maneira. Seu teor de carbono é de 1,50-1,60%.

Aço L6: Este aço é resistente e possui uma borda bem. No entanto, como outros aços não inoxidáveis, enferruja facilmente. Alguns consideram que este é um dos melhores aços disponíveis para talheres. Também é usado com frequência em lâminas de serra, mas qualquer faca feita com esse material precisa de manutenção consistente.

Aço M2: Este aço é extremamente resistente ao calor. Tem cerca de 0,85% de carbono. Ele possui uma borda muito, muito bem, mas pode ser frágil em facas grandes.

Aço O1:  Este material tem boa resistência de borda, porque é material duro. Seu maior problema é que ele enferruja rapidamente se não for mantido. Tem um intervalo de conteúdo de carbono de 0,85-1,00%.

O6 Steel: Este é um metal muito mais resistente do que 0-1. Este é um dos melhores aços de retenção de borda.

W2 Steel:  Este aço é basicamente aço carbono simples com carbono extra. É muito difícil e mantém uma vantagem bem.

IV. Aços Inoxidáveis

Como discutido acima, as facas de aço inoxidável terão o cromo como ingrediente principal, normalmente em um mínimo de 12%.



a) A SÉRIE 400:

Aço 420: Tem cerca de 0,38% de carbono. O baixo teor de carbono significa que este aço é muito macio e não possui uma borda bem. É de baixa qualidade, material de baixo custo. Muitas facas baratas tendem a ser feitas deste material devido ao seu custo. Lâminas feitas com este material precisam ser afiadas com freqüência e, muitas vezes, lascadas. No lado positivo, todo o aço inoxidável 420 é extremamente resistente à ferrugem. Isso significa que um dos melhores usos para este material é fazer facas de mergulho por causa do contato constante com a água salgada. Às vezes, você também verá 420J. 420J é o aço 420 de menor qualidade, mas é também o mais resistente à ferrugem.

Aço 440: Existem três tipos diferentes de aço 440, a parte mais difícil de diferenciá-los é que muitas vezes os fabricantes de aço marcam 440 na espiga da lâmina e não no grau da letra. Isto é especialmente verdadeiro quando é um dos graus mais baixos. Isso levou certos fabricantes de facas a renomear o 440C como outras coisas para diferenciar a qualidade do produto.

Aço 440A: Tem uma faixa de teor de carbono de 0,65 a 0,75%. Este é um aço inoxidável de baixo custo. É o mais resistente à ferrugem do aço 440 e o 440C é o menos resistente à ferrugem dos três. No entanto, a série 400 é uma das facas mais resistentes à ferrugem.

Aço 440B:  Muito semelhante ao 440A, mas tem uma faixa maior de teor de carbono (0,75 a 0,95%).

Aço 440C:  tem uma faixa de conteúdo de carbono entre 0,95 e 1,20%. Este é considerado um aço inoxidável de maior qualidade. Esta liga é uma das mais comuns em facas. É resistente ao desgaste e é um aço duro.


Aço 425M: Este é um material similar ao da série 400 que tem 0,5% de carbono e é usado nas facas Buck.

Aço 154 CM: Este é um aço de alta qualidade. Tem um teor de carbono de 1,05%. Ele possui uma borda bem e é de aço duro. Na verdade, tem uma boa dureza para o quão duro é o aço também. É mais difícil que 440º C. Alguns chegam a chamar isso de super aço. Este aço muitas vezes é comparado ao ATS 34 porque os dois são tão semelhantes. Algumas pessoas preferem este aço à ATS 34 porque este é feito pela Crucible, uma empresa americana.

Aço 8Cr14MoV: Este aço é muito semelhante ao AUS-8. É fabricado na China e tem cerca de 0,75% de carbono.

Aço 9Cr13CoMoV: Este é o aço 440 com cobalto extra misturado para fortalecer a lâmina. Tem cerca de 0,85% de carbono.

Aço AEBL: Este aço é semelhante a 440 B.

b) Série ATS:

Aço ATS 34: Este aço é muito semelhante ao 154 CM. Tem 1,05% de carbono. É também um dos classificados na categoria super. Há muitas facas personalizadas de alta qualidade que usam esse aço.

Aço ATS 55: Este aço não possui o vanádio presente tanto no ATS-34 como no 154-CM. Isso significa que ele também possui uma borda e também foi relatado como sendo menos resistente à ferrugem que o ATS-34. Tem um teor de carbono de 1,00%.

c) A série AUS (aço inoxidável japonês):

A maior melhoria da série AUS sobre a Série 400 é a adição de vanádio, que melhora a resistência ao desgaste e dá boa tenacidade. Também faz o aço ser mais fácil de afiar.

Aço AUS-6: possui 0,65% de carbono. Este é um aço de baixa qualidade, comparável ao 420.

Aço AUS-8: possui 0,75% de carbono. A Cold Steel fez uso popular desse aço. Este é um aço resistente e mantém uma vantagem bem.

Aço AUS-10: possui 1,1% de carbono. Este aço é comparável ao 440C. Tem mais vanádio e menos cromo do que 440C, então é um pouco mais resistente, mas também um pouco menos resistente à ferrugem.

Aço BG 42: este é um aço inoxidável relativamente novo que possui excelente resistência à ferrugem. Está ganhando popularidade como fabricantes de facas personalizadas começam a usar este aço.

Aço Bohler M390: Tem 1,9% de carbono. Este material é muito resistente a manchas e possui excelente resistência ao desgaste. Tem vanádio como um aditivo, consequentemente é um aço duro popular. Este também é o tipo de aço mais utilizado para aplicações cirúrgicas.

