segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Diário de Guerra Z: Políciais Civis heróis que trocaram tiro com ladrões de banco no Pará são condencorados



Os policiais envolvidos na operação "Área” que resultou na frustração de um assalto à agências bancárias no município de Acará, no nordeste paraense foram condecorados. Os sete envolvidos no assalto morreram durante o confronto, eram seis homens e uma mulher. No dia terça-feira 5 deste mês, em Acará nordeste do Pará, a Policia Civil depois de uma semana de investigação conseguiu localizar o esconderijo do grupo que planejava assaltar duas agências bancárias no município.  Os criminoso foram abordados em uma estrada vicinal, na zona rural do município e efetuaram disparos contra os policiais, que revidaram aos tiros e atingiram sete assaltantes. Eles ainda chegaram a ser socorridos, mas não resistiram.



“Que a operação sirva de exemplo para continuarmos trabalhando de forma preventiva e dentro da Lei. Esse policiais deram a vida para salvar a sociedade. Alguns julgam que tenha tido excesso pela morte de 7 (assaltantes), mas o trabalho foi fruto da inteligência da polícia, que até o momento de abordar a quadrilha foi pensado, que não foi na área urbana, garantindo assim a segurança da sociedade”, disse o governador.




 Ele completou parabenizando os policiais civis que participaram da operação. “Vocês estão oferecendo as suas vidas para a pacificação do nosso Estado. Parabéns pela coragem e pelo trabalho de vocês”.




Segundo as investigações, todos os sete integrantes da quadrilha tinham passagem pela polícia. Um deles, inclusive, havia participado do assassinato de um policial militar. Com o bando, a polícia apreendeu sete armas, sendo três revólveres e quatro pistolas (uma delas de uso exclusivo da Polícia Civil), munições, miguelitos (artefato usado para furar pneu de carro), documentos falsos e dois carros: um alugado e o outro roubado.



A operação foi efetuada por policiais civis da Divisão de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) e Grupo de Pronto-Emprego (GPE).



CPF- Z Cancelado
 


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

  

E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 


http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:

 

Trailer do Canal:

 

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Sobrevivencialismo Marcial: Desarme de arma de fogo, pra que, quando, e onde?



Hoje vamos falar de um tema pra lá de polêmico, que gera milhares de postagens infantis e incoerentes nas salas de bate papo por causa de maus profissionais que não se preocupam com a vida ou morte de seus aluno. Só querem alimentar as suas fantasias para mante-los perto para receberem a sua mensalidade. No entanto, em uma situação envolvendo uma arma, você pode ter três desfechos sair ileso ou ir ao hospital ou necrotério. Hoje vamos falar sobre desarme de arma de fogo. Isso mesmo tomar a arma de fogo na mão de um agressor. Isso é possível? É uma atitude responsável? Quando fazer? Como fazer? E pra que fazer? Essas questões responderemos no texto a seguir.

Observação importante: As informações presentes nesta matéria são para o público maior de 18 anos, para fins de conhecimento didático, e treinamento combativo baseado na legítima defesa e estrito comprimento legal que estão em nossa constituição e Código Penal. O uso indevido dessas informações, bem como suas consequências é de responsabilidade única e exclusivamente de quem praticar e desobedecer a lei. Então use o cérebro.



Depois de ler a mensagem acima podem iniciar a leitura do artigo abaixo:






Pra que?



Para aprendermos qualquer coisa e aumentar nossa bagagem de conhecimento devemos primeiro verificar o que esse conhecimento realmente vai acrescentar a nosso cabedal de habilidades.  No caso de desarmar uma pessoa portando uma arma de fogo apontada para mim com a finalidade de tirar minha vida caso não ceda as exigências do agressor, pra que aprenderia uma técnica que me colocaria em um risco tão grande e uma probabilidade potencialmente baixa de sucesso?
 
Para responder essa questão temos que relembrar rapidamente o conceito  de uso progressivo de força. Tudo tem haver com perda, ganho e exposição. A autodefesa tem como objetivo garantir a sua integridade física, mental e espiritual e de sua família, então qualquer coisa que você for aprender dentro desse tema deve objetivar o resultado melhor pra você.

