terça-feira, 30 de outubro de 2018

Halloween: Monstros existem e estão entre nós - Parte 2


O ano passado publiquei a matéria: Predadores urbanos, monstros existem (para ver a matéria clique aqui). Nessa matéria mostrei que os serial killers acompanham a história humana desde o início, e foram eles os responsáveis pelas lendas de monstros como lobisomens, vampiros, bruxas, etc. Era uma forma da humanidade na época aceitar que um ser humano era capaz de tantas atrocidades a outro. As histórias de João e Maria, Lobo mal refletiam o medo da população dos predadores que circulavam em torno das cidades embrenhados em florestas.

Hoje nessa semana de Halloween resolvi publicar alguns vídeos para que podermos discutir, e entender melhor, a realidade do predador humano, e deixar claro que monstros existem e andam entre nós, e não é com audiência de custódia, progressão de penas, ou tratamento mais humano que vai humanizá-los. Ao contrário do que é disseminado por grupos ligados a direitos humanos, movimentos políticos, e até a mídia.



Vídeos:



























Conclusão


Como pode se observar o psicopata com a ausência de sentimentos positivos, ele só é capaz de sentir raiva e prazer sádico. Para nós combatentes e sobrevivencialistas urbanos é de extrema necessidade observar que ONGS, associações, entidades ligadas a direitos humanos, assim como a maioria das lideranças políticas, não estão interessadas em proteger as vítimas, ou ajudar as famílias das vítimas. Geralmente os projetos são para favorecer os predadores urbanos, facilitando, diminuindo, como as audiências de custódia. No ano passado tivemos 63.880 homicídios e 60.0018 estupros. 
O objetivo dessa postagem foi mostrar a importância da preparação no cenário urbano. Tanto a sua preparação quanto de sua família.



Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:

 

Trailer do Canal


Sobrevivencialismo Urbano: Gírias e expressões do submundo do crime

SE 

Nada melhor para o sobrevivencialista e combatente urbano do que conhecer os predadores urbanos em todos seus aspectos, até mesmo culturais, a forma de se comunicar, diante disso hoje estou publicando uma lista dos termos mais usados.

Principais gírias e expressões utilizadas no submundo do crime e nos estabelecimentos prisionais do Brasil:

ABACATARÉ: caipirão, bobo.
ABELHEIRO: ônibus lotado
ABONADO: cheio de dinheiro
ABONAR: corromper, dar dinheiro
ABRIR: confissão na manha, sem violência.
ABRIR NO PÉ: fugir correndo
ACERTO: composição entre bandido e outros.
AÇO: arma branca
AÇOUGUE: prostíbulo
ADÊVO: advogado
AFANADOR: ladrão.
AFANO DE RODADORA: roubo de moto.
AGADANHAR: furtar
AGUENTAR-SE: não confessar
ALABAMA: quem atrai outros para jogos de azar.
ALIVIAR: roubar
ALÍVIO: advogado
ALTO: bêbado
ALVARÁ DO PADRE CHICO: morte
AMARELAR: ficar com medo
AMARELO: pessoa oriental
AMPÕLA: garrafa de pinga
ANASTÁCIO: bobo, otário
ANDAR DE CIMA: céu
ANTENA: ouvido
APAGAR: matar
APAGAR-SE : morrer
APRONTAR: sair para roubar
APRONTO: feito criminoso
ARAPONGA: que fala muito alto
ARAQUE: mentira
ARATACA: armadilha
ARATADO: caipirão
ARPUADO: condenado, preso em flagrante.
ARRANCA RABO: briga pesada
ARRASTAR O PÉ: fugir
ARREAR A CASCATA: jogar a conversa para cima de alguém
ARRÊGLO: ajuste entre bandido e polícia
ARRIBITE: bala
ASA NO PÉ: fugir correndo
ASPIRINA: oficial aspirante da pm.
ATRACADOR: vigarista que encosta no otário.
AUTÓPSIA: furtar alguém enquanto dorme
AVENIDA: corte com navalha
AVIÃO: menor que entrega drogas.
AZEITONA: projétil de arma
BABACA: trouxa, bobo.
BABAÇÚ: comida
BACANAÇO: rico, elegante.
BADÚ: adivinhão
BAGANA: porção de maconha
BAIRRO ALTO: céu
BAIXAR: matar
BALÃO APAGADO: bêbado dormindo
BALZÁQUIA: prostituta com mais de 50 anos
BAMBI: homossexual
BANDEIRA: marcar bobeira
BANDEIRADO: ligado por efeito de drogas
BANHAR: passar para trás.
BARATA: freira
BARATINADO: sob efeito de drogas
BARBANTE: veia - artéria.
BÁRBARO: elegante - impecável.
BARCA: viatura policial
BARRA LEVE: menos agressivo
BARRA LIMPA: sem vigilância policial
BARRA PESADA: ambiente mal frequentado
BARRA SUJA: sem condições de ação
BASEADO: cigarro de maconha
BASQUETE: fazer um assalto
BATATOLINA: certo - exato.
BATE PAU: informante - cagueta.
BATER: contar - delatar.
BATER GRADE: chamada de presos
BATOTA: roubo no jogo
BECA: roupa
BELA ROBA: bela mulher, no sentido pejorativo.
BERRANTE: escopeta calibre 12
BERRO: revolver
BIABADA: surra
BICICLETA: óculos
BICUDA: faca
BIDRAQUE: esperto - metido a chefe.
BIDÚ: adivinhão
BIRITA: cachaça
BIZÚ: combinação.
BOBO: relógio
BOBO ALEGRE: despertador
BOCA: local de malandragem
BOCA DE FUMO: ponto de venda de maconha
BOCA DE SIRÍ: silêncio
BOCA DO LIXO: zona do baixo meretrício
BOCA DO LUXO: zona do alto meretrício
BOCA RICA: bom local para roubos valiosos
BOI: vaso sanitário da cadeia
BOIEIRO: preso que distribui as refeições na cadeia.
BOMBETA: boné
BONDÃO: onibus que leva os presos
BONECO: informante policial-criança
BONZÃO: valente-bravo
BORDEJO: passeio para achar um lance criminoso
BOROCOCHÔ: velho doente