Aço Bohler N680: Tem 0,54% de carbono. Este é outro aço muito duro que é altamente resistente a manchas, e por isso é bom para aplicações de água salgada.

Aço N690: possui 1,07% de carbono. Este aço é fabricado na Áustria e é muito semelhante ao 440C.

Aço Gingami 1 (GIN 1): Este é um maravilhoso aço inoxidável. Tem 0,80 a 0,90% de carbono. Tem boa retenção de borda.

d) Série SXXV (CPM):
Esta série está se tornando bastante popular por causa de sua força, capacidade de resistir à ferrugem e quão bem ela mantém uma vantagem. Estes são aços difíceis de afiar, se você precisa dar-lhes uma vantagem. Todas essas facas são muito resistentes ao desgaste. Este tipo de aço também é muito difícil de espelhar, então você quase nunca o verá. Os 30, 60 e 90 desta série representam 3%, 6% e 9% de vanádio na liga, respectivamente.

Aço S30V: Este aço foi projetado para ser usado em facas. Este aço é muito resistente, e ainda tem grande resistência ao desgaste. Por quão duro é o aço, ele realmente tem dureza muito boa também, e é por isso que muitos o consideram uma das melhores escolhas para fazer facas. Tem um teor de carbono de 1,45%.

Aço S60V (CPM T440V): Este aço inoxidável possui alta resistência ao desgaste. Tem muito vanádio e também tem um teor de carbono de 2,15%. É apenas um passo acima do S30V. Atualmente, este aço não é comumente usado.

Aço S90V (CPM T420V): Este aço possui uma retenção de borda superior. No entanto, pode ser quase impossível aguçar. Neste momento, os fabricantes personalizados são os únicos que usam esse tipo de aço. Seu conteúdo de carbono é de cerca de 2,30%.

Aço VG 10: Este é outro tipo de aço que é conhecido como super aço. É um aço inoxidável muito alto. Tem vanádio que lhe dá resistência extra. Este aço tem uma vantagem muito boa. Também é muito resistente à ferrugem. Tem um teor de carbono de 0,95-1,05%.

Aço X15: possui 0,40% de carbono. Este é um aço francês que foi desenvolvido para a indústria de aviões. Foi desenvolvido para resistir à corrosão nas piores condições possíveis. É o aço mais resistente a manchas do mercado e é um material duro. Não é muito difícil, mas é um material especialmente bom para facas de mergulho.

Aço Z60CDV14: Este aço é semelhante ao 440A. É suposto ter uma vantagem um pouco melhor que os aços 440. Tem cerca de 0,40% de carbono.

V. Aço Damasco

Este tipo de aço é chamado Damasco porque a primeira vez que os europeus encontraram este tipo de aço foi durante as cruzadas, em torno da cidade de Damasco. Há relatos de que, quando o primeiro aço de Damasco foi encontrado, ele cortaria as lâminas da espada que os europeus estavam usando. Isto é alegadamente porque o material era a mistura perfeita de aço duro e aço resistente. No Oriente Médio, esse tipo de aço foi fabricado há milhares de anos, mas o conhecimento de como trabalhar esse metal foi perdido em algum momento. Consequentemente, o tipo de Damasco feito hoje não é produzido da mesma forma que foi feito antigamente. 




Hoje, o aço soldado padrão é feito para reproduzir a aparência do antigo aço de Damasco. Este tipo de aço é feito tomando duas (ou mais) camadas de diferentes tipos de aço e dobrando-os juntos.  Depois que os dois aços diferentes são dobrados juntos, o aço é gravado com ácido. O contraste de cores e padrões na lâmina vem do fato de que os dois tipos de aço gravam de forma diferente. O aço de Damasco é considerado um metal precioso, porque é difícil de fazer, e pode resultar em lâminas de faca muito bonitas. Isso significa que as lâminas de faca feitas com Damasco tendem a ser caras e usadas apenas para lâminas personalizadas.

VI. Lâminas De Cerâmica

Lâminas de cerâmica não enferrujam, por isso são populares para uso em facas de mergulho. Este material é realmente muito duro, por isso quase nunca precisa ser afiado. Pode ser quase impossível afiá-los, mas muitos modelos comercializados são muitas  muito frágeis.

VII. Lâminas De Titânio

O titânio é popular porque é leve e muito resistente. Ele não possui uma borda muito boa, então geralmente não é uma lâmina realmente boa, mas tem sido usada em facas de mergulho e em algumas facas personalizadas.

VIII. Stellite 6-K

Stellite é um material especial que não possui ferro. Este é um material muito duro.





Obras indicadas:



Livro:





Filme:









Conclusão


Quando estamos montando nosso EDC, com o passar do tempo normalmente procuramos adicionar equipamentos de melhor qualidade. No caso de lâminas de combate devemos observar na hora da compra o material que é confeccionado, isso pode ser a diferença entre a vida ou morte. Não vá por aparências, e cuidado com a palavra "tático" que muitas vezes os comerciantes gostam de usar em seus anúncios, porém o material que a peça é confeccionada é de baixa qualidade. 

Você que é sobrevivencialista, preparador e combatente urbano e como tal gosta de estar sempre buscando novos conhecimentos, comece a se interessar por cutelaria, para ficar mais por dentro da teoria da confecção de lâminas, pode lhe ser útil na hora de escolher a sua peça. Mas lembre-se: O material do equipamento é importante, mas a verdadeira arma é você o resto é apenas ferramenta, então antes de tudo treine técnicas e foque sempre na sua determinação combativa para se proteger a e a sua família em um momento de crise. Não espere o lobo aparecer.


O primo caipira do Wolverine.


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://www.centrodeestudomars.com/p/blog-page.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:

 

Trailer do Canal:

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...