1. Roubo: Um criminoso se aproxima e pede tudo que você tem: dinheiro, celular, relógio. Será que o valor desses itens valem a possibilidade de uma bala na cabeça ou no peito? Ou será que uma laporatomia, uma  cirurgia abdominal exploratória onde seu abdômen é todo aberto para verificar quais orgãos foram danificados e sutura-los. 










2. Ameaça: você  está em uma balada ou na rua e de repente o agressor,  no meio da discussão o agressor puxa arma contra você ou alguém da sua família. Óbvio se você tentar qualquer idiotice você terá tudo a perder e ele nada. Entenda que existe uma enorme diferença entre uma exibição de ameaça e um ataque real. Negocie, não reaja converse e não o encare nos olhos, procure nunca despertar o instinto primitivo do agressor que já está em vantagem. Muitos professores  de arte tradicional que conheci incentivavam o aluno a reagir a todo tipo de situação, pois segundo eles quem não reage não acredita no que pratica. contudo a grande verdade é que em busca de fantasia heroica eles ignoram um ponto importante que aprendemos no uso progressivo de força, a violência geralmente pode ser evitada mudando suas prioridades, colocando a sua segurança em primeiro lugar.



3. Cenário numero dois: Você de repente se deparara com um criminoso na sua frente e ele exige que você o acompanhe até um matagal ou terreno baldio.  Ele está sem mascara e está querendo te levar para um lugar onde ele tenha controle total da situação. A chance de você se tornar um dos 63.000 mortos anuais é muito grande. Então sabendo disso mais uma vez é uma situação que se deve levar em conta a reação, para "proteger a sua vida".



 
4. Vingança:  Você tem um inimigo? Uma pessoa que quer se vingar por causa de namorada, divida ou qualquer outro motivo? Aqui cabe uma analise, em um primeiro momento ele está na sua frente vociferando e com a arma apontada pra você falando que vai te matar. Se  o individuo esta em um nível irracional para te matar , dificilmente ele vai ficar conversando, mesmo que seja ameaça. Aqui cabe  a mesma situação acima de ameaça, negocie, converse e em hipótese alguma o confronte verbalmente. Ele está nervoso não o estimule mais ainda a sua raiva. Agora se ele exige que você o acompanhe para outro lugar ai cabe a medida do cenário número dois, nunca acompanhe até onde ele quer te levar pois com certeza será o local da sua morte.


Como?


Acredito que ficou claro acima que a reação para desarmar um agressor armado é apenas em casos extremos onde com toda certeza você vai rodar e virar estatística no índice de homicidio anual. Então como devo proceder para aprender tais técnicas emergenciais?


Desarmado: Em primeiro lugar entenda que estamos falando sobre um cenário onde você está em desvantagem: desarmado e foi pego de surpresa. Mesmo com uma arma de fogo uma vez que foi surpreendido as chances de ser baleado se tentar atirar em uma pessoa que já está apontando pra você é total. para  arma de fogo  problema é que muitas vezes essas técnicas perderam elementos críticos necessários para que funcionem ou o movimento foi retirado do contexto.

Conheça a ferramenta: Para combatermos uma coisa temos que conhecer a ameaça. Não adianta você ir caçar um tigre se você não conhece esse animal, isso só mostra o quanto você é irresponsáveis. Técnicas furadas ensinadas por pessoas que nunca seguraram uma arma de fogo, como por exemplo, tentar segurar o tambor do revolver, apertar o botão do carregador da pistola parta ele cair, ou tentar colocar o dedinho atrás do gatilho para o agressor não conseguir puxar para trás só em filmes do Jet Li. Faça cursos de tiro defensivos, ofensivos e manuseio de arma de fogo em lugares credenciados e com profissionais com boas referências.

Colega de treino: Chame um amigo de sua confiança para treinar tecnicas de defesa próximas do real. Use óculos de proteção,  e se possível uma arma de airsof. Se a técnica do seu professor não funcionar no treino não funcionará na vida real. Com toda a descarga adrenergetica sua coordenação motora fina estará prejudicada, não conseguindo realizar movimentos complexos, conseguindo realizar apenas movimentos diretos e amplos com os músculos maiores, e sua visão periférica estará prejudicada  em forma de túnel.