BOTE: botequim-bar
BOY: menor homossexual.
BRACELETE: algemas
BRAIADO: trocado-permutado.
BRANCO: serviço
BRILHO: anel-cocaína.
BRILHOSO: anel de diamantes
BRISA: vagabundagem
BRONCA: inquérito policial
BRONZE: dinheiro
BUCHICHO: mexerico
BUFA: dinheiro
BUFANTE: revólver
BUFÓSA: pistola
BULDOGUE: revolver cano curto
BUNDA MOLE: covarde
BUNFA: dinheiro
BUTE: sapato
CABEÇA BAIXA: porco
CABRESTEIRO: ladrão de cavalos
CABRITO: carro ou arma produto de roubo
CACHORRINHO: informante policial
CADÁVER: pessoa dormindo
CADEIERO: presidiário antigo.
CAFUÁ: isolamento subterrâneo
CAGUÊTA: delator
CAI DURO: comida
CAIR DA ÉGUA : entrar em cana
CAIR NO MUNDO: ir embora
CAIXA DE TOSSE: peito
CAMBAU: idem pau de arara
CAMBURÃO: viatura do i.m.l.
CAMELAR: andar a pé
CAMPANA: observação das vítimas
CANA: prisão
CANA DURA: policial enérgico
CANAVIAL: prisão prolongada
CANDONGA: arruaça, anarquia.
CANETA DE BOMBA: chave falsa
CANJIBRINA: pinga
CANO: revolver
CAPIM: dinheiro
CAPIM SÊCO: maconha
CARA COMPRIDA: cavalo
CARANGO: automóvel
CARANGUEJEIRO: ladrão de carros
CARANGUEJO: carro
CARTEAR MARRA: mostrar valentia
CARVÃO: dinheiro
CASA DA BANHA: pavilhão dois da casa de detenção
CASA DE CABOCLO: armadilha
CASA DE PEDRA: presídio
CASA DO CÃO: presídio
CASCATA: conversa fiada
CASIMIRA INGLESA: diretor de presídio
CATREVAGE: roupa velha
CATUABA: cachaça
CAVALO CEGO: carro
CAVALO DE AÇO: motocicleta
CAVEIRISTA: médico legista
CESARIANA: navalhada
CHÁ: maconha
CHALAR: bater papo furado
CHALÉ: ponto de jogo de bicho
CHAMBREGA: feia, horrorosa
CHAPADO: sob efeito de drogas
CHAPINHA: jogo de azar c/3 tampinhas
CHAPOREBA: amigo
CHATA: carteira de dinheiro
CHAVEIRO: carcereiro
CHIBABA: maconha
CHIBABEIRO: maconheiro
CHICO DOCE: cassetete de madeira
CHUÉ: sem valor , duro
CHUPA LELÉ: trouxa, bobo
CHURREAR: bater carteira
CHURUPITO: projétil
CHUVEIRAR: passar para trás
CHUVEIRO: lôgro.
CIDADE DO PÉ JUNTO : cemitério
COBERTO: armado
COBERTURA: proteção
COICE DE MULA: policial violento
COIÓ: idiota
COLÉGIO: penitenciária
COMPLETA: prostituta
CONJESTA: viatura da rota (esquadrão policial)
CONTADOR: promotor de justiça
CORDÃO: veia, artéria
CORRÓ: pequena cela para averiguação
CORUJA: guarda noturno
COSTUREIRA: metralhadora
COVARDIA: apito
COVITEIRO: telefone
CRACHÁ: distintivo
CRAÚNA: preto
CRISTINA: cocaína
CROCODILAGEM : traição
CROCÔ : traição
CURIOSO: juíz
CURRIOLA: turma de vadiagem
DANÇA DE RATO: briga entre detentos
DANÇAR: entrar em cana
DAR AS CARAS: comparecer no fórum
DAR CANA: prender
DAR MILHO: vacilar
DAR NO PÉ: fugir a pé
DAR O PINOTE: escapar, fugir
DAR O SERVIÇO: denunciar
DAR UM BONÉ: tapear
DAR UM CHAPÉU: tapear, trapacear
DAR UM PLÁ: avisar
DAR UM PICOTE : fazer sexo
DAR UMA BANDA: andar a tôa
