terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Papo Reto: sobrevivencialismo, pedras no caminho e efeito nocebo


Por que somos sobrevivencialistas urbanos? Por que gostamos de estar seguros, preparados e fortes. Ter uma boa qualidade de vida e nos sentirmos seguros em nossas decisões. Eu estou sempre escrevendo matérias, gravando podcasts, colocando novas obras em nossa biblioteca virtual, criando aplicativos e programas sobrevivencialistas, pois eu criei esta escola virtual o Centro de estudo MARS por que sempre acreditei no potencial humano, de se aprimorar. Devido isso eu me propus a ajudar a levar conhecimento a vocês, mas e vocês, acreditam em si ou ficam dando ouvido as ovelhas que os cercam? A vida tem um ritmo próprio: instável, caótica e entrópica. Nada dura, nada permanece, pelo menos com nossas preparações aprendemos a viver o momento e se preparar para o futuro, assim como faziam os samurais. Mas a grande verdade é que além da precariedade da estrada onde percorremos a nossa existência nós ainda encontramos pedras como diria o autor Carlos Drumond de Andrade. 

 
Pedras que estão unicamente para impedir a nossa trajetória, nos darmos como vencidos, e nós muitas vezes nos conformamos com a situação e colocamos a culpa da pedra por nossos fracassos. Com certeza já deve ter ouvido isso de inúmeras pessoas falando sobre seus fracassos na sua trajetória:  se não fosse aquela pessoa, ou isso ou aquilo teria hoje em uma  situação bem melhor. Mas o que poucos entendem é que justamente esta dificuldades é que nos ajuda na jornada do autoconhecimento, afinal só que tem cicatrizes pra mostrar é quem vai a luta. A nossa mente é muito poderosa, o nosso neocórtex responsável pelas nossas cadeias de raciocínios coordenados pode tornar real o que acreditamos. Isso cria resultados positivos como o efeito placebo, onde acreditamos que uma determinada coisa nos faz bem, mesmo que não seja verdade, a mente faz o corpo acreditar que está melhor. E o efeito nocebo que é justamente o contrário a mente acredita que uma coisa pode fazer mal mesmo que seja mentira, igual a antiga crença do leite com manga fazer mal, você se sente mal e fica doente.

Quantas vezes ficamos vulneráveis a opiniões negativas das pessoas a nossa volta que dão suas opiniões sobre nossas vidas. Opiniões e apontamentos estes que não são para ajudar mas para você se sentir pequeno e se conformar com seu fracasso assim como elas. E muitas vezes essa vulnerabilidade faz com a pessoa acredite que realmente é inútil ou ela é incapaz de conseguir, ou ainda de não estar a altura do desafio, e sua mente acredita e faz com que você realmente não consiga por que aquilo não é pra você.

Ser sobrevivencialista na selva de pedra, é se superar se reprogramando e se adaptando a cada dificuldade. Sair do buraco para conquistar seu lugar nessa selva só depende de você. Se tornar um leão, e rasgar o que estiver atrapalhando a sua frente, e conseguir com muita luta, usando muita garra para atingir as suas conquistas. Lembre-se leões não deve dar ouvido as   ovelhas, semper fi.


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:

 

Trailer do Canal:

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...