Onde?

 
Cursos de autodefesa: Fuja de cursos de estilos de esquina baratos, guarde um dinheiro e faça cursos táticos em locais credenciados de segurança. Cheque o currículo dos professores, se eles tem experiência em área de segurança, já atuaram. Não entre sua vida e de sua família na mão de uma pessoa que inventa histórias e manipula os alunos vendendo técnicas de filmes.   Um profissional que nunca pegou em uma arma de fogo querer te ensinar desarme  é como   um virgem alegando que ele pode ensinar tudo o que você precisa saber sobre sexo, porque ele assistiu a muito filme pornô. 



Lembre-se:


Histórias e fantasias: A maioria das histórias contadas pelos professores de artes marciais sobre ter lutando contra agressores armadas é mentira.  Como já disse em outra postagem verifiquei o nome de alguns professores que contaram suas proezas inclusive com "aplausos do pessoal da delegacia" e não passava de mentira, fatos que nunca foram registrados e nunca aconteceram. Pergunte para amigo.

Boneco: O agressor não é um boneco, ele não vai ficar com o braço reto estendido apontando a arma pra você. Na maioria dos assaltos apenas mostram o cabo do revolver a uma distância segura da vítima ou a seguram do lado do corpo. E uma vez que você tente avançar mesmo que conseguir pegar a alcançar a arma ele irá socá-lo e chutar e começar a disparar, por que a vida dele está em risco, então ao contrário do seu colega de academia ele vai tentar te machucar pra valer pra você não tirar a arma dele. E ainda existe o fato que disparo a queima roupa dificilmente vai errar, e uma vez baleado mesmo que não seja em um ponto vital, ainda tem o problema da hemorragia e da dor que fará você ficar fraco em segundos.


Falha: Um movimento ineficaz pode representar a sua morte então só reaja  se perceber se realmente existe a possibilidade do agressor te matar. Como disse antes você tem mais a perder do que o agressor: sua vida, a sua família desamparada. Dinheiro, celular ou relógio você poderá adquirir outro posteriormente, sua vida não.

Fugir: Existindo a possibilidade de correr é sem duvida uma ótima opção, já que na vida real não tem check point igual nos games, apenas game over. 

Prevenção: Noventa por cento da autodefesa está na prevenção, evitando situações de risco. Evite  lugares perigosos assim como sair em horários de pouco movimento. Procure evitar fazer inimizades e arrumar confusões.

Atenção: Não ande distraído na rua pois uma vez que o individuo ficar a menos de dez metros de você ja era. 


Equalizador: Diferente do que seu professor de autodefesa tradicional possa  ter falado arma de fogo faz parte sim da autodefesa. Não estamos na idade média, para um combatente urbano saber usar uma arma de fogo adequadamente e adquirir uma é essencial. Faça parte e apoie  grupos armamentistas e ajude a cobrar melhorias na legislação de posse e porte de armas de fogo.

Seja seu mestre: Não procure alguém para dizer o que fazer e como conduzir a sua vida. Como sobrevivencialista e combatente urbano seja responsável pelo seu aprendizado, e conhecimento de tecnicas para proteger a sua vida e de sua família.




Conclusão:


Desarme de arma de fogo é um dos pontos muito importante de autodefesa, pois se trata de um cenário extremo, com a cor preta   na escala do semáforo  da violência. Tal técnica deve ser aprendido com profissionais que realmente entende de realidade das ruas e conhecem a área de segurança. Professores que ensinam tecnicas mirabolantes provenientes de tecnicas milenares pouco tem efetividade para o cenário urbano atual.  

Não brinque com sua vida e nem com a vida de sua família procure cursos e profissionais credenciados e com bons currículos. Mais vale um curso intensivo com tais profissionais do que cinco anos aprendendo movimentos fantasiosos baseados em borboleta, ovelha ou qualquer outro animal. Semper fi.