DEDAR: entregar
DEDO DURO: caqueta
DEDO MOLE: assassino
DEITAR: matar
DEITAR O CABELO: fugir
DEITAR UMA CANA: fazer uma prisão
DENTUÇA: chave falsa
DEPENAR: roubar acessórios de carro
DESAPARECER NA CURVA: fugir correndo
DESCASCAR: se masturbar
DESLIGADO: sem atenção.
DESTRAMBELHADO: avoado, meio louco.
DIAMBA: maconha
DICAR: passar informações
DITA: penitenciária
DONA JUSTA: polícia
DORMIR DE TOUCA: marcar bobeira
DORMITÓRIO: cemitério
DREQUE: espelotiado, aprontador
DUANA: roupa bonita
DURÃO: briguento
DUREZA: dificuldade financeira
EMBANDEIRADO: valentão, importante, superior.
EMBARCAR: matar
EMBRULHADA: tapeação
EMPACOTAR: matar
ENCHER OS CANOS: tomar drogas injetáveis
ENRUSTIR: esconder
ENTRAR DE GAIATO: ser prejudicado
ERVA DO SONHO: maconha
ESCAMAR: enfrentar
ESCRACHE: fotografia
ESCRUNCHAR: arrombar
ESCULACHO: bronca
ESCUTADOR DE NOVELA: orelha
ESFUMAÇAR: fugir
ESPIANTAR: fugir
ESTÁCIO: otário, bobão.
ESTALEIRO: pau de arara, peça para fumar maconha
ESTARRO: confronto violento
ESTICAR: ir embora
ESTOURAR PIPOCA: inquéritos contra
ESTRADÃO: local de desova de cadáver.
FACADISTA: quem pede dinheiro
FALAR INGLÊS: interrogar
FALCÃO: telefone
FANDANGO: briga
FARINHA: cocaína
FAZEDOR DE ANJO: aborteiro
FAZER A MALA: ganhar muito dinheiro
FAZER CARIDADE: matar
FAZER NOME: ter fama no mundo do crime
FAZER PRESENÇA: fornecer drogas sem cobrar
FAZER UM CAVALO: roubar um carro para assalto
FAZER UM CASTELO : se mastubar
FAZER VARAL: aprontar
FECHAR: matar
FEDERAL: informante policial
FERREIRO: ladrão de relógios
FIAPO: punhal, faca.
FININHO: cigarro de maconha
FIRULA: fazer hora
FISCAL DA NATUREZA: vadio de beira de praia
FITA: oportunidade
FITA PODRE : situação desvantajosa
FOGARÉU: reunião para fumar maconha
FOGUETEIRO: sentinela de ponto de drogas
FOGUETISTA: fofoqueiro
FRITAR: matar
FUBÁ: cocaína
FULERAGEM: sem dinheiro, duro, caído.
FUMACÊ: maconheiro
FUNÇA: funcionário da cadeia
FUNDÃO: pavilhão 9 da casa de detenção de sp.
FURADA: facada
FUZUÊ: bagunça, apronto geral.
GABI: gabinete de investigações (antigo)
GABIRÚ: ladrão
GAFANHOTO: helicóptero
GAIATA: carteira
GAIOLA: cadeia
GALEGO: gringo
GALINHA MORTA: pouco valor
GAMBÉ: depreciativo do policial militar
GANSO: informante policial
GARFAR: furtar carteira
GARRAFA: ampôla de entorpecente
GATO BRABO: ladrão que sobe em telhados
GELADA: estar sendo processado
GERERÊ: maconha
GOMA: pequeno roubo, furto
GORORÓBA: comida
GRAMPO: algemas
GROSELHA: pessoa muito louca
GRUDE: comida
GRUPO: mentira
GUANACO: guarda
GUENTAR: apropriação indébita, tomar algo.
GUINDADO: preso
GUITARRA: máquina que dizem fazer dinheiro
GUITARRISTA: quem aplica o conto da guitarra
GUZULA: comida
HABEA: habeas corpus
HIGHLANDER: faca fabricada na cadeia pelo preso

HOLOFOTES: óculos

HOMEM DA CAPA PRETA: juíz
HOTEL FAZENDA: penitenciária de araraquara - sp
HOTEL JARAGUÁ: pavilhão 2 da casa de detenção-sp.
IGREJINHA: local de jogo
INTRUJÃO: receptador
IRMÃO DA ÔPA: malandro
IRMÃO DE BRISA: comparsa
JANTAR: dar uma dura em alguém
JEGA : cama
JEREMIAS: ingênuo
JIBÓIA: chicote que começa grosso e vai afinando
JOÃO MEIA DÚZIA: revolver
JUNTAR OS PÉS: morrer
JUSTA: polícia
LAMBEDEIRA: faca
LAMBRÊGO: estrangeiro
LANÇA: assalto
LARANJA: testa de ferro
LAVAR A JEGA: lança muito boa
LAZEIRA: metido, arrogante
LEI DO CÃO: pacto de silêncio
LELÉ DA CUCA: indivíduo desequilibrado
LESCO LESCO: conversa fiada, papo furado.
LIBERTINA: liberdade.
LIGADO: atento, com atenção.
LIMPAR-SE: fugir
LIMPEZA: livre de riscos
LINGUARUDO: telefone
LINHA DE FRENTE: valentão.
LISANTE: cabelo
LOLÓ: cola de sapateiro
LOQUE: maluco
LORÉ: inferior
LUIZ XV: sapato
LUMUMBA: negro
LUNFA: parceiro, ladrão.
LUNFA PESADÃO: arrombador de cofres.
MACACA: caderninho de telefones.
MACACO PRETO: telefone
MACIOTA: com muita calma
MADAME: cartomante
MAGRELA: bicicleta
MAJERO: contrabando
MAJORENGO: delegado de polícia
MAJÚ: delegado de polícia
MAJURA: delegado plantonista
MALACO: bandido vadio e sem confiança.
MAMÃEZADA: conversa mole
MAMBEMBE: bêbado
MANDADA DE MAGRELA: roubo de bicicleta
MANHA: esperteza
MANJAR: ver, ficar de olho, estudar.
MÃO GRANDE: furto qualificado.
MÁQUINA: arma de fogo
MARCAÇÃO: vacilo na hora da ação.
MARCADA: entrar sem querer
MARIA LOUCA: bebida alcoólica feita na prisão
MARIJUANA: maconha
MARIQUINHA: artefato para fumar maconha
MARMOTISTA: arrombador de cofre
MARRUDO : provocador
MASSA: população carcerária
MATO: maconha
MATRACA: metralhadora
MEGA: meganha, policial.
MEIÓTA: pistola calibre 7,65
METER OS PEITOS: trabalhar
METRALHADORA: máquina de escrever
MICHA: chave falsa
MICHEIRO: especialista em abrir fechaduras.
MICO: ladrão menor de idade.
MIGUÉ: otário
MINA: mulher que sustenta homem.
MISTERIOSO: dinheiro
MÓCA: café
MOCÓ: esconderijo
MOCORONGO: idiota
MOCOSADO: escondido
MOCOSAR: esconder
MÔFO: muitos anos de cana
MORCEGAR: vadiar
MORFA: comida
MORFI: morfina
MORGÊGO: rondas noturnas
MOSTEIRO: casa de detenção
MULA: entregador de drogas em quantidade
MUQUIFO: lugar ruim, despresível
MUSEU: pessoa velha
MUXIBA: mulher velha
NOVELISTA: pessoa louca por televisão
OITÃO: revólver calibre 38
OLHEIRO: observador
OLHO DE VIDRO: policial ingênuo
ÓME: investigador de polícia
ONDA: notícia alarmante
OSSADA: corpo humano
OSSO: amante
ÔTA: otário, bôbo
PÁ: turma
PACAS: pra valer
PACAU: porção de maconha
PACO: maço de papel imitando dinheiro
PAGAR PAU: propina pra não entrar em cana
PAGAR UM SAPO: desmentir uma declaração
PAI: receptador
PÁLIDO: ficar sem tomar sol na cadeia
PÃO NA GRAXA: pão com manteiga
PAPAGAIADA : brincadeiras
PAPA-GENTE: escrivão de polícia
PAPAI-GRANDE : presidente da república
PAPEL : dose de cocaína
PARANGO: cigarro de maconha
PARSA: comparsa
PATCHULÍ : chinês
PATOTA: turma, gang
PATUÁ : feitiço
PAU DE ARARA: forma de tortura
PAVUNA : noite
PEÇA : arma
PÉ DE BORRACHA: automóvel
PÉ DE CHUMBO: policial que não se corrompe
PEDRA : crack
PEDRA 90: boa pessoa, fiel
PEGA PESADO: equipe policial de ronda bancária
PEGAR O BONÉ: ir embora
PELÊGA : cédula, dinheiro
PENDURAR: colocar alguém no pau de arara
PENITA: penitenciária
PENOSA: galinha
PERERECA : resistência de chuveiro usado pelos detentos para esquentar a comida na cadeia.
PESTANADA: cochilo
PESTE: aids
PIABA: surra
PIAR: contar algo
PICHO : grana, dinheiro
PICHULÉ: de baixo valor
PICO: injeção de drogas
PIFAR : morrer
PIJAMA : caixão de defunto
PILA : dinheiro
PIMENTÃO : nariz
PINÓIA : lôgro
PINTA : elemento perigoso
PINTAR A MACACA: fazer anarquias
PIOIENTO : pessoa da ralé
PIPOCA : processo
PIRANDELO : sair de fininho
PIRAR : ficar louco