Ok.  O Jet li faz parecer fácil.  :(


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.




E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 



http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html



Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:

 

Trailer do Canal:

 



quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Fuzil FN FAL: Braço direito do mundo livre - Parte 3


Na terceira parte da nossa matéria sobre o FAL vamos conhecer as suas variantes, e as melhorias dessa ferramenta precisas e poderosa.


Variações





LAR 50.41 e 50.42, Também conhecido como FALO como uma abreviação do francês Fusil Automatique Lourd ;
Variantes do modelo de série 




  • FAL 50,61 - fuzil de comprimento total com estoque dobrável. 
  • FAL 50.62 - Variante do pára-quedista compacto;  estoque dobrável;  Comprimento do cano de 458mm. 
  • FAL 50.63 - Variante do pára-quedista compacto;  estoque dobrável;  Comprimento do cano de 406 mm;  alça de armar colapso.
  • FAL 50,64 - rifle de comprimento total;  estoque dobrável;  construção revisada do receptor inferior;  sans transportando alça.
O 50.41 está equipado com um buttstock sintético, enquanto o buttstock 50.42 é feito de madeira.





Conhecido no Canadá como o C2A1, foi a sua arma principal de esquadra automática até ser eliminado durante os anos 80 a favor do C9 , que tem melhor precisão e maior capacidade de munição que o C2; 




Conhecido pelo Exército Australiano como o L2A1, foi substituído pelo FN Minimi.  O FAL L2A1 ou 'heavy barrel' foi usado por várias nações da Commonwealth e foi encontrado frequentemente com falha de alimentação após disparar duas rodadas de uma revista completa quando estava no modo automático.  


 FAL .280 Carabina Automática Experimental, Modelo Longo (1951) : Uma variante FAL em compartimentos para o ensaio experimental de .280 British [7,2 × 43mm].  Foi projetado para uma competição em Aberdeen Proving Grounds , Aberdeen, Maryland .  






   • Sturmgewehr 58 (StG 58) - Denominação austríaca produzida sob licença da Steyr-Daimler-Puch. É essencialmente uma versão customizada pelo usuário do FAL e ainda está em uso, principalmente como uma arma de perfuração nas forças austríacas.  Foi selecionado em uma competição de 1958, vencendo o CETME espanhol e o americano AR-10 .


A empresa holandesa Armtech construiu o L1A1 SAS, uma variante assalto-carabina do L1A1 com um comprimento de cano de 290 mm (11,4 polegadas).  Isso foi semelhante às carabinas L1A1 de cano curto usadas pelas forças ANZAC no Vietnã.



  

O DSA-58 OSW ( Arma Especializada Operacional ) é uma versão de carabina de assalto do modelo de paraquedista do FAL.  Ele tem um estoque de polímero Enhanced PARA dobrável lateralmente, um cano mais curto de 279 mm (11 pol.) Ou 330 mm (13 pol.) E um ajuste totalmente automático opcional. 

 A DSA-58 CTC ( Compact Tactical Carbine ) é uma versão de carabina do FAL.  Ele tem um estoque de polímero Enhanced PARA dobrável lateralmente, um barril mais curto de 413 mm (16,25 polegadas) e um ajuste totalmente automático opcional.  Comprimento total: 927 mm (36,5 polegadas) Peso: 3,74 kg (8,25 lbs).







Conclusão:


O  Fal é um equipamento muito robusto e preciso até hoje é considerada uma boa pedida quando o cenário de crise é guerra, não muito indicada para operativos em área urbana povoada, porém muito efetiva nas mãos certas.  Chegou a ser o fuzil padrão em vários países do mundo, tendo inúmeras variantes e modelos inspirados. 

E você combatente urbano, gostaria de manusear esse incrível equipamento?



Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.




E não esqueça de  visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo: 



http://centrodeestudomars.blogspot.com.br/p/biblioteca.html



Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

  

Colaboração:

 Dr. David S. 

 

Conheça Também:

Conheça nosso Canal no Youtube:

Conheça nossa página no Facebook:

 

Trailer do Canal:












Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...