PIRITUBA : cachaça
PISANTE : sapato
PIVETE : menor delinqüente
PÓ : cocaína
POEIRA : cocaína
POLENTA : pessoa molenga
POMBAL : presídio de mulheres
POMBO SEM ASA : sôco
PORORÓ : dinheiro
POSITIVO: produto de roubo
POTE : cela forte dos presídios
PRÁ LÁ DE BAGDÁ: bêbado
PREMIADO : condenado
PRESEPADA : gaiatice
PULADOR DE VENTANA : ladrão que pula janelas
PUXAR CANA: cumprir pena
PUXAR CORDA: cumprir pena elevada.
PUXAR FUMO : fumar maconha
PUXAR O CARRO : fugir
PUXAR O COURO: bater carteira
PUXAR UM CARANGO: roubar um carro
QUADRADA: pistola
QUEIMANTE : revolver
QUEIXO DURO: quem não delata em nenhuma hipótese.
QUENGA : prostituta
QUINZÃO: fuzil ar. 15
QUIRELA : dinheiro
QUIRIQUIXI : algemas
QUIZUMBA : macumba ou anarquia
RABO DE FOGUETE: perigo
RABO QUENTE: automóvel
RACHA : partilha de roubo
RAMPEIRA : mulher vulgar
RANGO : comida
RATAZANA : mulher ladra
RATO : ladrão
RATO DE PRAIA: ladrão de praia
REBITE : tiro ou comprimido de entorpecente
REBORDOZA : apronto geral
REINO DO VAI NÃO VOLTA: céu
REMO : colherinha de mexer café
RODAR: ser preso
RODAR : entrar em cana
ROLÊ : dar uma volta.
RONDANTE : guarda noturno
ROPEIRO : ladrão que distrai a vítima
SÁBIO : repórter
SABONETE : repreensão severa
SACO DE BROA : barriga
SACO DE TRIPA: abdomem
SALIVAR : enrolar um papo
SAMANGO : depreciativo do policial militar
SANFONA : carteira para fazer um "paco"
SANFRAR : esfaquear
SEBO NAS CANELAS: fugir correndo
SEGURO : preso em segurança dentro da prisão
SENTAR O AÇO : apunhalar
SENTAR O DEDO: atirar
SESSÃO ESPÍRITA: interrogatório com espancamento
SEU XAVIER: carcereiro
SIMPATIA : gente boa
SUADOR : furto enquanto acontece a relação sexual.
SUAR : praticar o "suador"
SUJEIRA : coisa ruim, atrapalhado.
TACSOLA: sapato
TÁXI : forma de punição entre detentos
TELEFONE : tapa simultâneo nas duas orelhas
TEMPESTADE : viatura da rota (batalhão da pm. Paulista)
TENDA : loja de receptação
TENDEIRO : ladrão de lojas
TERESA : corda feita com retalhos de roupas de cama
TERRA DO PÉ JUNTO: cemitério
TESOURA : batedor de carteiras
TICO-TICO: aparelho de telex (antigo)
TINTUREIRO : carro de presos
TIRA : policial
TIRA REVESSO: policial comparsa de bandidos
TIRAGEM: equipe policial
TIRAR CANA: cumprir pena
TIRAR UMAS ALEMANHA : cumprir pena
TIRUNCHO: policial que trabalha sozinho
TISIU : preto
TITITI : fofoca, papo furado
TOCO : dinheiro de suborno
TOCO MOCHO: bilhete de loteria adulterado
TOMADOR NA MARRA: assaltante
TOQUEIRO : aplicador do "toco"
TOTÓ : cagueta
TRABUCAR : trabalhar
TRABUCO : arma de fogo
TRAMPO : serviço
TRANCA : cadeia
TRANQUEIRA : companhia ruim
TRANSA : combinação para assalto
TRANSADO : coisa boa, bonito
TRAVECO : travesti
TREZE : louco
TRIC-TRIC : cheio de histórias
TRIPA : cigarro de maconha
TROLOLÓ : aplique de conto do vigário
TROMBADA : pequenos assaltos derrubando a vítima no chão.
TROMBADAÇA : encontro com a polícia
TRUTA : malandro
TURMA DA PESADA: ladrões de bancos
UM SETE UM: estelionato, aplicar um golpe
VACINA : facada
VAGOLINO : vadio
VENENO : situação ruim
VENTANA : janelas
VENTO : dinheiro
VERME : PM
VERMELHINHO : jogo de cartas com duas preta e uma vermelha
VESTIR O CAMISOLÃO: morrer
VICHENZO : pessoa boba, honesta
VIOLINISTA : aplicador de conto do vigário
VIÚVA ALEGRE: ambulância
X-9 : detetive policial, cagueta
XAROPE : louco
XEPA : comida de baixa qualidade.
XINFRIM : fraco, michuruca
XUMBREGA : coisa ruim.
ZEBEDEU : passado para trás, tapeado
ZEBRA : sentenciado
ZICA : problema, rolo
ZINCO : baioneta
ZOIUDO : ovo frito
ZUÊRA : pessoa muito baderneira
ZURETA : débil mental


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://www.centrodeestudomars.com/p/blog-page.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:


Trailer do Canal:

 

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...